Morre Stanley Donen, o diretor de Cantando na Chuva aos 94 anos

355

O diretor faleceu de causas não divulgadas, provavelmente de causas naturais.

A primeira imagem que me vem ao lembrar de Stanley Donen é aquela cena de Cantando na Chuva, quando Gene Kelly atravessa a rua com sua sombrinha cantando a música que o tornaria imortal. Stanley dividiu a direção com Kelly nesse musical que seria uma homenagem aos grandes musicais de todos os tempos, e se tornaria, ele mesmo, um dos maiores filmes americanos.

O diretor deste filme morreu nesta data, em 23 de fevereiro de 2019, aos 94 anos. Remanescente da velha Hollywood, estreou nos palcos na década de 40. Foi lá que conheceu Gene Kelly, que também iniciava sua carreira de sucesso e se tornaria seu grande aliado. Em 1944 os dois foram os responsáveis pela coreografia de Cover Girl, dirigindo algumas se quências. O primeiro filme inteiro que dirigiu foi On the Town (1949), que trazia Sinatra, Kelly e Jules Munshin como marinheiros num dia de folga. Uma das dificuldades das filmagens aconteceram por causa das fãs de Sinatra, que avançavam constantemente sobre seu ídolo.

Em 1952 estreava Cantando na Chuva,considerado por unanimidade o maior musical de todos os tempos. Também pudera, contava com um elenco afiado como Debbie Reynolds, Donald O’Connor, Jean Hagen e o próprio Gene Kelly. Alie a isso músicas já conhecidas de outros repertórios e musicais, com ótimas coreografias e terá um grandioso sucesso.

Stanley foi o responsável por outros clássicos como Royal Wedding (1951), Funny Face (1957) e Charade (1963). O diretor é um dos últimos remanescentes da época de ouro do cinema clássico e encontra-se aposentado desde a década de 80, quando lançou Blame It on Rio (1984). De vez em quando aparece em documentários sobre a era e também em festivais de cinema. Vale a pena conferir também um documentário feito sobre sua obra, o “Stanley Donen: You Just Do It.

Comente Aqui!