Criando uma Ilusão: Fotos dos atores clássicos eram Retocadas

6832

Constantemente leio em nossa página ou aqui no site frases dizendo que as fotos da Hollywood clássica não eram retocadas, pois não existia photoshop. Sinto dizer, mas esta é uma inverdade. A realidade é mais dura, e explicamos sobre ela em algumas matérias em que falamos dos procedimentos estéticos e cirúrgicos utilizados para transformar as estrelas e astros em grandes mitos. E quando nada disto resolvia, era preciso firmar a visão de perfeição através do retoque das fotos.

Não existia photoshop, evidentemente, mas as manipulações em fotografias eram feitas através de processos químicos. Na verdade, esses experimentos vem acontecendo desde que a fotografia foi criada. Esse manual publicado na década de 40 mostra um pouco sobre algumas técnicas da época.

Carole Lombard

E um dos grandes responsáveis pela glamourização dos astros nas fotos foi o fotógrafo George Hurrell. O procedimento realizado por ele era basicamente simples. Ele preferia que os artistas chegassem em seus estúdios de cara lavada. A maquiagem era feita de maneira discreta no local. As fotos eram tiradas e após isto ele as encaminhava para James Sharp que iniciava seus trabalhos. James levava cerca de seis horas fazendo correções necessárias em uma foto. Seu trabalho retirava as marcas de expressão, ruguinhas, manchas ou qualquer outro tipo de “defeito” que pudesse comprometer a imagem.

Clark Gable

Aqui embaixo temos um exemplo. Joan Crawford foi uma das mais fotografadas por ele e fez uma sessão no estúdio para o filme Laughing Sinners (1931). A atriz de 27 anos tinha um rosto belo, mas sempre havia como melhora-lo. Os retoques serviam para maximizar seus pontos fortes e retirar totalmente aqueles pontos julgados problemáticos. Veja o antes e o depois e confira que algumas marcas de expressão e sardas foram apagadas:

Foto: Hurrell’s Hollywood Portraits: The Chapman Collection

 

Bette Davis no antes de depois de uma foto tirada para o filme Jezebel (1938). Era necessário retirar o ar taciturno da atriz, as olheiras, e trazer leveza ao seu olhar e expressões:

Aqui embaixo uma imagem de Charles Boyer e Irene Dunne para o filme Together Again (1944). Na época Charles tinha 45 anos e Irene, 46. Já começavam a sofrer os impactos da idade. As marcas riscadas mostram os pontos problemáticos:

 

Esse trabalho não era algo exclusivo de Hurrell. Foi e é efetuado por todos os grandes fotógrafos, só que hoje em dia é feito por processos mais modernos e simples. Os anos se passaram e você pode pensar que há artistas que não necessitam de algum retoque. Particularmente prefiro ao natural, mas até mesmo Audrey Hepburn recebeu alguns. O livro BreakFast At Tiffany’s 50Th revela que as fotos de divulgação do seu mais famoso filme foram mexidas, e as linhas de expressão foram retiradas. As marcas feitas à lápis indicam os lugares onde devem ser feitas as suavizações:

Sim, ela tinha poros

 

Lembre-se: perfeição não existe. E os retoques não são coisas de nosso tempo.

 

Fontes:

The Art of Retouching in the 1930′sMaybe She’s Born With It (Nope),

Breakfast at Tiffany’s 50th Anniversary

George Hurrell’s Hollywood: Glamour Portraits 1925-1992, de Mark A. Vieira

Hurrell’s Hollywood Portraits The Chapman Collection

The Art of Retouching Photographic Negatives – Primary Source Edition

Styling the Stars: Lost Treasures from the Twentieth Century Fox Archive

CONFIRA OUTRAS MATÉRIAS:

 

Comente Aqui!