Virna Lisi

Dados Pessoais

Nome: Virna Pieralisi
Nascimento e local: 08/11/1936, Marche, Italia
Morte: Roma, 18 de dezembro de 2014)
Ocupação: atriz
Nacionalidade: italiana
Casamentos: Franco Pesci
Filhos: 1

Biografia

Virna Pieralisi, seu verdadeiro nome, nasceu em Ancona, em 8 de novembro de 1937, e se mudou mais tarde para a capital italiana com a família. Entre 1954 e 1956 trabalhou em vários filmes de pouca visibilidade, até ser convidada por Francesco Maselli para ter aquela que seria sua primeira grande oportunidade em La Donna del Giorno (1957). Em 1962, foi contratada por Joseph Losey para o filme Eva, com Jeanne Moreau e Stanley Baker. Logo no ano seguinte, rodou A Tulipa Negra, com Alain Delon.

Foi depois disso que teve sua primeira oportunidade em Hollywood, onde chegou a ser considerada a nova Marilyn Monroe por suas marcantes madeixas loiras. Lá fez Como Matar Sua Esposa (1965), com Jack Lemmon, e Assalto a um Transatlântico (1966), com Frank Sinatra. Com essas produções, Virna passou a formar com Sofia Loren e Claudia Cardinale o trio mais cotado da Itália.

Sua carreira não se limitou ao cinema, tendo passado também pelo teatro e a televisão, nesse último alcançando enorme fama. Em 1969, trabalhou na peça Otello de Enrico Maria Salerno e, anos mais tarde, interpretou à irmã do filósofo Nietzsche em Para Além do Bem e do Mal. Virna alcançou grande reconhecimento por seu trabalho na série de televisão ...E la Vita Continua (1984), de Dino Risi, por refletir a evolução de uma família burguesa.

Sua carreira no cinema termina com a diretora Cristina Comencini, com quem trabalhou em Vá Onde Seu Coração Mandar (1996) e em O Mais Belo Dia de Nossas Vidas (2002).



Filmografia

La corda d'acciaio, de Carlo Borghesio (1953)
E Napoli canta, de Aldo Grottini (1953)
Violenza sul lago, de Leonardo Cortese (1954)
Il Cardinale Lambertini, de Giorgio Pastina (1954)
Piccola santa, de Roberto Bianchi Montero (1954)
Ripudiata, de Giorgio Chili (1954)
Desiderio 'e sole, de Giorgio Pastina (1954)
Lettera napoletana, de Giorgio Pastina (1954)
Il vetturale del Moncenisio, de Guido Brignone (1954)
La rossa, de Luigi Capuano (1955)
Le diciottenni, de Mario Mattoli (1955)
Vendicata!, de Giuseppe Vari (1955)
Luna nuova, de Luigi Capuano (1955)
Addio Napoli!, de Roberto Bianchi Montero (1955)
La piccola guerra, de Arthur Joffè (1955)
Lo scapolo, não creditada, direção de Antonio Pietrangeli (1955)
La donna del giorno, de Francesco Maselli (1956)
Il conte di Matera, de Luigi Capuano (1957)
Totò, Peppino e le fanatiche, de Mario Mattoli (1958)
Vite perdute, de Andrea Bianchi (1958)
Il mondo dei miracoli, de Luigi Capuano (1959)
Il padrone delle ferriere, de Anton Giulio Majano (1959)
Caterina Sforza, la leonessa di Romagna, de Giorgio Chili (1959)
Un militare e mezzo, de Steno (1960)
Sua Eccellenza si fermò a mangiare, de Mario Mattoli (1961)
Romolo e Remo, de Sergio Corbucci (1961)
5 marines per 100 ragazze, de Mario Mattoli (1962)
Eva, de Joseph Losey (1962)
Il giorno più corto, de Sergio Corbucci (1963)
Il delitto Dupré, de Christian-Jaque (1963)
Il tulipano nero, de Christian-Jaque (1964)
Agente Coplan: missione spionaggio, de Maurice Labro (1964)
La donna del lago, de Luigi Bazzoni e Franco Rossellini (1965)
Oggi, domani, dopodomani, de Eduardo De Filippo (1965)
Come uccidere vostra moglie, de Richard Quine (1965)
Le bambole, de Dino Risi (1965)
Casanova '70, de Mario Monicelli (1965)
Made in Italy, de Nanni Loy (1965)
Signore & signori, de Pietro Germi (1966)
Una vergine per il principe, de Pasquale Festa Campanile (1966)
U-112, assalto al Queen Mary, de Jack Donohue (1966)
Not With My Wife, You Don't!, de Norman Panama (1966)
La venticinquesima ora, de Henri Verneuil (1967)
La ragazza e il generale, de Pasquale Festa Campanile (1967)
Arabella, de Mauro Bolognini (1967)
Le dolci signore, de Luigi Zampa (1968)
Meglio vedova, de Duccio Tessari (1968)
Il suo modo di fare, de Franco Brusati (1969)
If It's Tuesday, This Must Be Belgium, de Mel Stuart (1969)
L'arbre de Noël, de Terence Young (1969)
The Secret of Santa Victoria, de Stanley Kramer (1969)
Tempo di violenza, de Sergio Gobbi (1970)
Giochi particolari, de Franco Indovina (1970)
La statua, de Rodney Amateau (1971)
Il bel mostro, de Sergio Gobbi (1971)
Roma bene, Carlo Lizzani (1971)
Improvvisamente una sera… un amore, de Sergio Gobbi (1972)
Barbablù, de Edward Dmytryk (1972)
Il serpente, de Henri Verneuil (1973)
Zanna Bianca, de Lucio Fulci (1973)
Il ritorno di Zanna Bianca, de Lucio Fulci (1974)
Al di là del bene e del male, de Liliana Cavani (1977)
Ernesto, de Salvatore Samperi (1979)
Bugie bianche, de Stefano Rolla (1980)
La cicala, de Alberto Lattuada (1980)
La donna giusta, de Paul Williams (1982)
Sapore di mare, de Carlo Vanzina (1983)
Amar

Rate this item
(6 votes)
Carla Marinho

Especialista em Cinema Clássico e Crítica Literária, é sobretudo uma curiosa. Fundadora do site Cinemaclássico, estuda o cinema desde 2002. Ama Charles Chaplin, Raj Kapoor e navega constantemente em filmes de todo o mundo. 

Website: www.facebook.com/carlaamarinho

Leave a comment

PUBLICAÇÕES

« January 2017 »
Mon Tue Wed Thu Fri Sat Sun
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31          

Mais Populares

Mais Recentes

Douglas Fairbanks, Sr

Douglas Fairbanks, Sr

05 November 2016
Mickey Rooney

Mickey Rooney

04 November 2016
Montgomery Clift

Montgomery Clift

04 October 2016

Photo Gallery