Victor Mature: Um Pedaço de homem!

922

Victor Mature nunca foi considerado um bom ator, embora em sua carreira tenha aparecido nos mais diversos gêneros como musicais, westerns, épicos e grandes melodramas. E se a estrela creditada em mais de cinquenta filmes não alcançou o status de um ator formidável, em alguns momentos chegou a alcançar a popularidade de astros como Clark Gable e Errol Flynn, também não propriamente conhecidos por seus talentos interpretativos. Descendente de italianos, os Mature vieram para a América  após a primeira guerra mundial, se estabelecendo em Louisville. Único sobrevivente de três filhos, Victor tinha dificuldades na escola, mas se tornou um negociante de sucesso ainda na adolescência.

Seu sonho de se tornar ator fez com que ele juntasse suas economias e partisse para a Califórnia aos vinte e um anos. Foi após ver uma foto sua que o produtor Hal Roach resolveu dar uma chance ao garoto, escalando-o para uma participação em The Housekeeper’s Daughter (1939). O sucesso entre as garotas foi imediato e ele foi escalado em mais alguns filmes B, se tornando conhecido como “um pedaço de homem”.

Mature era conhecido por seu belo porte físico que o levou a participar de vários filmes épicos como Sansão e Dalila (1949), O Manto Sagrado (1953) , Demetrius, O Gladiador (1954), onde sempre tinha a oportunidade de mostrar seu belo peitoral. Com seu usual humor, Groucho Marx chegou a fazer sua famosa piada sobre o astro, durante a estréia de Sansão e Dalila: “É a primeira vez que vejo um peito masculino maior do que o da protagonista”. A protagonista, no caso, era a bela Hedy Lamarr. Outro épico bíblico em que ele esteve presente foi O Egípcio (1954).
Com Richard Burton nos bastidores de O Manto Sagrado
Mas Mature encarava as críticas quanto à sua interpretação sempre com bom humor, chegando a dizer em uma ocasião que usava todos os músculos do seu corpo, exceto os do rosto. Mas apesar da corpulência ~ o ator tinha 1.88 de altura ~ tinha algumas fobias, e uma dela era de leões. Durante as filmagens de Sansão e Dalila (1949) ele quase não conseguia fazer uma cena em que apareceria ao lado de um leão cativo e manso. Cecil B. De Mille até tentou argumentar, dizendo que o leão nem tinha dentes. Mas não teve jeito, um dublê foi utilizado para a cena.
Um leão não…

Um Conquistador

Mature podia ser daltônico, mas enxergava com todas as cores, e de longe uma bela garota. Em sua longa lista, Elaine Stewart, Debra Paget, Carole Landis, Gene Tierney, Veronica Lake, June Haver e Alice Faye. Um dos fatores que podem ter levado às suas conquistas talvez tenha sido sua fama de bem dotado. Esther Williams destacou em sua autobiografia o romance que os dois tiveram enquanto filmavam A Rainha do Mar (1952). A atriz falou que naqueles dias ele era a companhia ideal, já que vivia um período de intensa turbulência durante seu processo de divórcio.

Ao lado de Esther
A sua mais famosa conquista, porém, atende pelo nome de Rita Hayworth. Segundo a biografia “Rita Hayworth: A deusa do Amor” (Joe Morella), os dois se conheceram quando ela estava se separando de Edward Judson em 1941. Nesse período ele também tinha outras ficantes como Lana Turner e Berry Grable, mas por algum bom motivo, Rita se tornou sua preferida. Mature tinha muitos planos de levar a relação adiante, embora sofresse uma intensa campanha contra encabeçada pela fofoqueira Louella Parsons. Rita apreciava sua companhia, mas durante uma viagem de Mature, a intérprete de Gilda conheceria Orson Welles. Bem, era o fim para o casal e o início de uma nova vida para ela.
Victor e Rita no Mocambo Nightclub

 

No total o ator se casou cinco vezes a saber:
Frances Charles (1938 – 1940)
Martha Stephenson Kemp(1941 – 1943)
Dorothy Standford Berry(1948 – 1955)
Adrienne Joy Urwick (1959 – 1969)
Loretta G. Sebena (1974 –1999), com quem teve sua única filha, Victoria

 

Final da carreira

A carreira de Mature findou basicamente no princípio da década de sessenta, quando ele contava 45 anos.  Mas a verdade era que ele estava muito cansado do agito e preferia descansar. “Eu tenho que ter tempo para vadiar, e isso é tudo!”.  A partir de então ele resolveu investir tudo o que ganhou em imóveis e lojas.

O ator chegou a fazer algumas participações durante a aposentadoria, mas não abria mão de seus jogos de golfe durante a semana. Certa vez, quando interpelado por alguns jornalistas sobre sua carreira, respondeu de forma bem humorada: “Na verdade, eu sou um jogador de golfe. Eu nunca fui um ator. Basta perguntar a qualquer um, em particular aos críticos.”.
Ótimo contador de histórias, ele gostava de relembrar a vez em que teve um pedido de adesão ao Los Angeles Country Club rejeitado por ser ator. Na ocasião, Mature chegou a responder: “Não, eu não sou ator, e tenho 70 filmes que provam isso!”. Seus colegas de trabalho, no entanto, afirmam que ele levava seu trabalho a sério.
Nos últimos três anos de vida Mature lutou contra um câncer. Faleceu aos 86 anos em seu rancho na Califórnia, e seus restos mortais foram levados para sua cidade natal, Louisville.
Fontes:http://www.neatorama.com/2012/11/23/Victor-Mature-the-First-Hollywood-Hunk/
Bathing Beauty: The Wet and Wild Life of Esther Williams
http://www.findagrave.com/cgi-bin/fg.cgi?page=gr&GRid=8698
http://www.victormature.net/

Comente Aqui!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorBiografia de José Mojica Marins (Zé do Caixão)
Próximo artigoDe Grant para Grace
Formada em Letras, Design e Especialista em Estudos cinematográficos. É sobretudo uma curiosa sobre o cinema. Fundadora do site Cinemaclássico, estuda cinema desde 2002. Ama Charles Chaplin, Raj Kapoor e navega constantemente em filmes de todo o mundo.