Uma Janela para o Céu (1975)

561
THE OTHER SIDE OF THE MOUNTAIN, Marilyn Hassett, Beau Bridges, 1975

* O texto possui spoilers *
Os anos 70 foram curiosos… Os Beatles estavam se separando, a guerra do Vietnã parecia longe de acabar, os conflitos raciais se tornavam cada dia mais acaladorados ao mesmo tempo que surgia uma geração paz e amor. Nesse tempo de tantas transformações, é impressionante como um gênero cinematográfico tenha agradado tanto o público. Falo dos melodramas. É impressionante a quantidade de filmes feitos para chorar: Love Story (1970), Nosso Amor de Ontem (1973) e Sementes de Tamarindo (1974) são alguns deles. Por algum motivo, as pessoas gostavam de assistir histórias cujos personagens sofressem tanto que os fizessem também chorar. Nesse ponto, há um que se destacou como o mais dramático deles: Uma Janela para o Céu (The Other Side of the Mountain). Some-se a isso um acontecimento real e você terá os ingredientes certos para o sucesso.

Narrado em primeira pessoa, o drama mostra a trajetória de Jill Kinmont, uma jovem que tinha uma vida normal. Saia com as amigas, tinha flertes com os rapazes mais interessantes da escola, e que dedicava-se veemente ao esqui, sua grande paixão. Preparando-se para os jogos de inverno, ela sofre um terrível acidente que mudará toda sua vida. Paralisada do pescoço para baixo, terá que reaprender a viver com suas limitações. Questionará também a maneira como os deficientes físicos são vistos pela sociedade. Ela começa a namorar com Dick (Beau Bridges), e aparentemente a vida começa a entrar nos eixos. Mas… Como se não bastasse, seu namorado morre em um acidente aéreo. Pronto, e agora?

Caso não tenha assistido a esse filme, prepare seus lenços. Lendo comentários sobre ele, percebo que muitos ainda lembram de ter chorado copiosamente nas salas de cinema, ou na sessão da tarde. Talvez concorrendo diretamente com A Lagoa Azul, esse foi um dos mais reprisados na tv brasileira. A intenção clara era mostrar que há como se superar, até mesmo quando lidamos com um problema tão grave como este. Com fé e esperança, Jill tentará trilhar seu caminho da melhor maneira. Mas era mesmo preciso uma música tão dolorosamente triste?

Como eu falei um pouco mais acima, o drama foi baseado em uma história real. Jill de fato existiu. A ex-atleta ficou tetraplégica aos 19 anos. Em 1955 ela se apaixonou por Dick Buek. Os dois passaram muito tempo juntos enquanto ela se reabilitava. Dick a pediu em casamento mas faleceu antes em um acidente aéreo. Tinha apenas 27 anos. Posteriormente Jill voltaria a se apaixonar. Abaixo uma foto dos dois:

Jill antes do acidente

 

Jill e Dick

Dirigido por Larry Peerce, Uma Janela para o Céu trouxe notoriedade para Marilyn Hassett. A atriz foi selecionada após testes com várias atrizes, e recebeu naquele ano o globo de ouro de revelação. Ela ganhou também o coração do diretor, e os dois chegaram a se casar. O filme fez tanto sucesso que foi feita uma continuação que mostrava a vida da ex-atleta após perder Dick.

 

* Uma Janela para o Céu está sendo lançado pela Classicline em versão dublada e legendada. Pode ser encontrado em qualquer loja do ramo ou online. Clique na imagem para adquirir:

Comente Aqui!