Filmes Sobre a Tragédia do Titanic

812

Por Diego Nunes da Página Memória Cinematográfica

O famoso navio Titanic naufragou no dia 15 de abril de 1912, matando mais de mil e quinhentas pessoas. A tragédia com o navio ficou mundialmente famosa e já gerou diversas versões cinematográficas, além do grande sucesso de bilheterias estrelado por Leonardo Di Caprio e Kate Winslet. Confira algumas das adaptações levada às telas:

Saved From Titanic (1912)

O primeiro filme sobre o naufrágio foi feito imediatamente após a tragédia. Foi lançado nos cinemas menos de um mês depois do ocorrido, em 14 de maio daquele ano. Produzido pela Eclair, o filme foi protagonizado pela atriz Dorothy Gibson. Dorothy era uma estrela do estúdio e realmente estava a bordo do famoso navio, sendo uma das sobreviventes do desastre. A atriz usou no filme a camisola que usava quando foi resgatada em um dos botes salva-vidas. Filme perdido.

 

La Hantise (1912)Filme francês dirigido por Louis Feuillade e protagonizado pelo astro do cinema mudo francês René Navarre (de Judex e Fantomas). Contava a história de uma mulher que ia numa quiromante e está lhe diz que seu amado irá morrer em um naufrágio, à bordo do Titanic. Chamado nos Estados Unidos de “The Obsession”.

Na Noite e no Gelo (In Nacht und Eis, 1912)

Versão alemã da tragédia, contava com efeitos especiais que impressionaram na época, com uma miniatura do barco usada na cena do naufrágio. Tinha 35 minutos de duração, três vezes mais do que costumavam ter os filmes da época. Feito em preto e branco, algumas cenas foram matizadas (coloridas) para causar mais impacto. O filme foi dado como perdido no ano de 1914. Mas em 1998 um colecionador de filmes botou sua coleção à venda, e uma cópia desta obra foi encontrada no acervo.

Atlantic (1929)

Nos primeiros dias do cinema sonoro os estúdios não sabiam como vender filmes falados em inglês para países com línguas diferentes. Sem dominar ainda a técnica da dublagem e da legendagem, para não perder público, produzia a mesma versão de filmes falados em diversos idiomas e Atlantic foi um destes casos. Uma superprodução inglesa, estrelada por Madeleine Carroll, foi a primeira versão falada da tragédia. O final do filme foi alterado, retirando a cena dos sobreviventes nos botes vendo as pessoas morrendo afogadas, para não traumatizar ainda mais os sobreviventes ainda vivos na época. Teve versões em francês, Atlantis (1930) e alemão, Altantik (1929). Ewald André Dupont dirigiu as três versões.

 

Cavalgada (Cavalcade, 1933)

 Vencedor do Oscar de melhor filme, melhor diretor (Frank Lloyd) e melhor direção de arte, e indicado na categoria de melhor atriz (Diana Wynyard), o filme não é exatamente sobre a tragédia do navio inglês, mas mostra um panorama da vida britânica entre os anos de 1899 a 1933. Em um momento do filme um casal de lua de mel em um elegante cruzeiro discute o futuro em uma cena romântica. Ao final da cena, um close up em um dos salva vidas do barco revela que Edward Marryot (John Warburton) e Edith Harris (Margaret Lindsay) estão a bordo do Titanic. Frank Lawton, um dos astros do filme interpretaria futuramente o empresário J. Bruce Ismay, presidente da White Star Line (o homem que mandou acelerar o navio), no filme Somente Deus Por Testemunha.

 

Titanic (1943)

 Polêmica e conturbada versão alemã, feita pelo departamento de propaganda nazista durante a Segunda Guerra Mundial. A intenção do filme era mostrar que a Inglaterra, um dos maiores rivais do país, havia sido incompetente o bastante para produzir um navio mal feito que causou a morte de milhares de inocentes. O filme ainda conta com um herói alemão, que auxilia no resgate de centenas de pessoas, e mostra os ingleses como vilões. O diretor Herbert Selpin gastou uma enorme fortuna na produção, e usou centenas de soldados alemães como figurantes, além de literalmente afundar um navio de guerra do país para fazer a cena do naufrágio realista. Em seu diário, Selpin disse que fez isto para tirar recursos da guerra, diminuindo o número de contingente e recursos do país, para ajudar a derrota da Alemanha. Selpin não terminou o filme, sendo substituído por Werner Klinger. Ele foi preso pela Gestapo (a polícia alemã) e foi encontrado morto em sua cela antes do filme ser concluído. Oficialmente ele cometeu suicídio, mas acredita-se que ele tenha sido morto pelos oficiais nazistas.
Náufragos do Titanic (Titanic, 1953)

