Os Primeiros tempos do Cinema: Distribuição e Surgimento dos grandes Estúdios

185

A indústria cinematográfica começou a expandir-se e se tornar grandiosa ainda no final da década de 10. Nesta matéria que escrevi falo um pouco mais sobre os salários dos atores do cinema mudo. Nessa época, a maior parte das produções eram feitas em um ambiente interiorano. O local que passou a ser conhecido como Hollywood, embora algumas companhias continuassem a funcionar em New Jersey e em Astoria. Hollywood era fundamentalmente bem localizado: ao contrário de outros lugares, o local tinha calor e sol na maior parte do ano, garantindo uma maior liberdade para filmagens.

Lembrando que naquela época os estúdios usavam iluminação natural e eram abertos. Aos poucos, a cidade, antes interiorana, passou a ser habitada por essa gente “estranha”, que invadia suas ruas calmas e começava a construir imensas mansões. Até hoje é possível visitar algumas dessas mansões cercadas por muralhas e bem localizadas em um dos pontos mais caros da América. As de Rodolfo Valentino, Mary Pickford e Harold Lloyd passaram a ser pontos de visitação.

Harold Lloyd em um de seus filmes

Tudo isso só era possível porque a indústria crescia de uma forma assustadora. No início da década de 20, a indústria do entretenimento já era um grande negócio, empregando milhares de pessoas dentro e fora das telas. Os curtas que reinavam na década anterior, começavam pouco a pouco a serem substituídos por médias e longas metragens e os atores e atrizes se tornavam grandes deuses. A improvisação dava lugar a histórias bem planejadas. Os contratos, mais fundamentados e longos. Com o tempo e investimento, as películas, as histórias e pessoas que os faziam se tornavam cada vez maiores.

A América começou a desenvolver gêneros diversos. Os melodramas sempre estavam no topo, mas disputavam atenção com outros como os faroestes, o horror, as aventuras e as comédias. A década ampliou a fama de que Hollywood era um celeiro de estrelas. E muitas foram as que se deslocaram para lá de outros lugares: Greta Garbo, Pola Negri, Ernst Lubitsch, Charles Chaplin, Frank Capra.

Greta Garbo em Wild Orchids, 1929

Alguns se tornavam os queridinhos do público, iniciando um movimento de fãs que consumiam todo tipo de produto ligado ao seu ídolo. Sabendo disto, as companhias montavam esquemas especiais para venderem não só os astros principais, mais também os filmes B através de compras casadas. No “kit” ia um filme principal (com Greta Garbo, por exemplo), e obrigatoriamente dois com astros menos conhecidos. Isso enervava alguns atores que viam seus nomes ligados a outros de menor estrelato, mas garantia aos estúdios os cofres cheios e pagamentos no final do mês. Também não ficavam muito satisfeitos os donos dos cinemas que se viam obrigados a comprar pacotes de filmes.

Alguns estúdios detinham o monopólio dessa distribuição e salas:

1. Warner Bros Pictures, criada pelos irmãos Jack, Harry, Albert e Sam. A Warner se popularizou com a chegada dos filmes falados e tinha como carro chefe os filmes de gangsters e os cartoons.

2. Paramount, fundada em 1916, e que contava com as grandes estrelas como Cecil B. DeMille e Bing Crosby. Mais tarde teria como astro Jerry Lewis.

3. RKO  (Radio Keith Orpheum). Surgida após a venda da antiga Mutual, se tornou conhecida pelos musicais e tinha como astros principais dupla Fred Astaire e Ginger Rogers.

4. MGM (Metro Goldwyn Mayer), anteriormente Metro. O famoso rugido do leão pode ser visto em filmes como E o vento levou e O mágico de Oz. O estúdio com “mais estrelas que o céu” tinha em seu cast astros como Clark Gable, Greta Garbo e Joan Crawford.

5. Fox Film Corporation foi fundado em 1912 por William Fox. Grandes musicais também foram realizados nessa companhia.

Por fora ainda corriam os pequenos estúdios como a Universal Pictures, a  a Columbia Pictures e a United Artists (união dos artistas loucos Chaplin, Mary Pickford e Douglas Fairbanks), que tentavam loucamente sobreviver nesse mundo não menos louco do cinema.

* Texto publicado originalmente em 2007

VEJA TAMBÉM:

Os primeiros tempos do Cinema: como um experimento se tornou uma arte lucrativa

Comente Aqui!