Os Maiores Astros do Cinema da Década de 40

44213
Robert Mitchum (1917–1997): Conhecido também por seu gênio forte, iniciou a carreira de grande sucesso ainda na década de 40, onde fez inúmeros filmes, dentre eles Fuga do Passado (1947) e Noite na Alma (1946). Continuou a fazer sucesso nas décadas posteriores.
Van Johnson (1916–2008): O rapaz casamenteiro e bem intencionado que quase sempre estava em um filme de romance. Eis Van Johnson. Confira em A Noiva Desconhecida (1949) e O Preço da Glória (1949).
Vivien Leigh (1913–1967): É difícil de fato encaixar Vivien em alguma década, porque ela brilhou em todas em que atuou, inciando com o aclamado E o Vento Levou. Mas não esquecemos de sua presença em filmes como Anna Karenina, A Ponte de Waterloo e Uma Rua Chamada Pecado.
John Payne: O ator pode ser visto em filmes como O Fio da Navalha (1946), conflito Sentimental (19456) e Um Homem Irresistível. Ele conseguiu manter o sucesso nas décadas seguintes. Vale a pena também assistir De ilusão também se vive (1947).
Jeanne Crain (1925–2003): esta americana fez um enorme sucesso na década de 40 em filmes como Apartamento para Dois (1948), O que a Carne Herda (1949) e Quem é o Infiel (1949).
Victor Mature (1913–1999): Não era um ótimo ator, mas tinha uma grande presença na tela. O que pode ser visto em filmes como Quem Matou Vicki? e Sansão e Dalila (1949).

Judith Anderson (1897–1992): foi uma atriz da Austrália de palco e cinema, nomeada para um Grammy e um Oscar. Ela é considerada pelos críticos de teatro como a maior atriz clássica australiana.

Agnes Moorehead (1900–1974): Sua carreira durou seis décadas e incluiu trabalhos em rádio, teatro, cinema e televisão. Ela se tornou conhecida como a Endora da série A Feiticeira, mas é notável por seus papéis em Cidadão Kane, Tudo o Que o Céu Permite e Showboat.

Teresa Wright (1918–2005): Em 1941, Teresa foi indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante por sua performance de estréia no cinema em The Little Foxes. A atriz se rebelou contra o sistema dos estúdios, sendo demitida MGM. A partir de 1955, Teresa passou a atuar mais em peças de teatro e na televisão.

Barbara Stanwyck (1907 – 1990): a atriz se tornou um dos maiores ícones do cinema e na década de 30 fez enorme sucesso com seu filme Stella Dallas, de 1937. Seu sucesso continuou na década seguinte, se firmando como uma das atrizes mais famosas do cinema.

Ingrid Bergman (1915–1982): Ela foi uma das maiores atrizes da Era de Ouro de Hollywood. considerada por muitos uma das maiores estrelas do cinema de todos os tempos. Ganhou dois Oscares de Melhor Atriz principal e um de Melhor Atriz coadjuvante.

Gary Cooper (1901 – 1961): duas vezes vencedor do prêmio Oscar de melhor ator. Sua carreira durou desde a década de 1920 até o ano de sua morte, tendo atuado em mais de cem filmes.

Charles Boyer (1899–1978): Nascido na França, alcançou o sucesso em filmes americanos. Dentre seus maiores sucessos se destacam Gaslight (1944) e Tudo Isto e o Céu também (1940).

Alan Ladd (1913–1964): This Gun for Hire foi seu filme de maior sucesso na década, mas o ator continuaria em alta com The Blue Dahlia, de uma história de Raymond Chandler. Ele formou sua própria companhia para produção de filmes e programas de rádio e realizou e participou da série Box 13, de 1948 a 1949.

Cary Grant (1904 –1986): Houve um tempo em que todos queriam ser Cary Grant. Um ator versátil, atuou em mais de 70 filmes em toda sua carreira.

Paul Henreid (1908–1992): Ator e cineasta, ficou conhecido principalmente por seu papel em Now, Voyager (1942) e também por Casablanca, onde interpretava o marido de Ingrid Bergman.

James Stewart (1908 – 1997): James continuou sendo um dos atores mais aclamados da década de 40. Ator de cinema, teatro e televisão. Atuou em inúmeros filmes considerados clássicos, e foi indicado a cinco prêmios de Oscar de Melhor Ator.

