O que os Cineastas famosos acham de outros Cineastas

1080
Bons cineastas, eles também amavam ou detestavam seus colegas em igual medida. Sem papas na língua disseram o que pensavam dos colegas e suas influências.
Orson Welles
Orson Welles sobre René Clair : Um verdadeiro mestre: ele inventou sua própria Paris, o que é melhor do que simplesmente reproduzi-la.Orson Welles sobre Federico Fellini : Seus filmes são o sonho de um garoto de cidade pequena sobre uma cidade grande. Ele mostra sinais de um artista superlativo com pouco a dizer.

Orson Welles sobre Stanley Kubrick: dessa geração mais jovem, Kubrick me parece um gigante.

Orson Welles sobre Jean-Luc Godard: Seus dons como um diretor são enormes. Eu apenas não posso levá-lo muito a sério como um pensador.

Orson Welles sobre John Ford: Eu prefiro os velhos mestres:John Ford , John Ford e John Ford .

Orson Welles sobre Woody Allen: Eu odeio o Woody Allen. Fisicamente, eu não gosto desse tipo de homem, nunca entendi o porquê. Você conheceu ele? Oh, sim. Eu mal posso suportar a falar com ele. Ele tem a mesma doença que o Charles Chaplin. Essa combinação particular de arrogância e timidez me irritam profundamente… Como todas as pessoas com personalidades tímidas, sua arrogância é ilimitada.

Ingmar Bergman

Ingmar Bergman sobre Jean-Luc Godard: Eu nunca gostei de seus filmes. Sempre os achei cinematograficamente interessantes e infinitamente chatos. Godard é um chato que fez os filme para os críticos.

Ingmar Bergman sobre Orson Welles: Para mim é vazio e desinteressante. Está morto. Cidadão Kane (1941), que eu tenho uma cópia é um filme querido por todos os críticos, mas eu o acho um tédio total. Acima de tudo, as performances são inúteis. O respeito que as pessoas tem com o filme é absolutamente inacreditável.

Ingmar Bergman sobre Michelangelo Antonioni: Fellini, Kurosawa e Buñuel movem-se no mesmo campo tal como Tarkovsky. Antonioni estava a caminho, mas expirou, sufocado por seu próprio tédio.

Ingmar Bergman sobre Andrei Tarkovsky : ele é o diretor mais importante de todos os tempos.

François Truffaut

François Truffaut sobre Kenji Mizoguchi: Ele é o maior dos cineastas japoneses, sem dúvda um dos maiores cineastas.

François Truffaut sobre Michelangelo Antonioni: Antonioni é o único diretor importante sobre o qual não tenho nada bom para dizer. Ele me entedia; é tão solene e sem graça.”

François Truffaut sobre Steven Spielberg: Eu não o conheço pessoalmente e não acho que seus filmes são muito bons.

François Truffaut sobre Robert Bresson: Bresson está para o cinema francês como Mozart Wolfgang Amadeus Mozart está para a música alemã e Dostoievski Fyodor Dostoevsky para a literatura russa.

François Truffaut sobre Orson Welles: eu devo tudo a ele.

Stanley Kubrick

Stanley Kubrick sobre os demais cineastas: Eu acredito que Ingmar Bergman , Vittorio De Sica e Federico Fellini são os únicos três cineastas no mundo que não são apenas oportunistas artísticas.

Stanley Kubrick sobre Charles Chaplin: Ninguém poderia ter feito um filme de uma forma mais prosaica do que Chaplin.

Federico Fellini

Federico Fellini sobre Akira Kurosawa: Eu acho que ele é o maior exemplo de tudo o que um dos cineasta deve ser. Eu sinto uma afinidade fraterna com a sua maneira de contar uma história.

Clint Eastwood sobre Spike Lee: Um cara como ele devia calar a boca.

Alex Cox sobre Steven Spielberg: Spielberg não é um cineasta, é um confeiteiro.

Jean Renoir sobre Orson Welles: ele é um animal feito para a tela e do palco. Quando está atrás das telas é como se o resto do mundo deixasse de existir.
Sergio Leone Sobre Orson Welles: Ele era um homem duro e temperamental. Ele quebrava telefones e beba. Mas ele também pode ser sensível. De qualquer forma, eu o achobfascinante. Eu tenho infinita admiração por sua direção.
Michelangelo Antonioni sobre François Truffaut: Eu acho que seus filmes são como um rio, adorável para ver, para tomar banho, extraordinariamente refrescante e agradável. Em seguida, a água flui e se foi e sobre pouco da sensação agradável. Me sinto sujo de novo e preciso de outro banho. Truffaut de deixar-me indiferente.
Roman Polanski sobre François Truffaut , Claude Lelouch , e Jean-Luc Godard : Pessoas como Truffaut, Godard Lelouch e são como crianças brincando de ser revolucionários. Eu já passei por essa fase. Eu vivi num mundo em que as coisas eram de verdade.

Francis Ford Coppola sobre Akira Kurosawa : A maioria dos diretores tem uma obra-prima pela qual eles são conhecidos, ou possivelmente duass. Kurosawa tem pelo menos oito ou nove. Ele é um dos maiores diretores de sempre a trabalhar no cinema. Seus filmes me ajudaram muito no início de minha carreira.

Francis Ford Coppola sobre Steven Spielberg: ele é único. Sinto que os tipos de filmes que ele ama são os mesmos tipos de filmes que o grande público de massa também ama.
Francis Ford Coppola sobre Ingmar Bergman: de todos o meu favorito. Ele encarna a paixão, emoção e o calor.
Akira Kurosawa

Akira Kurosawa sobre Kenji Mizoguchi: Eu tenho um enorme respeito por ele. Com sua morte o cinema japonês perdeu um dos seus verdadeiros criadores.

Akira Kurosawa sobre Satyajit Ray: Nunca ter visto um filme de Satyajit Ray é como nunca ter visto o sol ou a lua.

Werner Herzog

Werner Herzog sobre Jean-Luc Godard: Alguém como Godard é para mim uma fraude intelectual quando comparado a um bom filme de kung-fu.

Werner Herzog sobre Abel Ferrara: Não não faço a mínima ideia de quem seja Abel Ferrara. Mas deixe-o lutar contra os moinhos de vendo… Nunca vi um filme dele. Ele é italiano? É francês? Quem é ele?

Martin Scorsese

Martin Scorsese sobre Stanley Kubrick: Um de seus filmes é equivalente a dez de outra pessoa. Assistindo a um filme de Kubrick é como olhar-se no topo de uma montanha. Você olha para cima e admira como alguém poderia ter subido tão alto.

Martin Scorsese sobre Stanley Kubrick: É realmente uma pessoa com uma poderosa capacidade de contar histórias. Um talento … um gênio.

Martin Scorsese sobre Akira Kurosawa: O termo “gigante” é usado muitas vezes para descrever artistas. Mas, no caso de Akira Kurosawa, temos um dos raros casos em que o termo se encaixa.

Alfred Hitchcock

Alfred Hitchcock sobre Michelangelo Antonioni e seu filme Blow-Up – Depois Daquele Beijo (1966): esse jovem italiano está começando a me preocupar.

Alfred Hitchcock sobre Federico Fellini: esse companheiro italiano está a cem anos a frente de nós.

Comente Aqui!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorBiografia de Monica Vitti
Próximo artigoMelhores Trilhas Sonoras de Max Steiner
Especialista em Cinema Clássico e Crítica Literária, é sobretudo uma curiosa. Fundadora do site Cinemaclássico, estuda o cinema desde 2002. Ama Charles Chaplin, Raj Kapoor e navega constantemente em filmes de todo o mundo.