10 Melhores filmes de Billy Wilder

1625

Mais de 50 anos de carreira que inclui a de roteirista, cineasta e produtor. 21 indicações ao Oscar, conseguindo 06 estatuetas (duas como diretor). 60 filmes, que contaram com astros como Greta Garbo, Barbara Stanwyck, Marlene Dietrich, Gary Cooper, Marilyn Monroe, Audrey Hepburn, Gloria Swanson, dentre outras. Eis Billy Wilder, um polonês nascido em 22 de junho de 1922, na Polônia. Queria ser advogado, depois desistiu e resolveu seguir o jornalismo, trabalhando no Jornal de Viena. À parte, era frequentador assíduo de teatros, começando a escrever roteiros para filmes mudos alemãos, colaborando com ”People on Sunday”, de Robert Siodmak.

Após a ascensão de Hitler ao poder, Billy (que era judeu e teve sua família morta nos campos de concentração) fugiu para Paris e posteriormente para os Estados Unidos. Não sabia falar uma só palavra em inglês, e passou por enormes dificuldades financeiras. Na América conheceu Charles Brackett, e passou a ser seu colaborador. Da parceria nasceram Ninothchka (1939) e Bola de fogo (1941). A parceria seguiu durante a década de 40, e Billy partiu para a direção a partir de 1942, com Double Indemnity (1944), Cinco covas no Egito (1943) e Farrapo humano (1945).

A parceria findou-se após o grande filme Crepúsculo dos Deuses. Trabalhando sozinho, realizou Sabrina (1954), A montanha dos sete abutres (1951), O pecado mora ao lado (1955) e Quanto mais quente melhor (1959), ambos com Marilyn, entre outros. Em 2000 Quanto mais quente melhor foi eleita a melhor comédia pelo American Film Institute. Billy se aposentou em 1981, falecendo em 2002 de pneumonia. Tinha 95 anos. Aqui está nossa seleção dos seus dez melhores filmes:

 

A  Montanha dos Sete Abutres (1951): O repórter Charles Tatum  foi despedido de vários locais e está sem dinheiro. Recebe então uma matéria sem aparente atrativo e ruma para o local.  Descobrindo que um homem precisa de resgate, transforma o evento em um assunto nacional, atraindo milhares de curiosos, cinegrafistas e jornalistas. Leia mais sobre o filme.

 

Se Meu Apartamento Falasse (1960): Bud Baxter é um funcionário de uma companhia de seguros em Nova York que descobriu uma maneira mais rápida de evoluir de cargo: emprestar seu apartamento para que os executivos da empresa levam para lá suas amantes. O problema começa quando Fran Kubelik, uma dessas mulheres, tenta se matar em seu apartamento. Com Jack Lemmon e Shirley Maclaine.

 

Pacto de Sangue (1944): Walter Neff (Fred MacMurray), um vendedor de seguros, é seduzido e induzido por Phyllis Dietrickson (Barbara Stanwyck), uma sedutora e manipuladora mulher, a matar seu marido, mas de uma forma que pareça acidente para a polícia e também em condições específicas, que façam o seguro ser pago em dobro (no caso, 100 mil dólares).
Irma La Douce (1963): Irma La Douce (Shirley MacLaine) é uma das prostituta que trabalha na Rua Casanova, apesar da prostituição ser proibidas. Mas então surge um policial honesto chamado Nestor Patou (Jack Lemmon) que vai trabalhar na área e acaba sendo demitido por estar fazendo a coisa certa. Lá ele conheceu e se apaixonou por Irma. Nestor acaba se tornando seu cafetão, mas ele não quer que ela vá para cama com outro homem. Assim, com a ajuda de Moustache (Lou Jacobi), o dono de um bar que fica na Casanova, ele passa por um lorde inglês muito rico e secretamente trabalha no mercado transportando comida.
Cupido Não Tem Bandeira (1961): Logo após a Segunda Guerra, MacNamara é o diretor da Coca-Cola que vai à Alemanha para uma reunião. Ele quer fazer de tudo para impressionar seus superiores em Atlanta, pois sabe que existe uma vaga para dirigir o escritório europeu. Por isso aceita, a pedido do chefe Hazeltine, tomar conta da filha dele, a jovem Scarlett. Mas a moça é uma peste. Em pouco tempo se apaixona e se casa com Otto Piffl, um rapaz alemão e comunista. Sua tarefa será converter Piffl num capitalista e apresentá-lo ao chefe como um homem nobre. Só assim poderá conseguir sua promoção.

 

Quanto Mais Quente Melhor 1959:  Joe (Tony Curtis) e Jerry (Jack Lemmon) são músicos desempregados, que acabam testemunhando um massacre e são perseguidos por uma gangue. Para escapar disfarçam-se de mulhers e entram numa banda, conhecendo Sugar Kane (Marilyn Monroe).
Crepúsculo dos Deuses (1950): Para fugir dos representantes de uma financeira, Joe Gillis (William Holden) se refugia na decadente mansão de Norma Desmond (Gloria Swanson), antiga estrela do cinema mudo. Quando Norma descobre que Joe é roteirista, contrata-o para revisar o roteiro de Salomé, que marcará seu retorno às telas. O filme é insuportável, mas o pagamento é bom e como ele não tem muito o que fazer, aceita. Mas o destino lhe reserva surpresas. Leia mais sobre o filme.
O Pecado Mora ao Lado (1955): Richard Sherman, é um editor de livros que sente-se “solteiro” quando a mulher e o filho viajam em férias. Ele começa então a ficar cheio de idéias quando uma bela e sensual jovem, que é modelo e sonha ser atriz, torna-se a sua vizinha.
Testemunha de Acusação (1957): Quando Leonard Vole  é preso sob a acusação de ter assassinado uma rica viúva de meia-idade.  Sir Wilfrid Robarts concorda em defendê-lo. O único álibi de Vole é o testemunho da sua esposa, Christine Vole, uma mulher fria e calculista. A tarefa de Sir Wilfrid fica praticamente impossível quando Christine Vole concorda em ser testemunha, não da defesa, mas da acusação.
Farrapo Humano (1945): Em Nova York, Don Birman (Ray Milland) sonhava ser escritor, mas não consegue seu objetivo por estar sofrendo de um bloqueio. Assim, é completamente dominado pelo álcool e passa a ter como única meta obter dinheiro para continuar se embriagando, se esquecendo que as pessoas que o rodeiam sofrem por vê-lo neste estado e tudo fazem para afastá-lo da bebida. Mas enquanto a namorada, Helen St. James (Jane Wyman), editora de uma revista, quer ajudá-lo, ele bebe cada vez mais.

Comente Aqui!