Bette Davis (1908 – 1989): a atriz começou a carreira na década de 30 e seguiu até sua morte em 1989 sendo constantemente apontada como a maior atriz de todos os tempos. Dentre seus maiores sucessos na década de 40 estão A Carta e Pérfida.

Gladys Cooper (1888–1971): Nascida em Londres, mudou-se para Hollywood na década de 40, encontrando sucesso em papéis de mulheres aristocráticas, sendo nomeada três vezes para o prêmio da Academia.

Gene Tierney (1920–1991):Nascida em uma família rica, ingressou no cinema em 1941 no filme A Volta de Frank James. Mas o sucesos veio mesmo em Amar foi a Minha Ruína e Laura, ambos na década de 40.

Joan Fontaine (1917–2013): Irmã mais nova de Olivia de Havilland, recebeu sua primeira indicação ao Oscar por Rebecca (1940), voltando a ser indicado ao Oscar por seu papel como Lina McLaidlaw Aysgarth no Suspeita (1941), ganhando dessa vez o prêmio.

Mary Astor (1906 – 1987): O trabalho da atriz, seja como heroína ou como vilã, misturava sempre sua beleza sombria com sensualidade. A consagração veio em 1941, com o Oscar de melhor atriz (coadjuvante/secundária) pela atuação no filme A Grande Mentira.

Basil Rathbone (1892–1967): O ator se tornou conhecido sobretudo após sua representação de Sherlock Holmes. Ele também era especializado em vilões em filmes de capa e espada.

Charles Coburn (1877–1961): Foi premiado com o Oscar de melhor ator em 1944, por sua atuação no filme The More the Merrier.

Claude Rains (1889–1967): Em 1946, Rains se tornou o primeiro ator a receber o salário de um milhão de dólares, pelo papel de ‘Júlio César’ no filme Caesar and Cleopatra. Dentre seus maiores sucessos encontram-se Notorious (1946) e Casablanca.

Dana Andrews (1909–1992) : Dana se tornaria conhecido por seu personagem no clássico Laura (1944), onde interpreta um detetive obsessivo. Outro grande sucesso é The Best Years of Our Lives.

Edward G. Robinson (1893–1973): foi um ator de cinema romeno naturalizado norte-americano, que notabilizou-se em filmes como Alma no lodo,1931; Paixões em fúria,1948; A mesa do diabo,1965.

Linda Darnell (1923–1965): Seu primeiro filme veio em 1939, aparecendo em papéis secundários no início da carreira. Posteriormente chegou ao estrelato co-estrelando filmes ao lado de Tyrone Power. Ganhou a aclamação pública por seu trabalho em Infielmente Tua (1948).

Donna Reed (1921–1986): Contratada pela MGM em 1941, Entre seus filmes mais famosos, destacam-se A Felicidade não Se Compra (1946), de Frank Capra, e A um Passo da Eternidade (1953), de Fred Zinnemann.

Veronica Lake (1922–1973): A atriz se tornou famosa por seus papéis de mulher fatal em filmes noir com Alan Ladd durante os anos 40.

Lauren Bacall (1924–2014): Ela é conhecida principalmente por destacar-se no cinema noir em filmes como À Beira do Abismo (1946) e Prisioneiro do Passado (1947), bem como uma comediante, como visto em Como Agarrar um Milionário (1953).

Olivia de Havilland (1916): Atriz vencedora de dois Oscars (The Heiress e To Each His Ow), ambos na década de 40. Sua carreira coleciona grandes sucessos, muitos ao lado de Errol Flynn.

Errol Flynn (1909 – 1959): nascido na Austrália, fez sucesso com atuando em filmes de capa e espada. Sua parceria ao lado de Olivia de Havilland é inesquecível.

Fred MacMurray (1908–1991): Antes de ir para Hollywood tentar a carreira coo ator ele foi músico e tocava saxofone em uma orquestra. Começou no cinema fazendo comédias românticas mas depois participou de grandes clássicos dramáticos como “Pacto de Sangue” de Billy Wilder em 1944

Henry Fonda (1905–1982): Um dos principais atores americanos, é o patriarca de uma família de atores, entre os quais seus filhos Jane Fonda e Peter Fonda, e sua neta Bridget Fonda.

