Pequenas Curiosidades sobre Cary Grant

2582

Cary Grant é um dos meus atores favoritos. Ele costumava dizer que não entendia a fascinação que todos tinham com ele. Cary virou uma espécie de personagem que todos queriam ser. “Inclusive eu”, diria mais tarde. Com um senso de responsabilidade enorme, o jovem nascido na Inglaterra conseguiu sair da pequena cidade de Bristol com um enorme sonho: tornar-se ator.

Os caminhos foram tortuosos, mas ele conseguiu o status de grande astro do cinema em Hollywood. Selecionei algumas curiosidades sobre o ator que você com certeza irá adorar saber.

1. Infância complicada…

Archibald Alexander Leach nasceu em 18 de janeiro de 1904.  Sua infância foi das mais complicadas. Sua mãe tinha problemas psiquiátricos, e algumas vezes chegou a vestir o filho com roupas de menina. Mais tarde, o pai de Cary internou sua mãe sem que ele soubesse. O ator só iria descobrir que a mãe estava viva décadas mais tarde.

2. Antes da Fama…

Cary em Madame Butterfly (1932)

Cary fugiu ainda adolescente com uma trupe de circo. Mas teve que retornar por causa da idade. Mais tarde trabalhou como lanterninha e vendedor de gravatas. Já na América, fez diversos trabalhos, inclusive como perna de pau e homem-propaganda.

3. Estreia nos filmes

Cary em seu primeiro filme, Esposa Improvisada

Ele estreou no cinema no musical Esposa Improvisada (This is the Night, 1932). Quem teria dado uma força para esse seu início foi a atriz Mae West. Mais tarde ele passou a se incomodar por a atriz sempre citar isso. O nome Cary Grant foi sugerido pela Paramount, causando propositadamente uma semelhança com o nome de outro astro, Gary Cooper.

4. Tom Cruise? Não, Cary Grant

Cary Grant em North by Northwest 1959.

Ter tido experiência no circo fez com que ele mesmo fizesse cenas mais perigosas. Com isso, dispensava dublês.

5. Ele era o ator preferido de Alfred Hitchcock

E isso não era para qualquer um. Porém, não era sempre que o ator estava disponível para os filmes do mestre do suspense. Ao todo, Hitchcock conseguiu te-lo em quatro filmes: Suspeita (1941), Notorious (1946), Ladrão de Casaca (1955) e Intriga Internacional (1959).

6. Papéis recusados

Cary recusou o papel de Humbert do filme Lolita (1962), de Kubrich, assim como não aceitou os papéis em Roman Holiday (1953), Sabrina (1954) e Nasce uma Estrela (1955), dentre outros. Ele também passou a ser mais seletivo ao longo dos anos, evitando papéis que achava ridículos. Não gostava de interpretar “galãs” que se relacionavam com mulheres bem mais jovens. Isso fez com que recusasse ou impusesse várias restrições a filmes como Charada (1963), quando se negou a seduzir a personagem de Audrey Hepburn.

7. Relações complicadas com mulheres

Em 1934, com sua primeira esposa: Virginia Cherrill. Ela ficou conhecida como a atriz que trabalhou no filme Luzes da Cidade, de Chaplin.

Cary casou-se cinco vezes com Virginia Cherrill, Barbara Hutton. Betsy Drake, Dyan Cannon, Barbara Harris. Seus relacionamentos foram todos muito complicados devido à personalidade instável de Cary. Há relatos de abusos de algumas de suas esposas.

8. Uma única filha, Jennifer

Em 1966, com Jennifer e mamãe Dyan

Em 1966 Cary tornou-se pai pela única vez quando Dyan deu a luz uma linda garotinha chamada de Jennifer. O ator tinha 62 anos de idade e logo se separaria da mãe da garotinha. Porém, seria um ótimo pai para ela.

9.  Relacionamento com Randolph Scott?

Cary e Scott

Essa é uma grande interrogação na vida dele. Há boatos sobre um relacionamento com o também ator Randolph Scott. Os dois se conheceram em 1933 e alugaram uma casa juntos. Permaneceram na mesma casa por volta de 10 anos, o que levou a levantar suspeitas sobre o real relacionamento dos dois. Até hoje não há de fato algo afirmativo, já que o ator aparentemente não comentou sobre o assunto depois de se casar com mulheres.

10. Ele ficou fascinado por Sophia Loren!

Sophia Loren revelou em sua biografia que o ator ficou fascinado por ela enquanto trabalhavam juntos. Porém, o romance não se consolidou pois a mesma estava casada e apaixonada por seu marido, Carlo Ponti. Segundo Sophia, ele foi muito cordial com ela apesar disso.

11. Quem eram seus ídolos?

O ídolo de tantas pessoas tinha seus próprios ídolos. Cary era fã de Douglas Fairbanks, Greta Garbo. Ele também amava o cantor Elvis Presley, tendo assistido a vários shows dele em Las Vegas.

12. Cary Grant tomou LSD!

Sim, a droga chegou a ser usada durante um tempo como tratamento para depressão. O ator resolveu experimentar em cerca de 100 sessões. E sempre afirmou que gostou dos resultados.

13. Inspiração para vários personagens

Cary Grant 

Cary serviu de inspiração para o personagem James Bond, criado por Ian Fleming. O autor tomou emprestado o charme, elegância e classe do ator. Consta inclusive que Cary teria sido convidado a ser o primeiro James Bond, mas devido a sua recusa, o papel foi incorporado por Sean Connery. Christopher Reeve também se inspirou nele para compor seu personagem Superman.

14. Pequenos vícios…

Cary costumava beber muito. Tanto que chegou a ter uma hepatite grave em 1948, quase levando-o a óbito. Além disso, fumava uma média de 60 cigarros por dia.

15. Cary nunca recebeu um Oscar

E era particularmente magoado com a Academia por ter perdido por None But the Lonely Heart (1944).

16. Morte

Cary Grant estava aposentado das telas mas continuava a trabalhar. Em 1986 estava ensaiando para o espetáculo “Uma Conversa com Cary” quando sofreu um AVC. Chegou a ser levado às pressas para o hospital onde veio a falecer. Tinha 82 anos. Foi cremado, e suas cinzas jogadas no Oceano Atlântico.

Confira também:

Pequenas Curiosidades sobre a atriz Bette Davis

Comente Aqui!