Editora Estronho lança livro sobre Cinemas de Horror

31

O gênero de terror está entre os gêneros mais explorados pela cinematografia. Com um público cativo, possui nuances típicas de cada país que o produz. O livro Cinemas de Horror, lançado pela Editora Estronho, traz uma série de artigos explorando algumas dessas nuances, desde o terror italiano, passando por José Mojica e o horror mexicano. O prefácio é escrito por Carlos Primati, que se dedica a anos ao gênero e viaja o Brasil contando um pouco da história do terror e suas características peculiares.

O livro é resultado dos vários encontro do grupo de Estudos de Cinema de Horror da Faculdade de Artes do Paraná (UNESPAR), e traz como organizador da coletânea Demian Garcia. Dentre os autores que contribuem estão Adrienne Boutang (tradução de Dmian Garcia), Alexandre Magno, Andre Loiselle (com tradução de Paulo Biscaia Filho), Cauby Monteiro, Chritofer Pallú, Fernando Costa, Graziela Braz, Guilherm Luiz Lourenço Gomez, Letícia Weber Jarek, Matheus Kerniski, Miguel Haoni, Paulo Vitor Mineiro Costa, Rodrigo Carreiro e Taynan Carvalho.

O resultado acaba sendo positivo não só para aqueles aficionados pelo gênero, mas também para aqueles que desejam conhecer um pouco mais sobre o assunto e que amam o cinema, que consideramos a mais perfeita das artes, por abranger todas dentro de si. Segundo Primati, “Ver um filme de horror é sentir-se demasiado humano, atestar nossa fragilidade física, o caráter efêmero de nossa existência, é estar vivo. Porque, tal qual um passeio de montanha-russa, a maior emoção é chegar são e salvo ao fim da linha. Ler sobre o tema é uma experiência ainda mais enriquecedora, fortalece o caráter e nos torna pessoas menos assustadas, pois sofrem mais aqueles que, em vez de encarar seus medos, escondem-se embaixo do lençol em busca de uma segurança temporária. O aficionado por filmes de horror talvez seja de todos os cinéfilos, aquele que mais aprecie a vida.”

Livro: CINEMAS DE HORROR
Organização: Demian Garcia
Revisão: Celly Borges e Marcelo Amado
Projeto Gráfico: Marcelo Amado
Páginas: 248

Para Adquirir: Diretamente no site da Editora Estronho.
Quer desconto? Coloque o código CINEMACLASSICO na compra final.

Algumas imagens do material:

Comente Aqui!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO Chaplin que Ninguém Viu (1983)
Próximo artigoUma Legenda Chamada Celeste Holm
Especialista em Cinema Clássico e Crítica Literária, é sobretudo uma curiosa. Fundadora do site Cinemaclássico, estuda o cinema desde 2002. Ama Charles Chaplin, Raj Kapoor e navega constantemente em filmes de todo o mundo.