Grace Kelly: Um Vulcão Coberto de Neve

1544

Segundo o livro “A vida sexual dos Ídolos de Hollywood”, de Nigel Cawthorne, a vida sentimental de Grace Kelly foi bem movimentada. Com a imagem de uma mulher aristocrática, com um rosto suave e modos de princesa, se firmou em Hollywood. Era conhecido do meio o fato de que ela conseguiu muitos papéis através do “teste da cama”. Hedda Hopper chegou a intitulá-la como “ninfomaníaca”. Grace teria perdido a virgindade por acaso: “Fui a casa de uma amiga e ela tinha saído. Fiquei conversando com o seu marido e acabamos na cama”.

Após partir para Nova York, onde iniciaria seus estudos de teatro, a bela loura iniciou um romance com Alexandre D’Arcy, que tinha na época o dobro de sua idade. Segundo D’Arcy, era uma mulher muito fogosa, bastando só toca-la para incendia-la. Pouco tempo depois ela teria um romance rápido com seu professor Don Richardson. Sua família não aprovaria o romance, tendo em vista que Richardson era judeu e divorciado. O professor disse que Grace foi a mulher  mais linda que ele já viu nua.  O próximo da lista foi o xá do Paquistão Aly Khan.

Ao lado de Aly Khan
Grace teria se envolvido com Gary Cooper, Clark Gable (por quem teria se apaixonado perdidamente), Ray Milland, Bing Crosby (enquanto a esposa deste estaria doente), William Holden e o famoso estilista Oleg Cassini.
Com William Holden

Em 1955 Grace foi sondada para um possível casamento com o príncipe Rainier. Seus pais a princípio foram contra o matrimônio, mas se renderam ao charme do Principado de Mônaco. A família de Grace teria investido pesado na cerimônia, já que o príncipe estava falido. Para o casamento, foram feitos exames de fertilidade e Grace explicou ao médico que o hímen havia sido rompido em um jogo de hóquei.

A convivência conjugal durou pouco tempo. Acostumada a um estilo de vida mais livre, Grace sentiu muito a adaptação a uma vida quase monástica, onde todos os seus passos eram seguidos. Apesar de ceder sua imagem e reputação ao principado, sentia-se presa. Finalmente ela se mudou para um local mais confortável em Mônaco, onde pode dedicar-se aos filhos e obras sociais.
A princesa com Rainier

Seu amigo Cary Grant era um dos que permaneciam fiéis. Devido a isso surgiram boatos de que os dois eram amantes.

Fontes:

Hollywood Nua e Crua, de Dulce Damasceno de Brito.
A vida sexual dos Ídolos de Hollywood, Nigel Cawthorne

Comente Aqui!