Max Factor e o hábito das perucas e apliques em Hollywood

1651

A partir de hoje lançarei uma série de matérias que falam um pouco sobre o sistema de estrelas, o chamado star system. Aguardem, pois talvez alguns terão grandes surpresas. Na primeira delas falarei sobre cabelos.

Primeiramente vamos desmistificar algo. Não existe perfeição. Nem em Hollywood. As estrelas clássicas podiam ser naturalmente belas, mas dificilmente apareceriam de cara lavada na frente das câmeras. A mitificação de suas pessoas fazia parte do sistema de estrelas. Coloca-los em patamares quase de deuses ampliava a visão de pessoas intocáveis. E os estúdios não conheciam limites quanto a isso. A maior parte dos astros antigos que conhecemos passou por processos estéticos desde os mais simples aos mais severos. Alguns chegaram a fazer cirurgias para se transformarem no que hoje conhecemos. A primeira surpresa é que:

 

A grande maioria usava perucas

 

E isto era mais comum do que você imagina. Os itens fabricados pela Max Factor comprovam que 9 entre 10 estrelas, talvez exceto a Lassie, usavam perucas. Este hábito se tornou muito comum a partir da década de 30 e funcionava basicamente assim: Uma vez que as estrelas eram contratadas pelos estúdios, eram enviados para os os técnicos que tiravam as medidas de suas cabeças e criavam um bloco de madeira com seus moldes. Esses moldes eram guardados e utilizados posteriormente.

Na medida em que os atores eram selecionados para algum filme (e não só os filmes de época) os esboços dos figurinos e perucas iam para os cabeleireiros. O passo seguinte era a criação de vários modelos para serem utilizados durante os filmes e trocados ao longo dos dias. Isso era necessário, pois com o suor e poeira dificilmente alguém iria usar alguma dois dias seguidos. Esses apliques foram utilizadas usualmente até por volta da década de 60.

Vários blocos de madeira com moldes exatos

 

Peruca usada por Elizabeth Taylor em Little Women (MGM, 1949)
Cabeleireiro tira a poeira de peruca usada por Marlene Dietrich (Fonte: Max Factor)

 

Judy Garland testando diversas perucas para sua personagem em O Mágico de Oz

 

Peruca usada por Marilyn Monroe em Os Desajustados
Peruca usada pela atriz Billie Burke em um de seus filmes
Peruca utilizada por Esther Williams em The Million Dollar Mermaid (1952)
Não parece, mas os cabelos negros eram mais curtos que o necessário. Cyd Charisse usou um aplique para ampliá-los em Brigadoon
Barbra Streisand e o modelo usado em Hello Dolly
Peruca feita com cabelos naturais e utilizada por Joan Crawford na década de 30. A atriz utilizou diversos modelos diferentes

E se as mulheres utilizavam bastante, os homens também fizeram usos estéticos. E os garotos sofriam com um problema grave: a calvície. Evidentemente alguns tentavam disfarçar penteando os cabelos para frente, mas isso não era suficiente. Logo, os estúdios também providenciavam apliques, topetes e perucas que serviam graciosamente e mantinha a áurea de divos. Alguns podem não saber, mas esses astros eram clientes usuais da Max Factor.

Peruca utilizada por Frank Sinatra.

 

Burt Lancaster antes e em um raro flagrante
David Niven obviamente também usava
Alguns modelos utilizados por Frank Sinatra ao longo dos anos. O cantor inicialmente utilizava modelos mais bem cuidados, mas que com o tempo se tornaram mais evidentes que se tratavam de apliques.
Mickey Rooney antes, e depois, quando não precisava mais usar suas perucas.

 