Uma superprodução da Twenty Century Fox, contava a história de uma mulher norte-americana (Barbara Stanwick) casada com um nobre inglês (Cliffton Webb). Cansada da vida sofisticada e cheia de formalidades ela embarca no Titanic com os filhos para fugir do marido, mas ele descobre os planos e compra de última hora uma passagem de um imigrante da terceira classe. Um drama com um elenco estrelar, que também incluía o jovem Robert Wagner, Thelma Ritter, Brian Aherne e Richard Basehart. No elenco ainda, fazendo figuração, o ator Edmund Purdon fazendo sua estreia no cinema e Mae Marsh e Harold Miller, duas antigas estrelas do cinema mudo em decadência. Foi indicado ao Oscar de melhor direção de arte em filme em Preto e Branco e ganhou o Oscar de melhor argumento.

Somente Deus Por Testemunha (A Night to Remember, 1958)

Produção inglesa, foi o primeiro filme que tentou ser fiel aos relatos dos sobreviventes e material escrito por historiadores. Elizabeth Dowdell, uma das sobreviventes originais do navio, dividiu a atenção com o elenco durante a estreia do filme nos Estados Unidos. O filme venceu o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro em língua inglesa. No elenco Kenneth More, Robert Ayres, Frank Lawton, Werner Klinger e a futura “Bond Girl” Honor Blackman. Também dos filmes de James Bond o ator Desmond Llewelyn, que interpretou o Agente Q em dezessete filmes da franquia. No elenco ainda o ator Bernard Fox (o Dr. Bombay da série A Feiticeira), que participaria do filme Titanic de 1997. Primeiro filme do ator Jeremy Bulloch, que faz um pequeno papel como um menino que pula na água durante o naufrágio. Jeremy ficaria famoso ao dar vida a Boba Fett na saga Star wars.

 

A Inconquistável Molly (The Unsinkable Molly Brown, 1964)

Musical estrelado por Debbie Reynolds, conta a vida da milionária Margareth Brown, mais conhecida como Molly Brown. Molly era uma das sobreviventes do Titanic. O filme também não conta exatamente a história da tragédia, mas retrata ela em alguns momentos. Indicado a seis Oscar, não levou nenhum. Debbie foi indicada ao Oscar de melhor atriz, mas não levou, sendo sua única indicação ao prêmio.
S.O.S Titanic (1979)

 Filme feito para a televisão, foi o primeiro filme colorido sobre o tema (se desconsiderarmos as cenas do Titanic de Molly Brown). Originalmente exibido em duas partes, foi lançado posteriormente em como um filme em versão reduzida. O filme segue o estilo dos filmes catástrofe muito populares na época. No elenco David Janssen, Cloris Leachman, Ian Holm e Helen Mirren.
O Resgate do Titanic (Raise the Titanic, 1980)
Um grupo terrorista tenta resgatar uma carga de um valioso material radioativo que estava a bordo do navio, para confeccionar armas especiais para os russos. Feito no auge da Guerra Fria, o filme custou uma fortuna na época (40 milhões de dólares) e foi um grande fracasso de bilheteria, sendo indicado em várias categorias do prêmio Framboesa de Ouro. Tem no elenco dos veteranos de peso, Jason Robards e Alec Guinness.
Titanic (1996)
Minissérie produzida pela CBS, foi lançada em vídeo e exibida na tv brasileira em versão reduzida, em forma de telefilme. No elenco Peter Gallagher, George C. Scott, Catherine Zeta-Jones, Tim Curry e a veterana Eva Marie Saint. Foi o primeiro filme a mostrar o navio se partindo no meio, todos os outros mostravam-no afundando por inteiro.
Titanic (1997)
Estrelado por Kate Winslet e Leonardo DiCaprio, esta superprodução dirigida por James Cameron, foi indicada a quatorze Oscars, levou onze, sendo um dos recordistas do prêmio. Recordista também em orçamento e bilheteria, é talvez a versão mais famosa do desastre levada às telas. Em 2012 foi relançado nos cinemas em versão 3D.
A Camareira do Titanic (La femme de chambre du Titanic, 1997)
Produção franco-espanhola dirigida por Bigas Luna. Um trabalhador francês ganha como prêmio de um concurso uma viagem à Inglaterra para ver a viagem inaugural do Titanic. Durante sua estada na cidade, ele se envolve com uma bela moça que trabalha de camareira no navio. O filme, realizado antes de Titanic de James Cameron, mudou seu nome para o lançamento, sendo chamado nos estados unidos apenas de “A Camareira” para não ser acusado de querer se aproveitar do sucesso do filme hollywoodiano. Ganhou o prêmio Goya de melhor roteiro adaptado.

Comente Aqui!