Maccheroni (1985)

362

Em 1985 o diretor Ettore Scola uniu dois dos atores mais significativos das últimas décadas: Jack Lemmon e Marcello Mastroianni. Com um roteiro escrito por Ruggero Maccari (Um Dia Muito Especial, 1976) não podíamos esperar menos do que um bom filme. O título só entenderemos no final do filme. Então você precisa assistir para entender. Fazia anos que eu gostaria de escrever sobre Maccheroni, mas só esses dias pude ter o prazer de rever. Vamos à história?

Um muito ocupado, estressado e mal humorado executivo parte para Nápolis depois de décadas. Ele pretende fazer algumas reuniões entediantes de sua empresa e partir o antes possível. Só que Robert Traven (Jack Lemmon), nosso mal humorado executivo, é surpreendido por um senhor que bate à sua porta e se diz seu amigo dos tempos da guerra. É o bem humorado Antonio Jasiello (Marcello Mastroianni), que é recebido quase a tapas no apartamento. Antonio chega a mostrar uma foto de Robert com sua irmã Maria, nos tempos da guerra, e conta que ela o esperou durante anos. Robert de nada se recorda e o trata mal. Antonio parte, entre trocas de ofensas.
É aí que a coisa começa a mudar. Robert começa a andar pela cidade e a relembrar certas coisas. Nem sempre as memórias de um soldado que participou de uma guerra permanece ativa. Ele prefere esquecer os terrores passados, e com eles, vão junto os bons momentos também. Como aqueles passados ao lado de Maria. Aos poucos Robert relembra os lugares, procura Antonio, que o perdoa pelas ofensas, e retomam uma amizade.
Robert vai aos poucos entendendo que a vida, mesmo na velhice pode e deve ser boa. A família é o refúgio e que deve-se aproveitar os pequenos momentos, como tomar um cafezinho numa praça ou se sujar com um sorvete em plena rua. Maccheroni é um filme que emociona pelo renascimento de uma amizade há tanto esquecida, e também por lembrarmos a dar valor às coisas que parecem pequenas, às pessoas que estão ao nosso redor, às amizades, mesmo que distantes.
Antonio, em sua simplicidade, sabe de tudo isso. E repassará à pessoa que durante anos esperou que retornasse à Itália, para finalmente comer um pouco da vida. Muitas vezes damos valor a pessoas e coisas que não valem a pena. E não valem mesmo, enquanto outras permanecem ali, sempre à nossa espera. É o caso de Antonio.
Se Robert vai reencontrar Maria? Assista a Maccheroni,  um dos melhores filmes do mestre Scola e que emociona desde suas primeiras cenas. Porque amizades verdadeiras não morrem, podem até adormecer, mas não morrem.

Comente Aqui!