Assista aos Melhores Filmes de D. W. Griffith

1249

D. W. Griffith nasceu em Kentuchky em 22 de janeiro de 1875. Quando ele chegou ao cinema, a sétima arte estava ainda engatinhando. No período que abrange 1908 e 1913 o diretor fez cerca de 450 curtas, que em sua maioria maciça foi destruída. Esses filmes que eram roteirizados na hora serviram para que ele experimentasse vários planos de câmera, aprendesse como determinado movimento de tela poderia fazer diferença numa cena, dentre outros experimentos de luz e localização.

Chegando na Califórnia, Griffith contribuiu sem sombra de dúvidas para que o cinema se tornasse o que é hoje. Se não criou grande parte dos “truques”, ampliou suas aplicações e adaptou-as em seus filmes. O cinema não nasceu com D. W. Griffith, mas ele ajudou a melhorá-lo através de novos elementos, como iluminação.

Nem por isso deixa de ser um homem imperfeito. O Nascimento de uma Nação consegue ser uma obra prima mas ao mesmo tempo é um dos filmes mais estúpidos já realizados. E este não é um pensamento só do nosso tempo, a crítica e alguns colegas se posicionaram contra a maneira como Griffith mostrava todo o seu racismo e elevava a Ku Klux Klan.

O seu filme seguinte, Intolerância, parecia um pedido de desculpas, mas era tarde demais. Em 1919 ele se juntou a Charles Chaplin, Mary Pickford e Douglas Fairbanks e criaram a United Artists. Mas o diretor pouco colaborou com a Companhia, lançando alguns filmes mais sem grande sucesso. Ele ficou inexoravelmente marcado pelo filme racista, sendo sempre mal falado pela crítica.

Ele era essencialmente um diretor de filmes mudos. Com a chegada do cinema falado ele ainda fez dois filmes e acabou se aposentando após estes. O diretor faleceu em 21 de julho de 1948 após sofrer uma hemorragia cerebral.

Separei alguns filmes do diretor que achei no youtube. Todos são de domínio público e não foram postados por mim.

Judith of Bethulia (1914): O filme é baseado na personagem Judith, uma viúva que segundo a bíblia, deseja acabar com uma guerra em sua cidade. Para isso ela invade o harém do inimigo e seduz o general Nabucodonosor. Com Antonio Moreno, Blanche Sweet, Dorothy e Lillian Gish (sem dúvidas um grande elenco)

O Nascimento de uma Nação (1915): A guerra civil acaba influenciando negativamente a amizade de de dois irmãos. São retratadas as conseqüências da guerra na vida destas duas famílias e as conexões com os principiais acontecimentos históricos, como o crescimento da Guerra da Secessão, o assassinato de Lincoln e o nascimento da Ku Klux Klan. A obra mais controversa do diretor. Importante pelo seu valor histórico mas execrável por seu racismo.

https://youtu.be/nGQaAddwjxg

Intolerância (1916): Quatro histórias sobre intolerância são contatadas ao longo do filme.

Lírio Partido (1919): Considerada a obra mais poética do diretor. Contando a história de amor entre uma jovem pobre e um chinês. O filme traz uma das melhores performances de Lillian Gish:

Inocente Pecadora (1920): Anna é uma garota inocente que aacaba sendo enganada por um homem e deixada grávida.

Órfãs da Tempestade (1921): Louise e Henriette cresceram juntas mas são separadas durante uma viagem. Mas logo mais as duas se reencontrarão durante a revolução.

Confira também:

Atrizes do cinema mudo: Bessie Love (1898 – 1986)

Comente Aqui!