Elia Kazan e seu Oscar Controverso

64

Elia Kazan conheceu o desprezo e a homenagem da Academia. Diretor delatou amigos e cultivou controvérsia. O diretor foi um dos maiores realizadores de Hollywood. Contra fatos não há argumentos, já diz aquela frase mais do que batida. São dele os filmes Vidas Amargas (1954), Viva Zapata (1953), Um Bonde Chamado Desejo (1951), Sindicato dos Ladrões (1954) e Clamor do Sexo (1961), dentre outros.

Mas Kazan foi sumariamente excluído do meio quando (dizem) entregou amigos para o senador McCarthy, durante a “caça às bruxas”, ou melhor, aos comunistas. Bom, antes de tudo, Kazan foi membro atio do Partido Comunista durante dois anos. Logo se afastou. E nos anos 50 só havia duas possibilidades para quem era suspeito de ser comunista: Ou entregar os amigos ou ser impedido de trabalhar. Kazan escolheu entregar os amigos.

Desde então se tornou uma persona non grata no meio. Em 1999 foi homenageado pela Academia. Um dos momentos mais constrangedores do meio. Aos 89 anos o ator seguiu para receber o prêmio, sendo aplaudido timidamente por alguns, e totalmente ignorado por outros. Dentre os que fizeram questão de demonstrar seu desagrado por ele estavam Nick Nolte e Ed Harris. Dentre os que o apoiaram estavam Martin Scorsese, Meryl Streep, Robert De Niro, Warren Beatty.

Vejam o momento:

Comente Aqui!