Pier Angeli, a Italiana que ganhou o coração de James Dean

1599

A italiana Anna Maria Pierangeli chegou aos Estados Unidos com sua mãe aos 16 anos depois que chamou a atenção de Vittorio de Sica. Para melhor aceitação do público americano, seu sobrenome Pierangeli foi separado, e ela se transformou em Pier Angeli. Sua irmã gêmea, Marisa Pavan, também acabou se tornando atriz.

Pier e sua irmã gêmea Marisa Pavan
A atriz teve sua estréia no cinema em Domani è troppo tardi (1950), do diretor Vittorio de Sicca. Sua presença acabou chamando a atenção da MGM. ;No ano seguinte ela já estava na terra do Tim Sam e estrelava sua primeira película, Teresa (1951), com a qual ganhou um Globo de Ouro de atriz revelação. Dirigido por Fred Zinnemann, o filme também traria a estréia dos astros Rod Steiger e John Ericson. Seu desempenho renderam comentários comparativos a Greta Garbo. Uma série de filmes trouxeram sua presença, como A História de Três Amores (1953), onde atuou ao lado de Kirk Douglas e O Light Touch (1952). A MGM também a emprestou para outros estúdios, como a Paramount, Columbia e Warner.
Durante as filmagens de A História de Três Amores, Pier envolveu-se amorosamente com Kirk Douglas, dezesseis anos mais velho que ela. O romance durou pouco tempo e durante as gravações de O Cálice Sagrado, ela conheceu James Dean. O ator ainda tentava o sucesso, e o namoro foi intenso porém breve. Segundo relatos, o jovem não agradava de forma alguma a sua mãe, que tomou providências para que os pombinhos se afastassem.
Dean e Pier

Extremamente católica, Pier teria se separado do jovem ator e iniciado um romance com o cantor Vic Damone. Há lendas sobre um James Dean choroso à porta da igreja em que ela se casava em 24 de novembro de 1954. Menos de um ano depois o ator morreria em um acidente automobilístico, deixando Pier em choque. O casamento com Vic desde o início foi conturbado, culminando com o divórcio e uma batalha judicial pela custódia do único filho do casal, Perry Farínola Damone.

Pier e Vic no dia do casamento
Em 1962 Pier casaria-se mais uma vez, dessa vez com o compositor Armando Trovaioli. Do casamento viria seu segundo filho, Howard Andrew, nascido em 1963. Com a carreira em um momento delicado e a vida íntima errática, a atriz entrou em depressão, retornando à sua terra natal. Lá atuou em alguns filmes, porém com personagens de pouca importância.
Pier com Perry
Na década de 70, à pedido e sua amiga Debbie Reynolds, decidiu voltar mais uma vez à América, onde tentaria ressuscitar sua carreira. Ela teria feito testes para O Poderoso Chefão e também estava escalada para trabalhar na série Bonanza.

Segundo a biografia “Pier Angeli: a fragile life”, Pier faleceu após terminar seu último filme, Octaman (1971), uma grande bobagem dirigida por Harry Essex. Exausta, a atriz sofreu um colapso após uma overdose de medicamentos, que não se sabe se foi ou não proposital. Participaram de seu funeral seu antigo namorado Kirk Douglas, Vic Damone, Louis Jordan, Stewart Stern e a família. Há boatos que teria deixado uma carta de despedida para sua mãe, o que definitivamente tiraria a dúvida se seria acidental. A carta, onde ela revelava que nunca teria esquecido James Dean, nunca veio a público. Pier tinha apenas 39 anos e ainda muito o que viver.
Fonte: Pier Angeli: a fragile life, de Jane Allen

Comente Aqui!