Desbravando o Oeste (The Way West, 1967)

1612
Kirk Douglas e Robert Mitchum

Andrew V. McLaglen dedicou boa parte de sua filmografia ao gênero que mais amava: o western. Discípulo do mestre John Ford, dirigiu suma primeira produção em 1957: Atirar para Matar (Gun the Man Down) não era um grande filme, mas agradou aos fãs do gênero. Após fazer algumas incursões na televisão, o diretor voltou-se novamente ao cinema na década de 60. Já com uma boa bagagem, lançou filmes bem populares e que traziam grandes astros: O Preço de Um covarde (com James Stewart, 1968), A Brigada do Mal (com William Holden, 1968) e Quando um Homem É um Homem (com John Wayne, 1963). Desbravando o Oeste (The Way West, 1967) também faz parte desse seu período:

O senador William Tudlock (Kirk Douglas) precisa levar um grupo de colonos para o Oregon através de um longo percurso. Para que isso seja possível, pede a ajuda de Dick Summers (Robert Mitchum), um guia experiente, porém doente e deprimido após a morte da esposa. William consegue convencê-lo e inicia-se uma longa caminhada, com vários desafios, romances, desilusões e perdas. Com o convívio constante, fica claro que a personalidade problemática de cada um aparece. William se desentende constantemente com Lije Evans (Richard Widmark), que tem ideias diferentes do senador, mas que também deseja chegar ao local e manter sua família.

Sally Field e Michael McGree

Desbravando o Oeste se passa em 1843 e traz cenas muito fortes que envolvem mortes acidentais e enforcamentos. O modo de vida no velho Oeste não parece muito justo, as leis buscam frear os instintos de seus habitantes. E seguindo a tradição dos westers, índios são considerados os malvados da história e as personagens femininas secundárias e assustadas e subjugadas. Mas estamos na década de 60 e o gênero repetia a fórmula de sucesso adquirida ainda na década de 30. Sally Field fez sua estréia no papel de Mercy McBee, uma jovem cheia de energia. Sua liberdade não é bem vinda pelos pais, que julgam que ela deve se casar o mais urgente possível, antes que “algo de ruim aconteça”. Bem, acontece, ela se envolve com um homem casado e cria uma situação péssima com a esposa deste, interpretada por Katherine Justice. No final, ambas se sentem culpadas pela desfecho de tudo. Bem, estamos nos faroestes.

É um bom épico que repete um tema constante sobre caravanas de colonizadores que atravessam terras para chegar ao tão almejado lar. Porém traz uma fotografia espetacular assinada por William H. Clothier. É possível vislumbrar belos registros das planícies do velho Oregon.

Algumas curiosidades: Essa foi a segunda vez que Kirk Douglas e Robert Mitchum trabalharam juntos. A primeira foi no noir Fuga do Passado (Out the Past, 1947), um dos primeiros da carreira de Douglas. Mitchum e Widmark tinham algo em comum: também não se davam bem com Kirk Douglas, que assim como seu personagem, gostava de ditar ordens e ter o controle do filme.

* Desbravando o Oeste está sendo lançado em dvd pela Classicline, trazendo versões dublada e legendada. Você pode adquirir o filme em qualquer loja do ramo ou online clicando na imagem abaixo:

Comente Aqui!