PickFair, a mansão mais famosa de Hollywood

568

Receber um convite para frequentar a Pickfair, como era conhecida a mansão onde moravam Mary Pickford e Douglas Fairbanks  era o sonho de todos os artistas durante a década de 20. O apelido surgiu da união dos nomes dos dois artistas, que se casaram em 1920.

Fairbanks e Pickford em frente à casa apelidada de Pickfair

No início do século 20, vários diretores saíram de Nova York em busca de um clima mais quente e assim chegaram à Califórnia. Logo chegaram as estrelas. Logo Jesse Lasky, Theda Bara e Harold Lloyd compravam terras para construir suas mansões. Douglas Fairbanks procurava um local mais isolado e em 1919 pagou apenas US $ 35.000 pelos 14 hectares de terra.

O local que se tornaria a Pickfair, no sopé do Benedict Canyon

Separado de sua primeira esposa, Anna Beth Sully, ele se mudou para a mansão. Lá ele começou a se encontrar com Mary Pickford, que ainda não tinha conseguido o divórcio de seu marido. Enquanto aguardava uma definição da situação de Mary, Douglas ia reformando a casa, adicionando mobília, mudando a paisagem, colocando novas janelas, jardins, tendo contratado o arquiteto Max Parker para supervisionar as reformas.

A mansão em 1920

A parte de baixo da mansão era formada de um grande hall de entrada, sala de jantar e refeições, sala, cozinha e quartos de empregados. No primeiro andar ficava uma grande suíte e mais cinco quartos de hóspedes. No terceiro andar tinha uma grande sala de jogos. Nos jardins havia ainda uma grande piscina e lagos, onde os convidados podiam passear de canoa.

Mary e Douglas passeiam em um dos lagos
Sala de jantar na década de 20
Sala na década de 20
Entrada na década de 20

Em 1920 Mary Pickford finalmente conseguiu seu divórcio e o casal pode desfrutar da confortável residência. Seus amigos sempre estavam presentes em festas, piqueniques, festas na piscina, jogos. Eles se tornaram o casal mais popular de Hollywood. Os três primeiros anos foram os mais movimentados.

Haviam ainda os famosos jantares que eram servidos todos os dias da semana e tinham como convidados astros como Charles Chapln, John Barrymore, Lillian Gish, Anita Loos e Gloria Swanson estavam sempre por perto. Os convidados vinham com suas roupas formais e de gala. Após o jantar assistiam a filmes.

Mary com seus convidados: o diretor John S. Robertson e Charles Rosher

Além dos astros se hospedaram lá também o rei da Espanha, Alfonzo XIII, O conde de Lanesborough e o Duque e duquesa de Sutherland, além da princesa Frederica da Prússia.
Mas todo anfitrião cansa um momento. Visitas nos sete dias da semana realmente tiram a paz e o sossego de qualquer um, mesmo sendo amigos queridos. Em uma visita a Nova York, em princípios da década de 30, Mary decidiu que era hora de remodelar o local.

Sala de estar remodelada na década de 30
Sala de jantar remodelada na década de 30
A suíte de Mary era decorada nas cores verde e rosa e tinha inspiração na França
Mary e Douglas na piscina

Mary decidiu dar uma pausa nos filmes, já que tinha trabalhado tanto nos últimos anos e queria se dedicar a uma vida mais tranquila, de dona de casa. Mas Douglas não estava no mesmo ritmo e viajava constantemente. Logo a atriz descobriu que ele tinha iniciado um romance com Sylvia Hawkes e decidiu abandonar o ator. Em 1933 ela pediu o divórcio que levou mais três anos para ser finalizado.

Douglas foi morar em Londres com Sylvia, enquanto Mary permaneceu em Pickfair. Dentre as pessoas que frequentavam a casa nesse período estava seu amigo Clark Gable e Charles Rogers, com quem a atriz se casaria em 1937.

Pickfair após a reforma em 1930
Harold Lloyd chega com a esposa para um jantar
Mary Pickford

Após se casar com Charles Rogers, os dois decidiram viver em Bel Air, mas Pickford permaneceu  nas mãos de Mary até sua morte em 1979. Após a morte dela a bela mansão, já abandonada foi comprada pelo empresário Jerry Buss que decidiu restaurá-la e conseguiu recuperar muito da beleza inicial da casa. Em 1988 foi comprada pela atriz Pia Zadora.

Entrada lateral em 1920

Pia Zadora anunciou a demolição da Pickfair original para dar lugar a uma nova mansão em estilo veneziano. Criticada, ela informou que a casa estava em mau estado de conservação. Fairbanks Jr., o filho de Douglas foi um dos que saíram em defesa da mansão, numa entrevista ao LA Times: “Eu lamento muito. Eu me pergunto o porque deles comprarem a casa histórica, se eles queriam demoli-la”.

Em 2012 a atriz Pia se apresentou no programa Celebridades e Fantasmas do canal Bio e falou que a verdadeira razão de demolir a casa foi porque era assombrada pelo fantasma de uma mulher que ficava rindo. Os únicos artefatos originais da casa hoje são os portões da propriedade, a piscina bem como a ala de hóspedes.

Os portões principais permanecem os mesmos do tempo em que Mary e Douglas moravam, ainda com a inicial P.
Pickfair após a reforma de Pia Zadora

 

Entrada lateral em 2015

Nesse vídeo, Mary Pickford recebe um Oscar honorário em 1976, e podemos ter um vislumbre de como era linda a PickFair.

Comente Aqui!