O Meninão (1955)

450

Após roubar um grande diamante, um mafioso o coloca no bolso de Wilbur (Jerry Lewis), um assistente de barbeiro. Ele pretende reavê-lo em breve, mas uma confusão faz com que Wilbur escape com o diamante. Sem dinheiro suficiente para pagar uma passagem inteira, o jovem dá um golpe em uma criança e, roubando sua roupa, transforma-se em um menino de 12 anos. Com a ajuda de Bob Miles (Dean Martin), consegue finalmente comprar meia passagem e embarcar no trem.

E é assim que Wilbur embarca em uma viagem fingindo ser criança e se escondendo no quarto da bela Nancy Collins (Diana Lynn). Nancy é uma professora em uma instituição só para moças, e acaba levando o garoto para passar uns dias lá. O grande problema é que Wilbur se apaixona por ela e tem que lidar com o ciúme de Bob, namorado de Nancy e também com as garotas do local, que tentarão conquistar o novo garoto do pedaço. O problema é que, embora tente agir como uma criança, Wilbur sempre deixará escapar alguma pista sobre quem ele é. hehe

You’re Never Too Young é uma refilmagem de The Major and the Minor, primeiro filme dirigido inteiramente por Billy Wilder e que provou que o roteirista tinha a capacidade de dirigir suas próprias produções. E se em 1944 era inverosímel Ginger Rogers se passar por uma menina de 12 anos para pagar meia passagem, doze anos depois a história continua surreal. Jerry Lewis era excessivamente adulto para enganar quem quer que fosse. Mas é justamente aí que mora a graça: O Meninão é tão irreal que só podemos acreditar que estamos numa comédia fantástica.

No penúltimo filme da dupla, Dean Martin tem poucos e bons momentos, sobretudo naquelas em que ele canta. O melhor é aquele em que ele entoa uma canção enquanto se dirige à estação de trem em busca de sua namorada. O reflexo de Nancy no espelho é um momento fofo.

As gags de Jerry se repetem, como aquelas em que ele come charutos ou bebe misturas estranhas ou age histericamente enquanto se sente confuso. Mas sempre tenho a impressão que ele ao lado de Martin sempre é ligeiramente mais controlado, talvez por dividir as atenções com o galã. E embora saibamos que naquele período de suas vidas a dupla já estava se desfazendo e brigando excessivamente, Martin e Lewis ainda demonstram a velha química que tanto fascinou seu público. Aqui eles ainda são imbatíveis.

O elenco de adolescentes foi totalmente feito com garotas que estavam na mesma faixa etária de Jerry Lewis. Até porque ficaria muito chocante vê-lo flertar com garotinhas sendo um adulto. O filme também traz uma remanescente da primeira versão de Wilder, a atriz Diana Lynn. Em 1944 ela interpretava a pequena adolescente da escola, e nesta versão ela é o alvo amoroso dos dois rapazes. Diana também era uma velha conhecida de Martin e Lewis, tendo atuado ao lado deles em My Friend Irma e My Friend Irma Goes West.

O Meninão foi dirigido por Norman Taurog, que dirigiu a dupla em oito filmes. Após a separação, Taurog voltaria a dirigir Lewis mais duas vezes, em Don’t Give Up the Ship (1959) and Visit to a Small Planet (1960).

 

** O filme acabou de chegar ao Brasil em um lançamento da Obras Primas do Cinema. Ele faz parte do box SESSÃO ESPECIAL JERRY LEWIS & DEAN MARTIN, que traz dois filmes remasterizados em idiomas originais e dublagens clássicas. O outro filme é Ou Vai ou Racha. Você pode comprar o box em qualquer loja do ramo ou online na lojinha da Colecione Clássicos. Clique na imagem abaixo para ser redirecionado:

 

Comente Aqui!