Melhores Trilhas Sonoras de John Barry

1816
John Barry é simplesmente um dos compositores que mais amo. Se fizesse uma lista com meus 10 maiores, com certeza entraria nas primeiras colocações. E não é por menos. Sem pesquisa poderia apontar já algumas sugestões de um dos mais aclamados compositores das últimas décadas. Indicado ao Oscar, recebeu 5 estatuetas ao longo da carreira que foi longa.
Nascido na cidade de York (Inglaterra) em 3 de novembro de 1933, começou a vida já observando seu pai, que tinha algumas salas de projeção. Iniciava-se ali uma paixão que o acompanharia em toda sua vida. Após ser dispensado do exército, estudou seus primeiros instrumentos e criou a “The John Barry” em 1957. O ano seguinte marcaria o início de sua jornada nos filmes, ao aceitar compor para filmes televisivos. Composições realizadas para Never Let Go (1960), Mix Me a Person (1962) e outros, acabaram por chamar a atenção dos produtores da série 007. Chamado para criar o tema para Dr. No (1962), iniciaria uma parceria duradoura que resultariam em algumas das composições mais conhecidas do cinema.

As composições de Barry se adequavam em demais ao tema proposto. Em  Goldfinger (1964) observamos uma predileção pelo jazz enquanto que influências da música russa são refletidas em suas criações românticas. Barry utilizava-se, sobretudo em sua última fase, de instrumentos de cordas, trazendo um lirismo empregado de sentimentalismo. As mudanças constantes dentro das composições traziam um contraste bastante melancólico,  observados em temas como Em Algum Lugar do Passado (1980) e Sementes de Tamarindo (1974).

Já aclamado, mudou-se para os Estados Unidos em 1975. Casou-se ao todo quatro vezes: com Barbara Pickard (1959-63), Jane Birkin (1965-68), Jane Sidey (1969-78) e Laurie (1978 até sua morte).  Foi com lamento que o mundo soube de sua morte em 30 de janeiro de 2011, após sofrer um ataque cardíaco. Tinha 77 anos. No mesmo ano, um concerto foi feito em sua homenagem. A ele todo nosso amor e essa lista que traz algumas de suas composições mais marcantes:
Goldfinger (1964)

 

Nascido Livre (1966)

O leão no inverno (1968)

Perdidos na noite” (1969)

Mary Stuart (1971)

Em algum lugar no Passado (1980)

Corpos Ardentes (1980)

Frances (1982)

Entre Dois Amores (1985)

 

Peggy Sue – Seu Passado a Espera (1986)

Danças com lobos (1990)

Chaplin (1992)

Proposta Indecente (1993)

A Letra Escarlate (1995)

Comente Aqui!

COMPARTILHAR
Artigo anterior12 Homens e uma Sentença (1957/1997)
Próximo artigoOs Amores de Judy Garland
Especialista em Cinema Clássico e Crítica Literária, é sobretudo uma curiosa. Fundadora do site Cinemaclássico, estuda o cinema desde 2002. Ama Charles Chaplin, Raj Kapoor e navega constantemente em filmes de todo o mundo.