Alguns Fatos que te farão conhecer Ingrid Bergman melhor

691

– Ingrid perdeu a mãe quando tinha apenas 2 anos e após a morte de seu pai quando tinha 12, foi mandada para uma Escola de Arte Dramática.

– Sua estréia no cinema foi em Landskamp (1932), filme dirigido por Gunnar Skoglund. Seu papel foi tão insignificante que ela nem foi creditada.

– Os produtores de Hollywood logo prestaram atenção naquela bela atriz sueca e a chamaram para testes. Ela já tinha fama em seu país, mas mesmo assim eles queriam molda-la e deixa-la mais americanizada. Ingrid se negou a se transformar. Os produtores também queriam mudar seu nome para Ingrid Berriman ou Ingrid Lindstrom, mas a atriz insistiu em manter Ingrid Bergman.

– Um dos seus hobbyes era tirar fotos e filmar,  como você pode ver nessas fotos abaixo:

– Ela interpretou Joana D’Arc três vezes: em 1946 no teatro e Joana D’Arc (1948) e Joana D’Arc de Rossellini (1954) para o cinema.

Como Joana D’Arc

– Devido à sua altura (1:75), muitos dos companheiros da atriz tiveram que usar banquinhos sapatos de saltos para parecerem mais altos do que eram. O único que era maior que ela eram Gary Cooper, que tinha 1:90 e Cary Grant, com 1:87.

– A atriz ganhou 4 prêmios da Academia pelos filmes À meia luz (1944), Anastácia (1956) e “Assassinato no Expresso Oriente” (1974). Ela também foi indicada por outros: Por Quem os Sinos Dobram (1943), Os Sinos de Santa Maria (1945), Joana D’Arc (1948) e Sonata de Outono (1978).

– A atriz casou-se duas vezes. A primeira com o médico Petter Lindstrom em 1937. Teve uma filha com ele. O casamento acabou porque ela se apaixonou por Roberto Rossellini em 1949 e com ele teve três filhos. Seu último casamento foi em 1958, com Lars Schmidt, mas também terminou em divórcio em 1975.

– A esposa de Humphrey Bogart achava que durante as filmagens ele tinha um romance com Bergman, chegando a invadir seu camarim. Nada mais longe da verdade e que irritava o ator profundamente.

Ingrid com David Selznick, e seu marido Petter Lindstrom no Oscar de 1945.

– A estrela entrou na lista negra de Hollywood por ter se casado com Roberto Rossellini. Por conta disso passou a morar na Itália e iniciou uma nova leva de filmes italianos. Seu retorno foi apenas em 1956, após ganhar o Oscar de Melhor Atriz, recebido por seu amigo Cary Grant. Eu conto um pouco mais da história de amor entre Ingrid e Rossellini aqui.

Com 1953, com Roberto Rossellini

– Fez ao lado de  Rossellini 6 filmes:  Stromboli (1950), Europa ’51 (1952), Nós, as Mulheres (1953), Joana D’Arc de Rossellini (1954), O Medo (1954) e Romance na Itália (1954).

– O nome de seus filhos são: Pia Lindström (1938), Roberto Ingmar Giusto Giuseppe Rossellini (1950), as gêmeas Isabella Rossellini e Ingrid Rossellini (1952). Pia foi criada pelo pai, e Isabella e Ingrid viam pouco seus pais, que trabalhavam demais. Isabella Rosselline fala sobre o fato no documentário sobre a atriz. Escrevi um pouco sobre isso AQUI.

Ingrid com os quatro filhos

– Ingrid falava cinco línguas: sueco, inglês, francês, alemão e italiano. Ela morara em várias cidades pelo mundo: Estocolmo, Los Angeles, Roma, Paris e Londres.

– Ela filmou Stromboli (1950) grávida de seu filho Roberto.

Descansando entre as filmagens de Stromboli

 Luchino Visconti queria que ela interpretasse uma das personagens em Sedução da Carne (1954) ao lado de Marlon Brando. Rossellini a proibiu de trabalhar ao lado do ator. Sabendo disso, Brando também não aceitou o convite para participar do filme. O filme acabou sendo feito por Alida Valli e Farley Granger.

– Era amiga íntima de Ernest Hemingway, que a tratava como filha. Outros bons amigos eram Frank Sinatra e Cary Grant.

Com Cary Grant

– Enquanto filmava Sonata de outono (1978), Ingrid já sofria com o câncer que a levaria em 29 de agosto de 1982. Segundo testemunhos do documentário Eu sou Ingrid Bergman (2015) ela não reclamava de dores, embora sentisse.

Com Liv em Sonata de Outono

– A atriz nasceu e morreu na mesma data: 29 de agosto. Tinha apenas 67 anos e chegou a fazer duas mastectomias).

– Durante o funeral, foi tocada a música ‘As Time Goes By’, de Casablanca. Ela foi cremada e suas cinzas espalhadas no mar.

Fontes: IMDBfamousfix

Comente Aqui!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorOs Melhores Filmes de Irene Dunne
Próximo artigoSTEPHEN KING: CONTOS DE TERROR
Formada em Letras, Design e Especialista em Estudos cinematográficos. É sobretudo uma curiosa sobre a sétima arte. Fundadora do site Cinemaclássico, estuda cinema desde 2002. Ama Charles Chaplin, Raj Kapoor e navega constantemente em filmes de todo o mundo.