O Galante Mr. Deeds (1936) | Um Clássico que o Tempo Eternizou

1

Um mundo em que os homens de bom coração são tomados como loucos e levados à julgamento. Este ´o mundo que Frank Capra deseja denunciar em O Galante Mr. Deeds, um de seus maiores sucessos. Aqui temos a história de um homem simples, cercado de amigos, e que recebe a notícia de que recebeu uma grande herança. E não é pouco: a fortuna está avaliada em 20 milhões de dólares. Ele não sabe o que fazer com tanto dinheiro. Deseja então fazer o bem. Vamos à sinopse?

A morte do banqueiro Martin W. Semple causa uma corrida para descobrirem que é o misterioso herdeiro de sua fotuna. O sortudo é seu sobrinho Longfellow Deeds (Gary Cooper), um homem que vive em Mandrake Falls, Vermont.  Deeds é um homem simples cuja fonte de renda principal vem de seus poemas. Acompanhado por Cornelius Cobb (Lionel Stander), parte para Nova York sem saber o que o espera. Saber que herdou 20 milhões não muda em nada sua concepção de vida, nem mesmo quando ele se muda para uma grande mansão.

A ingenuidade de Deeds faz com que ele pense que todas as pessoas que o cercam na grande cidade repetem o padrão de sua terra natal. Mas não. Ele é cercado por vigaristas e pessoas interessadas em macular sua imagem. Uma delas é Babe Bennett (Jean Arthur), uma repórter que tem instruções específicas de ridiculariza-lo. Porém, ao conhecer sua “vítima” melhor, Babe começa a perceber o quanto tem agido mal. Ao resolver ajudar outras pessoas, Deeds será tomado como insano, e será levado a julgamento. De coração partido, ele não quer se defender.

Nosso herói confronta-se com a luxúria e a falsidade, mas jamais irá se romper, se tornando um herói para o povo. Ninguém como Gary Cooper para servir de modelo perfeito para o que o diretor imaginara. E para tê-lo no elenco, Capra chegou a esperar meses até que o ator pudesse compor a equipe.

Mesmo que a primeira opção para Babe tenha sido Carole Lombard, Cooper e Arthur acabaram funcionando perfeitamente em cena, e tinham uma química incrível. Arthur passava por momentos tensos naquele período (tinha crises de pânico constantemente), e o ator a ajudava a se tranquilizar enquanto estava ao seu lado. O fato é que a dupla funcionou tão bem que Capra pensou numa sequência. O projeto no final acabou não saindo do papel.

Baseado na história de Clarence Budington Kelland, O Galante Mr. Deeds (Mr. Deeds Goes to Town) chegou em um momento em que a América precisava de filmes que incitassem otimismo. O país ainda se recuperava da Grande Depressão ocorrida em 1929, e o cinema capriano tentava mostrar que apesar de dura, existiam Deeds ainda, e eles deviam ser exaltados. Esse é o tipo de filme que os mais saudosistas exclamam que não se fazem mais. Provavelmente não. No entanto, sua história (talvez com finais não tão felizes) continua atual. Quantos Deeds podemos conhecer? O ser humano caminha para o individualismo, e cada vez temos menos exemplos do que conhecíamos como humanidade. A comparação pode parecer esdrúxula, mas ver um filme de Capra é como ler um livro de auto ajuda melhorado: criam-se certezas de que o bem afinal ainda pode existir. Este é um clássico que merece sempre ser revisto. 

A Classicline acaba de lança-lo em um DVD que pode ser adquirido em qualquer loja do ramo. Você pode compra-lo online na Livraria Cultura.

Cooper, Arthur e Capra nos intervalos de gravação
Poster original

Comente Aqui!