O Escândalo de Paulette Goddard e Anatole Litvak

2012

A relação com Charles Chaplin, que em 1937 já estava no fim, acabou por prejudicar a carreira de Paulette Goddard, que nesse período realizava testes para a Scarlett de E o Vento Levou. Conta-se que os produtores tinham medo da fama que Chaplin tinha de ser duro nos negócios e decidiram-se por Vivien Leigh. Goddard acabou eternizada nos clássicos Tempos Modernos e O Grande Ditador, assinados por seu marido, e embora tivesse uma carreira sólida, seria sempre lembrada como a garota que caminha pela estrada ao lado de Carlitos.

De personalidade alegre, a atriz era uma ótima companhia, e em 1940, com o término do casamento com o “vagabundo”, envolveria-se em um escândalo que quase acabou com sua carreira e com a de Anatole Litvak, seu companheiro de aventura. Nesse ano ela iniciara um romance com o diretor e uma indiscrição enquanto frequentavam o famoso Restaurante Ciro’s acabou virando caso de polícia.
Paulette com Chaplin na década de 30

Anatole estava casado com a atriz Miriam Hopkins, mas isso não impedia que vivesse romances com outras atrizes como Marlene Dietrich. Nesse ano ele estava terrivelmente atraído pela bela musa de Tempos Modernos, a quem ofereceu quadros e jóias como presentes. Paulette era uma querida no meio artístico, e além do casamento com Chaplin, envolvera-se também com Clark Gable, Howard Hughes e John Wayne.

Vários relatos citam que o casal foi flagrado praticando sexo oral entre uma garfada e outra. Uma das explicações oficiais fala sobre a perda de um dos brincos, fato que a obrigou a se ajoelhar e pegar o mesmo  entre as pernas de Anatole. Em outra versão, uma alça do vestido escapou, e a atriz escondeu-se por baixo da mesa, com Litvak protegendo-a. Aproveitando a posição, a atriz teria iniciado o ato.

Anatole dirige sua esposa Miriam Hopkins
Seja como for, a história correu os jornais de uma América extremamente puritana e chegou até o Departamento de Estado em Washington que exigiu explicações do casal. Amigos como Jean Negulesco foram convocados para testemunhar e contar suas versões do caso. Esperando a poeira baixar, Paulette fugiu para o México e pediu a interferência de amigos.
A história picante correu Hollywood, deixando indignados os puristas, chegando até o  que convocou as testemunhas como o diretor Jean Negulesco. Paulette fugiu na ocasião para o México, porém, tinha influências e pediu interferência de seu amigo William A. Harriman. Curiosamente o fato real acabou por inspirar uma cena no filme Shampoo (1975).

Fontes:

http://www.paulette-goddard.fr/pgbiographie/pgsesrelations/pgrelationlitvaka.html
http://articles.philly.com/1995-08-15/entertainment/25708694_1_paulette-goddard-dual-biography-erich-maria-remarque
Livro Contraditório Vagabundo – Joyce Milton

Comente Aqui!