Você conhece Lynn Bari?

974

Lynn Bari participou de algum filme clássico que você tenha assistido entre as décadas de 30 e 40, afinal, entre cinema e televisão ela tem creditadas mais de 166 participações, a maior parte como coadjuvante. Vamos conhecer um pouco mais sobre ela:

Como quase tudo em Hollywood no início do século passado, não há muita certeza do ano em que ela nasceu. Pode ter sido 1913, 1915, 1917 ou 1920. Mas o certo é que foi em 18 de dezembro que Margaret Schuyler Fisher, seu nome verdadeiro, nasceu. Sua família logo partiu para Los Angeles e como a cidade exalava cinema, ela juntou-se a um grupo de garotas pra tentar o estrelato. Conseguiu um contrato em 1925 pela 20th Century Fox. Era um contrato de seis meses e durante esse período, a garota de 12 anos tinha que mostrar-se e se sobressair.

Era meio difícil se sobressair em um filme como Dancing Lady, estrelado por Clark Gable e Joan Crawford. Lynn tinha apenas 13 anos e foi figurante. Já desenvolvida, foi muito assediada e durante a segunda guerra mundial, ela e tantas outras garotas fizeram fotos como pin-up girl.

Ela se tornou um sucesso entre os soldados e chegou a receber o segundo lugar no número de cartas recebidas. A primeira, claro era a Betty Grable. Com isso, Lynn pensou que iria conseguir muito destaque. Ela continuou fazendo figuração em muitos filmes, alguns de segunda linha. E nos papéis em que tinha algum destaque, exploravam sua sensualidade e “maldade”.

Ela chegou a fazer um teste para participar da refilmagem de Sangue e Areia, que teria Tyrone Power no papel que fora de Rodolfo Valentino. Mas acabou sendo preterida porque não sabia dançar. O papel foi para Rita Hayworth e Lynn ficou com o papel da irmã do personagem principal. Nos próximos anos ela faria pequenas participações em diversos filmes.

George Sanders e Lynn Bari em The Falcon Takes Over (1942)

Em Assim Vivo Eu… (The Magnificent Dope, 1942) ela teve uma oportunidade de estrelar ao lado de Henry Fonda e Don Ameche. Outro destaque foi em Nas Garras do Falcão (The Falcon Takes Over, 1942). A atriz foi sugerida para estrelar Laura, e chegou a fazer testes. Mas no final Gene Tierney recebeu o papel principal. Explosão Musical (Sweet and Low-Down , 1944) ela teve algum destaque, interpretando uma cantora e sendo dublada por Lorraine Elliott. Em 1946 ela estrelava Choque! (Shock), ao lado de Vincent Price.

E se a carreira não era muito favorável, a privada também não o era. Durante muito tempo ela teve que lidar com problemas com sua mãe dominadora. Isso fez com que ela partisse para casamentos malfadados e o vício em álcool. Seu primeiro marido foi Walter Kane, com quem permaneceu entre 1939 e 1943.

Em 1943 ela se casaria com Sidney Luft, o empresário que em 1950 a deixaria para casar com Judy Garland. Com ele, Lynn teve dois filhos. A primeira viveu somente alguns dias, mas John, nascido em 1948 sobreviveria. Como faria posteriormente também com Judy Garland, Luft tomou conta completamente da vida e carreira de Lynn e no final pediu o divórcio e a guarda do filho. Lynn ganhou.

Seu último marido foi o psiquiatra Nathan Rickles, entre 1955 e 1972, também terminando em divórcio.

Na década de 50 a atriz já havia chegado aos 40 e como o cinema é cruel com as mulheres, ela recebeu poucas oportunidades e as que recebia era para interpretar mulheres muito mais velhas. Lynn começou a aparecer em alguns programas televisivos onde fazia séries ao vivo, como Detective’s Wife e Boss Lady, onde ela finalmente foi a estrela principal.

Ao longo da década de 1960, havia muitos trabalhos de televisão: Michael Shayne – The Heiress; Checkmate – Goodbye Griff; Nova Raça – O açougueiro; Ben Casey – Um certo tempo, uma certa escuridão (1961); Everglades – Deadfall (1963); Perry Mason – Accosted Accountant (1964); Perry Mason – Fatal Fetish (1965); The Girl From UNCLE (1967); e dois episódios do FBI, um dos quais foi Line of Fire (1968). A atriz tem duas estrelas na calçada da fama, uma pelo cinema e outra por sua participação na televisão.

Lynn se aposentou no final da década de 60 e passou o resto da vida no anonimato. Faleceu em 20 de novembro de 1989, de um ataque cardíaco. Tinha 75 anos. Fica aqui sua bela memória.

Fontes: Classicimages, Nytimes, IMDB

Confira também:

Homenagem a Anthony Hopkins

Comente Aqui!