Essas Populares tão Desconhecidas… (Parte I)

206

Por Diego Nunes da Página Memória Cinematográfica

Nem só de grandes estrelas são feitos os filmes. Para que uma obra chegue às telas, é preciso uma enorme quantidade de pessoas para realizar uma obra cinematográfica, e nem sempre há holofotes para todos. Existem artistas que conhecemos, sem nunca termos notado sua presença ou sabido seus nomes, e é a eles que esta matéria é dedicada.

CAREN MARSH (1919)

 Caren Marsh nasceu em 06 de Abril de 1919 em Hollywood, Califórnia. Seu pai queria que ela fosse para a faculdade, mas ela queria ser bailarina. Em 1937, Caren fez um teste para ser corista no filme Rosalie (1937), estrelado por Eleanor Powell. E assim conseguiu um contrato com a MGM. Mas por ser muito baixinha não conseguiu muitos trabalhos como showgirl (ela mede apenas 1,50 metros). Mas um olheiro do estúdio a convidou para trabalhar em uma grande produção que estavam fazendo.

Caren foi contratada para ser a dublê das cenas de dança de Judy Garland no filme O Mágico de Oz (The Wizard of Oz, 1939). Até um par de sapatinhos de rubis foi confeccionado especialmente para ela (que ela guarda até hoje). Por ter um tipo físico parecido com o de Judy, foi sua substituta novamente em O Mundo é Um Teatro (Ziegfeld Girl, 1941).

Caren ao lado de Judy Garland
Posteriormente a atriz continuou atuando como freelancer, passando por vários estúdios, sempre em pequenos papéis. Após atuar em As Aventuras de Don Juan (Adventuresof Don Juan, 1948) sofreu um acidente aéreo onde morreram várias pessoas. Ela foi uma das doze sobreviventes do desastre, mas ficou meses internada e quase teve uma perna amputada. Depois de sua recuperação, abandonou o cinema para casar com o agente de imprensa Bill Doll.

Atualmente a atriz mora em Palm Srings, onde dá aulas de dança para grupos da terceira idade. Uma das últimas integrantes do elenco de O Mágico de Oz ainda vivas, sempre é convidada para convenções destinadas aos fãs do filme. É irmã da atriz Dorothy Morris (1922-2011).

 

Tributo a Caren Marsh Doll:

ANITA ELLIS (1920)

Anita Ellis nasceu no Canadá, em 12 de abril de 1920. Mudou-se com a família para Hollywood quando tinha oito anos de idade. Seu nome é pouco conhecido entre os fãs de cinema, mas é dona de uma das vozes mais famosas. Foi ela quem dublou Rita Hayworth na famosa cena do strip-tease em Gilda (Idem, 1946), cantando “PutBlameon Mame”, uma das cenas mais icônicas do cinema. Ela ainda dublaria Rita em Quando os Deuses Amam (Down to Earth, 1947), A Dama de Shangai (The Lady From Shangai, 1947) e Carmen (The Lovesof Carmen, 1948). Também emprestou sua voz para atrizes como Jeane Crain, Vera-Ellen e Mari Windsor. Somente apareceu em um filme, cantando como ela mesma em A História de Joe Louis (The Joe Louis Story, 1953).

Anita em 1979. Foto via Getty Images
Nos anos 50, abandonou a carreira, ao desenvolver pânico do palco. Com o marido viajou o mundo, e morou na África, onde ensinava sobre a natureza no Museu de História Natural. Tirou licença e pilotava seu próprio avião. Na década de oitenta fez um breve retorno, inclusive fazendo um pequeno papel no filme Nada é Para Sempre (NothingLastsForever, 1984), com o ator Bill Murray. Abandonou a vida pública em 1987, vivendo reclusa desde então. Atualmente vive em Manhatan, mas está em estado avançado do Alzhmeir.
 Anita Ellis e Ellis Larkins Trio I’ll Be Around Joe Louis Story:

Comente Aqui!