Melhores Filmes de Gregory Peck

650

Gregory Peck iniciou a carreira no teatro, mas foi no cinema que se consagrou. O ator vencedor de um Oscar por O Sol é Para Todos foi creditado em 29 filmes ao longo de seis décadas de carreira. E ele incorporou personagens diversos, se tornando um nome conhecido não só na América mas em todo o mundo. Confira alguns de seus melhores filmes:

Quando fala o coração (Spellbound, 1945), de Alfred Hitchcock. A dra. Constance Petersen trabalha como psicóloga em uma clínica para doentes mentais. Ela começa a trabalhar com um colega estranho, o dr. Edwards, que não é quem parece. Com Ingrid Bergman.
Duelo Ao Sol (Duel in the Sun, 1946), de King Vidor, David O. Selznick e William Dieterle. Em uma fazenda, os filhos de um barão do gado do Texas brigam entre si e vão até às últimas conseqüências pelo amor de uma mestiça. Com Jennifer Jones.
Virtude Selvagem (The Yearling, 1946), de Clarence Brown. Jody Baxter mora com os pais em uma fazenda na Flórida. Ele os convence a adotar um filhote de cervo como animal de estimação, mas essa amizade fica comprometida à medida que o filhote cresce e começa a destruir tudo o que vê pela frente.
A Luz é Para Todos (Gentleman’s Agreement, 1947), de Elia Kazan. O jornalista Phil Green se muda para Nova York e recebe a tarefa de escrever uma matéria sobre o antissemitismo. Para ter uma perspectiva real, ele finge ser judeu e começa a ser alvo de preconceito. Com John Garfield.
Almas em Chamas (Twelve O’Clock High, 1949), de Henry King. Em 1942, uma unidade da Força Aérea americana estacionada na Inglaterra enfrenta problemas de moral, até que o general Frank Savage assume o comando. Por meio de sua forte liderança, ele transforma a unidade.
O Matador (The Gunfighter, 1950), de Henry King: Jimmy Ringo é um pistoleiro com fama de “rápido no gatilho”. Em 1880, durante uma de suas viagens, ele decide parar em Cayene, uma pequena cidade do Oeste. E seus objetivos são nobres: ver o filho e reencontrar o grande amor de sua vida. Ringo é amigo do delegado da cidade, que o protege da curiosidade dos locais. O problema é que um homem vingativo de seu passado e outros competidores descobrem que ele está na cidade e começam a armar emboscadas e a desafiá-lo constantemente para duelos.
A Princesa e o Plebeu (Roman Holiday, 1953), de William Wyler: A princesa Ann está entediada e resolve se divertir anonimamente por Roma. Em seu caminho surge Joe Bradley, um repórter que a leva para vários locais e acaba se aproximando cada vez mais. Com Audrey Hepburn.
O Homem do Terno Cinzento (The Man in the Gray, 1956), de Nunnally Johnson. Tom Rath é um pai de família suburbano que é atormentado por suas memórias da Segunda Guerra Mundial e pelo romance que teve com uma moça chamada Maria, que lhe deu um filho ilegítimo, mas que ele nunca conheceu. Tom é pressionado por sua esposa infeliz a pegar um trabalho de boa remuneração e acaba sendo empregado como relações públicas na rede de televisão do presidente Ralph Hopkins. Levado pelo veneno da política do escritório, Tom tem que decidir entre sua carreira ou sua família. Com Jennifer Jones.
Moby Dick (1956), de John Huston. O capitão Ahab embarca em uma jornada perigosa com um único objetivo: caçar Moby Dick, a baleia que arrancou sua perna. Com sede de vingança, ele arrisca a sua vida e a de sua tripulação para encontrar e matar o animal, custe o que custar.
Da Terra Nascem os Homens (The Big Country, 1958), de William Wyler. m capitão da marinha se aposenta e vai ao Texas para se casar com sua noiva, Pat Terrill, cujo pai está envolvido em uma luta cruel sobre os direitos de água para o gado. Porém, o mau comportamento de Pat o leva a mudar de ideia sobre o casamento..
A Hora Final (On the Beach, 1959), de Stanley Kramer. A tripulação de um submarino americano parte para a Austrália, único lugar ainda habitável depois que a radiação destrói o planeta na 3ª Guerra Mundial.
Os Canhões de Navarone (The Guns of Navarone, 1961), de J. Lee Thompson, Alexander Mackendrick. Duas armas alemãs poderosas controlam os mares na ilha grega de Navarone, impedindo a saída das tropas britânicas de uma ilha vizinha. Contra chances mínimas, um esquadrão enfrenta mares tempestuosos e colinas imponentes e tenta destruir os canhões.
Círculo do Medo (Cape Fear, 1962), de J. Lee Thompson. Max Cady (Mitchum) é um perigoso psicopata que acaba de sair da prisão. Ele tentará se vingar de Sam (Gregory Peck), um advogado que contribuiu para que ele fosse preso.
A Conquista do Oeste (How the West Was Won, 1962), de John Ford, Henry Hathaway e outros. Partindo para uma viagem para o oeste nos anos 30, a família Prescott vai de encontro à um homem chamado Linus, que os ajuda a lutar contra um grupo de ladrões. Linus se casa com Eve Prescott e trinta anos depois, vai para uma guerra civil com o filho deles. A irmã de Eve, Lily, vai mais para o interior do oeste e se aventura com um apostador de jogos, indo até São Francisco, em 1880.
O Sol é Para Todos (To Kill a Mockingbird, 1962), de Robert Mulligan. O filme é baseado no livro de Harper Lee sobre uma cidade cheia de preconceitos no sul dos Estados Unidos na década de 30. A história é contada sob a perspectiva de duas crianças cujo pai é um advogado liberal que defende um lavrador negro acusado de estupro.

Comente Aqui!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorA Bela Lola (1962)
Próximo artigoBiografia de Linda Darnell
Formada em Letras, Design e Especialista em Estudos cinematográficos. É sobretudo uma curiosa sobre a sétima arte. Fundadora do site Cinemaclássico, estuda cinema desde 2002. Ama Charles Chaplin, Raj Kapoor e navega constantemente em filmes de todo o mundo.