18 Filmes das décadas de 70 e 80 que te farão chorar

2710

O início dos anos 70 trouxe uma leva de melodramas que levavam muitos às lágrimas. Muitos cineastas passaram a investir no gênero, ao perceber que ele fazia sucesso tanto nos cinemas quanto na televisão. A onda de lágrimas varreu os cinemas até a década de 80, deixando alguns filmes marcantes que falavam sobre dramas pessoais, romances impossíveis e renascimento. Confira alguns exemplos:

Amor Sem Fim (Endless Love, 1981), de Franco Zeffirelli: O filme conta a história de David (Martin Hewitt) e Jade (Brooke Shields), um casal de jovens namorados que enfrentam a oposição da família ao namoro.
Castelos de Gelo (Ice Castles, 1978), de Donald Wyre: O filme conta a história de uma patinadora adolescente, que após se transformar em uma grande campeã mundial, sofre um acidente que a deixa cega. Alexis terá que se reinventar.
Amargo Regresso (Coming Home, 1978), de Hal Ashby: Sally (Jane Fonda) se apaixona por um veterano de guerra que ficou paraplégico na guerra. O romance terá consequências trágicas quando ele descobrir que ela já é casada.
A Difícil Arte de Amar (Heartburn), de Mike Nichols: Esse é um pouco mais leve. Rachel (Meryl Streep) se casa com Mark (Jack Nicholson) após um breve namoro. Quando está grávida, descobre que seu marido a trai constantemente.
Sementes de Tamarindo (The Tamarind Seed, 1974), de Blake Edwards: Judith (Julie Andrews), uma funcionária inglesa, se apaixona por Feodor (Omar Sharif), um diplomata russo. O romance irá desagradar a todos, que farão de tudo para que eles terminem tudo.
Sede de Amar (Duet for One, 1986), de Andrei Konchalovsky: Stephanie (Julie Andrews) é uma violinista famosa. Sua vida é mudada quando descobre que tem esclerose múltipla e seu marido a trai.
Kramer vs. Kramer (1979), de Robert Benton: Após ser abandonado pela esposa Joanna (Meryl Streep), Ted divide-se entre o trabalho e os cuidados com o filho. Quando ele já está ajustado, sua esposa retorna para um longo processo pela custódia do filho.
Nosso Amor de Ontem (The Way We Were, 1973), de Sydney Pollack: Katie (Barbra Streisand) é uma judia ativista que é apaixonada por Hubbell (Robert Redford), um protestante. Mesmo com tantas diferenças, eles irão se casar, mas as dificuldades logo surgirão.
Em Algum Lugar do Passado (Somewhere in Time, 1980), de Jeannot Szwarc: A história de um homem que viaja no tempo para ir em busca de sua amada foi um dos maiores sucessos da década de 80 no Brasil. Confira mais em nossa matéria.
O Outro Lado da Meia Noite (The Other Side of Midnight, 1977), de Charles Jarrott: Baseado no livro de Sidney Sheldon, conta a história de Noelle, uma famosa atriz que se envolve com um magnata grego. Apesar disso, ela não consegue esquecer seu ex amante. Leia mais em nossa matéria.
Love Story – Uma História de Amor (Love Story, 1970), de Arthur Hiller: Amar é nunca ter que pedir perdão. Bem, a maioria das pessoas não concorda com essa frase, mas na década de 70 ela fez um grande sucesso graças a esse filme. Ele mostra a história de amor entre Oliver (Ryan O’Neal) e Jenny (Ali MacGraw). O pai de Oliver não aceita o romance, e ao tentar engravidar, ela descobre que tem uma doença fatal.
Uma Janela para o Céu (The Other Side of the Mountain, 1975), de Larry Peerce: Jill Kinmont é uma esquiadora muito talentosa. Durante uma competição, sofre um acidente grave que a deixará tetraplégica. Leia mais em nossa matéria.
Houve uma VEz um Verão (Summer of ’42, 1971), de Robert Mulligan: adolescente relembra um certo verão em que conheceu e se apaixonou por Dorothy (Jennifer O’Neill), uma mulher mais velha. Leia mais em nossa matéria.
Sunshine, um dia de sol (Sunshine, 1973), de Joseph Sargent: Kate (Christina Raines) descobre que tem um câncer terminal em sua perna. Para se salvar terá que tirar a perna. Mas ela se recusa a fazer a cirurgia, deixando palavras de sabedoria para sua filha.

 

Laços de Ternura (Terms of Endearment, 1983), de James L. Brooks: O filme mostra a relação nem sempre alegre, mas cheia de afeto entre mãe e filha.
Marcas do Destino (Mask, 1985), de Peter Bogdanovich: Rocky é um adolescente amado por todos, mas que sofre de uma rara deformidade facial. Sua mãe Rusty (Cher) irá ajuda-lo a lidar com as dificuldades.
A Escolha de Sofia (Sophie’s Choice, 1982), de Alan J. Pakula: Sophie (Meryl Streep) é uma sobrevivente dos campos de concentração e guarda muitos segredos.
O Campeão (The Champ, 1979), de Franco Zeffirelli: Billy (Jon voight) é um ex-campeão de boxe que está afastado da carreira por causa o seu alcoolismo. Incentivado pelo filho TJ (Ricky Schroder), ele tentará lutar outra vez. Nossa, tristíssimo.

 

Comente Aqui!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorThe Castle, a casa que Rock Hudson chamou de lar
Próximo artigoMelhores Filmes de Vincente Minnelli
Especialista em Cinema Clássico e Crítica Literária, é sobretudo uma curiosa. Fundadora do site Cinemaclássico, estuda o cinema desde 2002. Ama Charles Chaplin, Raj Kapoor e navega constantemente em filmes de todo o mundo.