Herbert Marshall (1890–1966): filho de atores, o ator é lembrado por sua contribuição em filmes como Correspondente Estrangeiro (1940) e A Carta.De 1944 a 1952, Marshall estrelou sua própria série de rádio, The Man Called ‘X’

Humphrey Bogart (1899 – 1957): Eleito o a maior estrela masculina do cinema norte-americano de todos os tempos pela AFI, teve destaque em filmes noir e policiais.

James Cagney (1899 – 1986): Era um artista de vários gêneros, mas se tornaria célebre interpretando gângsters violentos e loucos em filmes como Inimigo Público, Fúria Sanguinária e Anjos da Cara Suja.

Jean Arthur (1900 – 1991): o auge de sua carreira ocorreu durante as décadas de 1930 e 1940, quando participou de filmes de grande sucesso, como as comédia malucas Mr. Deeds Goes to Town (1936) e Mr. Smith Goes to Washington (1939). –

Virginia Mayo (1920–2005): Dona de uma beleza esfuziante em seus traços regulares, cabelos louros acinzentados e límpidos olhos verdes, a atriz foi lançadaao lado de Bob Hope no sucesso The Princess and the Pirate. Com a popularidade estabelecida, atuou em Wonder Man (1945), o primeiro de seus cinco bem-sucedidos filmes com Danny Kaye.

Maureen O’Hara (1920): Ficou conhecida por interpretar heroínas fortes e apaixonantes com notável sensibilidade. Trabalhou diversas vezes com o diretor John Ford e com John Wayne, seu amigo de longa data.

Joan Bennett (1910–1990): Joan tornou-se a rainha das mulheres fatais dos filmes noir, que alcançariam enorme popularidade nas duas décadas seguintes. São notáveis as quatro películas que fez com Fritz Lang: O Homem Que Quis Matar Hitler (Man Hunt, 1941), Um Retrato de Mulher (The Woman in the Window, 1944), Almas Perversas (Scarlet Street, 1945) e O Segredo da Porta Fechada (The Secret Beyond the Door, 1947).

Rhonda Fleming (1923): São das décadas de 40 e 50 alguns de seus filmes mais representativos, como o musical A Connecticut Yankee in King Arthur’s Court (1949),y, The Buster Keaton Story (1957), e os dois principais faroestes dos treze que coestrelou, Pony Express (1953), com Charlton Heston e Gunfight at the O.K. Corral, com Burt Lancaster e Kirk Douglas.

Joel McCrea (1905–1990): Em 1940 ele protagonizou “Correspondente Estrangeiro”, de Alfred Hitchcock. Em 1943, The More the Merrier e se destacou sobretudo em faroestes.

John Garfield (1913–1952): O ator ficou conhecido pelos papéis de rebelde pertencente à classe operária. É considerado o predecessor de atores como Marlon Brando, James Dean e Montgomery Clift.

Joseph Cotten (1905–1994): Era considerado um homem e um ator, extremamente modesto, mas grandioso, muito inteligente e discreto, bem ao contrário da maioria dos galãs de Hollywood da sua época.

Ray Milland (1907–1986): Milland foi galã na década de 1930, fez vários personagens suspeitos nas décadas de 1940 e de 1950 e foi herói de filmes de ficção científica. Foi contratado pela Paramount Pictures de 1934 até ao final da década de 1950.

Laurence Olivier (1907–1989): vencedor de prêmios como Oscar, Globo de Ouro, BAFTA e quatro vezes vencedor do Emmy. É considerado por muitos como o maior ator anglófono de todos os tempos.

Katharine Hepburn (1907 – 2003): Foi uma importante atriz dos Estados Unidos. A carreira de Hepburn é vista como uma das mais famosas de Hollywood e durou por mais de 60 anos.

Rita Hayworth (1918–1987): A inesquecível Gilda atingiu o auge da carreira na década de 40 e se tornou um ícone do cinema. Ela também fez sucesso em Salomé.

Claudette Colbert (1903 – 1996): foi uma atriz americana, mais conhecida por seu desempenho em It Happened One Night, pelo qual recebeu o Oscar de melhor atriz de 1934. Dentre seus maiores sucessos da década de 40 estão Mulher de Verdade (1942) e Desde Que Partiste (1944).

