Nos Cinemas: Máquinas Mortais (2018)

103

Olá pessoal, hoje estou aqui para fazer uma análise de ‘Máquinas Mortais’,
Um filme baseado no livro homônimo, escrito por Philip Reeve e dirigido por Cristian Rivers. Quem assina a produção e o roteiro é Peter Jackson (O Senhor dos Anéis e o Hobbit), ou seja, o filme tem tudo para ser um grande sucesso… Será?

Bem, devo logo informá-los que não tenho como comparar o livro ao filme, já que não li as sagas de Reeve.
Entretanto, é também válido dizer que uma obra cinematográfica, para além de agradar e se fazer entender pelos fãs de um livro, precisa também fazê-lo com o público leigo da literatura apresentada na tela.
Em termos de produção no que concerne: efeitos especiais, direção de arte, efeitos sonoros, trilha sonora, fotografia, etc., o filme se mostra bom (embora tenha percebido alguns pontos fracos nos efeitos).

Contudo, quando falamos de roteiros, contextos, atuações nós temos uma produção bem “rasa” por assim, dizer. O filme tem todos os elementos que poderiam torná-lo um tipo de nova fantasia pós-apocalíptica, que poderia se tornar uma nova e lucrativa franquia, mas tudo que consegui ver foi um possível grande fracasso de bilheteria – com uma produção orçada em U$ 100 milhões (valor que não é tão grande quando comparado a outros blockbusters), o filme precisa atingir pelo menos U$ 200 milhões para se pagar (isso sem contar os gastos com publicidade), quantia que talvez ele não alcance. Maquinas Mortais não passa de um “Mad Max” fleumático, com cidades que andam em rodas de tanque como um ‘Tecnodromo’ do desenho das Tartarugas Ninja dos anos 90.

Os personagens não convencem e não conseguem fazer os expectadores sentirem empatia por eles; o romance da casal principal não encanta. Já os fatos parecem ser arremessados do nada nos expectadores que se vêm obrigados a tentar decifrar informações que talvez só os leitores dos livros conheçam – o que deixa você muitas vezes com sensação de “o que eu perdi?”; eles não acertarem nem mesmo nos clichês – pois sim, creio que alguns clichês podem até ser interessantes dependendo do caso. As cenas de ação são monumentais, mas não te fazem vibrar.
Devo ver o filme?

Bem, você tem direito a ter sua própria opinião sobre o filme, e se assim quiser, a melhor forma é assistindo; entretanto, eu vou “passar” desta vez, preferindo ficar em casa vendo algo no “Netflix”.
Para saber mais sobre este filme e outros assuntos, assista no meu canal (Know Geek) no link:

Comente Aqui!