Será que Ele É? (In & Out, 1997)

199

A vida de Howard (Kevin Kline) , um pacato professor de uma escola do interior anda bem nos eixos. Ele é admirado por seus alunos, tem pais maravilhosos, tem vizinhos que o amam e está de casamento marcado com Emily (Joan Cusack). Esta esperou três anos até que emagrecesse o suficiente para entrar no tão sonhado vestido de noiva de seus sonhos.

A cidade pequena também está em polvorosa. Um de seus mais ilustres morados, Cameron Drake (Matt Dillon), um ex-aluno de Howard, está concorrendo ao Oscar por sua performance como um soldado gay. Claro que não é preciso dizer que todos se reúnem para assistir à cerimônia. Ele ganha e muda a vida de Howard completamente ao dedicar aquele Oscar ao professor que lhe ensinou a amar Shakespeare e que era… gay.

A partir daí a rotina de Howard virará de ponta cabeça. Seus pais, vizinhos e alunos o questionarão e  um batalhão de repórteres, dentre eles Peter (Tom Selleck sem seu famoso bigode) irão correr atrás de pistas que evidenciem se ele é ou não é.

“Sair do armário”, um termo bastante usado, deveria ser algo tão natural quanto é assumir um relacionamento heterossexual, afinal ninguém tem nada a ver com a orientação sexual do ouro. Mas não é assim na maior parte das vezes. O que gosto neste filme realizado na década de 90 (e você tem que ter em vista isso antes de acusa-lo de algum tipo de preconceito) é a forma leve como trata o tema.

Todos parecem chocados, mas aos poucos, quase didaticamente, começam a perceber que como cada um tem suas particularidades, Howard também tem a sua. O que era uma discussão sobre ele ser ou não gay se tornou algo ainda maior quando as pessoas passaram a enxergar de outra forma a discussão sobre o assunto.

Assista ao filme e relembre uma das cenas mais memoráveis, quando Howard ainda tenta provar para si mesmo que ele é o que as pessoas (e ele mesmo) deseja ser.

O que posso dizer é que adoro esse filme por vários motivos, um deles é a presença de atores tão queridos como Debbie Reynolds, Joan Cusack, Tom Selleck e claro Kevin Kline. E claro pelo que já citei, a forma leve como trata esse tema. Consegui perceber até algumas falas que me tinha deixado passar de outras vezes que tive oportunidade de assistir. Você quando for rever também perceberá. Uma das cenas principais é aquela em que as velhinhas da cidade se reúnem para se abrirem e descobrirem que cada um também tem seus segredos, e que eles não são grandes coisas quando abrimos para os outros. Talvez para nós. Para os outros não.

*  Será que ele é está sendo lançado pela Classicline e encontra-se à venda com exclusividade na Livraria Cultura. Clique na imagem para ser redirecionado:

 

 

 

 

 

Será que ele é (1997)
Eu amo esse filme por vários motivos, um deles é a presença de atores tão queridos como Debbie Reynolds, Joan Cusack, Tom Selleck e claro Kevin Kline. E claro pela forma leve como trata esse tema. Consegui perceber até algumas falas que me tinha deixado passar de outras vezes que tive oportunidade de assistir. O que posso dizer é que ele é tudo menos preconceituoso. Ele mostra a forma como as pessoas podem se chocar (nem era pra se chocar com isso), mas que depois percebem o quanto é bobo julgar as pessoas por sua sexualidade. Vejam de forma leve. Está sendo lançado pela Classicline e logo mais farei uma resenha a respeito.

Comente Aqui!