Greer Garson (1904–1996): Greer assinou um contrato com a MGM e fez sua primeira aparição num filme norte-americano em Adeus, Mr. Chips de 1939, recebendo um Oscar por Rosa da Esperança. Ela também é conhecida por estrelar vários filmes ao lado do ator Walter Pidgeon.

Jennifer Jones (1919–2009): O diretor Henry King ficou impressionado com o teste dela para o papel de Bernadette Soubirous em The Song of Bernadette (1943). Ela acabou ganhando o papel, cobiçado por centenas de candidatas. Em 1944, seu vigésimo quinto aniversário, Jones recebeu o Oscar de melhor atriz por sua performance no filme.

Orson Welles (1915–1985): Ator, roteirista, produtor e ator. Iniciou a sua carreira no teatro, em Nova Iorque, em 1934 e se consagrou com Cidadão Kane, de 1941.

Peter Lorre (1904–1964): Trabalhou em Casablanca, Relíquia Macabra e M, filme de 1931, dirigido por Fritz Lang. No final de sua carreira dedicou-se a filmes de terror.

Peter Lawford (1923–1984): O ator participou de vários musicais e fez sucesso como galã em meados da década de 40. Na década seguinte dedicou-se à televisão, onde chegou a ter um programa de entrevistas.

Robert Young (1907–1998): O ator fez uma série de papéis coadjuvantes, fazia parte da chamada “lista B”, atores que faziam vários filmes em um ano, mas apenas papéis pequenos. Mesmo assim, Young atuou com grandes estrelas da época e teve alguns papéis importantes.

Spencer Tracy (1900–1967): Tracy é descrito como um dos maiores atores da história do cinema dos Estados Unidos. Participou em mais de setenta filmes em três décadas. Juntamente com Laurence Olivier possui o recorde de indicações ao prêmios Oscar de melhor ator.

Tyrone Power (1914–1958): atuou em diversos filmes entre os anos 30 e 50, em papéis de capa-e-espada ou personagens românticos, como em The Mark of Zorro, Blood and Sand, The Black Swan, Prince of Foxes, The Black Rose, e Captain from Castile.

Margaret O’Brien (1937): Se a década de 30 teve Shirley Temple, Margaret foi o destaque nos papéis infantis. Ela esteve divina ao lado de Judy Garland em Agora Seremos Felizes (1944) e em Quatro Destinos (1949) atuou ao lado de Elizabeth Taylor.

Dorothy McGuire (1916–2001): Em 1948, Dorothy foi indicada ao Oscar de melhor atriz, por Gentleman’s Agreement. Ela teve uma longa carreira em Hollywood. Nos últimos anos, trabalhou mais na televisão, participando de seriados e minisséries.

Jane Wyman (1917–2007): Por 10 anos a atriz fez pequenos papéis em filmes sem importância na Warner. Billy Wilder, então, a emprestou para The Lost Weekend (“Farrapo Humano”), em 1945, filme vencedor do Óscar. A partir de então, foi reconhecido seu talento.

Judy Garland (1922–1969): Ganhando fama após O Mágico de Oz, se consagrou nos grandes musicais da MGM, onde cantava, dançava e atuava.

Lana Turner (1921–1995): A atriz Percorreu várias etapas até alcançar o estrelado em “O Destino bate à sua porta” (The Postman Always Rings Twice) de 1946. Considerada símbolo sexual entre as décadas de 1940 e 1950 e tornou-se uma das atrizes mais bem pagas da época.

Ida Lupino (1918–1995): Estrelou em filmes como A Taverna do Caminho (1948), O Lobo-do-Mar (1941), e se tornou também diretora. Estrelou e dirigiu episódios de séries de televisão, como A Feiticeira, Batman e Bonanza.

Margaret Sullavan (1909–1960): De espírito rebelde, Margaret acabou fazendo poucos filmes no cinema, apesar de ser bem querida pelo público. A partir da década de 50 ela se dedicou ao teatro.

Walter Pidgeon (1897–1984): O ator canadense viveu a maior parte de sua vida adulta nos Estados Unidos. Ele estrelou muitos filmes, incluindo Blossoms in the Dust, Mrs. Parkington, The Bad and the Beautiful, Forbidden Planet, dentre outros. É marcante sua parceria com Greer Garson.

Outros destaques: Maria Montez,

Comente Aqui!