Conheça a história da Biograph: O mais antigo dos Estúdios Americanos

966

A História

A Biography Company/The American Mutoscope foi fundada em 1895, ficando em funcionamento até 1928. Foi a primeira empresa americana a se dedicar à produção de filmes, chegando a produzir mais de três mil curtas metragens. A empresa foi criada por William Kennedy Dickson, um inventor do laboratório de Thomas Edison. Dickson juntou-se em abril de 1895 aos inventores Herman Casler, Marvin Henry e o empresário Elias Koopman,criando a Companhia Mutoscope em Nova Jersey.
Logo se tornou a principal concorrente da empresa de Edison no mercado nickelodeon. Em 1896 o projetor Biograph foi lançado, com uma imagem superior à Vitascope de Edison, e logo se tornou a líder na indústria cinematogrtáfica, com distribuição de produção para todo o mundo. Em 1899 o nome foi mudado para American Mutoscope e Biograph Company,e em 1909 tornou-se simplesmente Biograph.
Antes de 1903, o estúdio produzia filmes de no máximo 2 minutos.  A narrativa era geralmente comédia e não tinha edição. Estimulados pela concorrência, começaram a colocar narrativas. com histórias mais complexas e longas. Em 1908 a narrativa cinematográfica já dominava totalmente o estúdio.
Inicialmente a Biograph ficava em um estúdio na Broadway, localizado no último andar. Posteriormente, em 1903 mudou-se para uma mansão triplex na 11 East 14th street, a oeste da Union Squarte em Manhattan. Esse foi o primeiro estúdio a contar exclusivamente com luz artificial. A Biograph mudou-se novamente para a 175th Street no Bronx. Em 1911 abriram um estúdio no centro de Los angeles.
D.W. Griffith se juntou à companhia em 1908 como escritor e ator, e em poucos meses se tornou seu diretor principal depois que Warren McChutcheon, principal diretor do estúdio, detentor do título, ficou doente. Griffith ajudou a estabelecer muitas convenções da narrativa, mostrando flashbacks, fade-in/fade-out, closeups dentro de uma cena, dentre outras. Apesar de não ter inventado essas técnicas, o diretor tornou-as parte essencial da narrativa.
O diretor deixou o estúdio em 1913, descontente com a resistência dos produtores em aumentar os orçamentos ou dar crédito para ele ou elenco. Com ele saíram também muitos astros . Em 1908 a Biograph juntou-se a outras companhias numa tentativa de controlar a indústria e derrubar os pequenos produtores.
Faziam parte da equipe as companhias Biograph, Essanay Studios, Kalem Company, George Kleine Productions, Lubin Studios, Georges Méliès, Pathé, Selig Studios, e Vitagraph Studios. Em 1915 o grupo foi considerado culpado e logo dissolvido. Mas depois da saída de Griffth e grandes astros, a companhia não foi capaz de desenvolver bons filmes e a crise financeira começou a assolar. As instalações foram adquiridas por Herbert Yates em 1928. Em 1980, o que restou foi queimado. A companhia chegou a produzir algo em torno de 3000 curtas e 12 longa metragens.

Principais Astros

D.W. Griffith, principal diretor
Mary Pickford (The Girl Biograph)

 

Lionel Barrymore
Lillian Gish
Blanche Sweet
Outros: Dorothy Gish, Robert Harron, Auer Florença, Carol Dempster, Alan Hale, Sr. , Carey Harry, Normand Mabel, Henry B. Walthall e Davenport Dorothy e Mack Sennett.

Alguns dos seus principais Filmes

The Adventures of Dollie (1910), dirigido por D. W. Griffith.

Judith of Bethulia (1913), dirigido por D. W. Griffith. Com Blanche Sweet e Henry B. Walthall
 
The New York Hat (1912), dirigido por D. W. Griffith. Com Mary Pickford e Lillian Gish
 
The Mothering Heart (1913),  dirigido por D. W. Griffith. Com Lillian Gish
 
The Lonedale Operator (1911), de  DW Griffith. Com Blanche Sweet e Charles West.
 

Comente Aqui!