Dean Martin sempre se preocupou muito com seu visual. Usou até o fim. Elas eram perfeitamente ajustadas ao couro cabeludo
Gene Kelly era bastante calvo, utilizando alguns modelos criados pela Max Factor. Ele detestava ser flagrado sem, e escondia sua calvície com chapéus e bonés
James Stewart começou a utilizar no final dos anos 40, quando se tornou mais evidente sua calvície. Utilizou de diversas cores, indo do tom louro ao acinzentado.
Charles Boyer utilizou-se desde cedo também. O ator também utilizava-se de outros meios estéticos que vou tratar em outra matéria
Bing Crosby em dois momentos: com e sem o aplique
Fred Astaire começou a usar desde cedo. Mas ele detestava ter que usa-la. Posteriormente passou a não utiliza-la em eventos públicos também.
Charlston Heston disfarçava sua calvície usando um topete, muitas vezes mal ajustado. Ele também detestava ser flagrado sem uma delas. Os dentes amarelados também serão tema de uma próxima matéria.
George Burns também utilizava desde o início de sua carreira, e talvez seja o mais conhecido de todos. Bem, ele não ligava muito e usava mais por costume
Humphrey Bogart também começou a sofrer desde cedo com a calvície. Geralmente não se importava de ser flagrado sem, mas havia uma exigência para que ele utilizasse nas telas.
Ray Miland utilizava frequentemente uma peruca, apenas abandonando-a no final da vida. Os fãs adoraram quando ele surgiu assim.
Bob Darin em dois momentos de sua vida, com e sem a peruca.
Fred MacMurray em três momentos: com um topete ajustado pelos estúdios, no dia a dia e sem sua habitual companheira. Preferimos sem.
John Wayne costumava brincar que seus cabelos lhe pertenciam, afinal tinha pago por eles.
Gary Cooper naturalmente perdeu alguns fios ao longo dos anos. Era levemente calvo como podemos ver nestas duas fotos. Mas geralmente não utilizava grandes artifícios.
Robert Redford já teve muito cabelo, mas obviamente passou a utilizar-se de perucas mal ajustadas
Sean Connery obviamente apareceu desta maneira em seus primeiros filmes. O ator de uma geração mais recente não precisou esconder durante muito tempo.

 

Obviamente, com o passar dos anos os cabelos naturalmente envelhecem, como nossos rostos. Muitas estrelas continuaram usando perucas por questões estéticas. Talvez o hábito alimentado durante décadas tenha contribuído para isto também. Algumas escondiam até o fim, mas era evidente o uso:

Debbie Reynolds usou vários modelos ao longo dos anos. Tinha os cabelos louros mas raramente era vistos ao natural.  No documentário que seu filho fez sobre a atriz, ela utilizava-se de um boné quando não usa uma de suas perucas.
Os cabelos de Elizabeth Taylor eram negros e levemente cacheados. Ela usou muitas perucas nos filmes desde os 11 anos de idade. Menos por necessidade e mais por exigência dos papéis. Evidentemente ela também os trouxe naturalmente em eventos, mas ao longo dos anos ela passou a utilizar-se de apliques e perucas com mais frequência.
Ginger Rogers com seu modelo evidentemente não tão natual. Era moda no período. Ainda tenho dúvidas sobre os cabelos de Bette Davis.
Lana Turner utilizava várias de tons variados de louro. Eram belíssimos como podemos ver. A atriz gostava de se cuidar até o fim.
Lucille Ball utilizava-se de tons variados de ruivos até o fim de seus dias. Era linda, não?
Maureen O’Hara possuía um cabelo naturalmente ruivo, mas evidentemente usou perucas e apliques durante toda sua vida. Hábito que manteve na velhice
Joan Crawford era a rainha da variedade, usando vários tons e modelos.

Após se aposentarem, algumas atrizes preferiram manter um tom natural, utilizando-se de seus cabelos. Isso era bem raro na América Obviamente tínhamos o time daquelas que preferiam usar seus cabelos ao natural:

Katharine Hepburn foi uma sobrevivente dos tempos em que todas usavam meios artificiais para parecerem divas. A atriz também preferia usar seus próprios cabelos na velhice.
Após se afastar das telas, Greta Garbo esqueceu as regras dos estúdios e foi feliz à sua maneira. Usualmente usava algum artifício, mais para fugir das câmeras.
Os cabelos de Barbara Stanwyck já eram grisalhos aos 30 anos de idade. Ao longo da vida a atriz usou muitas perucas, mas optou por utilizar algumas no tom de seu cabelo verdadeiro. Nesta foto ela está ao natural e linda.
Audrey Hepburn também preferia usar seus cabelos ao natural.

 

Após os anos dourados, muitos desses itens, tanto os moldes quanto algumas perucas utilizadas pelas celebridades foram colocados à venda. O site Icollector exibe vários deles que ficavam expostos no Hollywood Entertainment Museum.

Na próxima matéria continuaremos falando um pouco mais sobre questões estéticas em Hollywood. Espero que vocês realmente curtam essas matérias.

 

Serviram de fontes:

O site: Icollector

O livro: BASTEN, Fred E. Max Factor: The Man Who Changed the Faces of the World

 

Confira também:

O Glamour de cada dia: Como Max Factor ajudou a criar o conceito de estrelas

Comente Aqui!