O Homem da Máscada de Ferro (1977)

2097

Richard Chamberlain foi um ator que ganhou fama participando de algumas minisséries na década de oitenta ~ como esquecê-lo como o padre de Pássaros Selvagens? ~ e se destacava também em produções teatrais. Trabalhara ao lado da consagrada Katharine Hepburn em A Louca de Chaillot e em 1977 foi escalado para interpretar os irmãos gêmeos da história baseada no livro de Alexandre Dumas. Vale lembrar que Chamberlain estrelou várias adaptações da obra de Dumas, como Os Três Mosqueteiros (1973), A Vingança de Milady (1974) e O Conde de Monte Cristo (1975). Portanto, estava no local certo.



O Homem da Máscada de Ferro inicia-se com Philippe sendo acordado no meio da noite e levado para a prisão. Ele desconhece sua verdadeira origem, e não temos de fato uma explanação sobre sua vida atual, apenas que vive de maneira modesta. As explicações nos serão dadas ao longo do filme, quando descobrimos que o motivo que o levara a prisão foi o fato de ser o irmão primogênito do rei, o malvado Louis. Louis é o extravante rei casado com uma rainha feia e triste, e que não abre mão de seus luxos. Com o seu poder consegue trazer para seu lado as mais belas damas e riquezas, mas não ganha o coração da bela Louise (Jenny Agutter), que se apaixonará secretamente por seu irmão. Ao descobrir o paradeiro de Philippe, D’Artagnan (Louis Jourdan) inicia um plano para substituir o rei pelo seu irmão mais velho.

Algumas coisas chamam a atenção no filme dirigido por Mike Newell. Embora tenha sido um filme realizado para a televisão, onde naturalmente teria menor investimento, este aqui traz um primor nos figurinos e reconstituição da época.Os cenários utilizados foram também os reais, com muitas cenas sendo realizadas no Château de Fontainebleau e outros locais históricos. O elenco igualmente chama a atenção, trazendo também Louis Jourdan, o ator francês que se destacou em diversos filmes realizados na América. Ele também esteve junto com Chamberlain em O Conde de Monte Cristo (1975), depois de estrelar uma versão realizada em 1961.
Tendo visto algumas versões, em destaque a mais atual que traz Leonardo Di Caprio, verifico que esta continua sendo a melhor já realizada sobre os irmãos gêmeos.
O rei Luís XIV verdadeiro, aquele que inspirou o livro de Alexandre Dumas, era conhecido como o Rei Sol, e teve o reinado mais longo da história europeia, durando 72 anos. Extravagante, colecionava perucas e foi o responsável pela construção do Palácio de Versalhes. Os boatos de que Luís mantinha um prisioneiro secreto que utilizava uma máscara de ferro fez com que Dumas desse asas à inspiração. De fato o prisioneiro existiu, mas até hoje não se sabe nem sua origem nem quem seja, mas certamente não era alguém muito importante.
~ O dvd está sendo lançado pela Classicline e encontra-se à venda nas melhores lojas do ramo. Legendado ou dublado, vale a pena ser conferido.

Comente Aqui!