Mãe Índia (Mother India, 1957)

354

Esta foi a produção mais cara na Índia até então, se tornando não só a maior bilheteria do ano, mas uma das maiores de todos os tempos. Mãe Índia era tecnicamente impecável, mas a falta de preparo para itens básicos como legendas em inglês, fez com que perdesse o Oscar de Melhor Filme estrangeiro naquele ano. Conheça um pouco mais sobre um dos mais belos filmes de todos os tempos.

Filmes indianos amam cenas de casamentos. Em uma das primeiras sequências temos Radha (Nargis) chegando para seu casamento com Shamu (Raaj Kumar). Os tons vermelhos, as cores e a música indicam a esperança de uma vida melhor. Não sabemos quem é aquela mulher, de onde veio. É como se sua vida começasse naquele momento em que amarra os laços com Shamu. A mulher não espera muita coisa, foi criada para servir, e após os festejos, começa a dura vida de uma pessoa reprimida pela sociedade e família. Radha tem filhos, trabalha ao lado do fraco marido, sua cabeça sempre abaixo da dele, para não ferir seu fraco ego.

Quando Shamu sofre um acidente e perde os braços, entra em depressão. Não aguenta se apontado como um deficiente e, covardemente, abandona a família. Não ouviremos mais falar dele. A vida segue. O pesadelo tem início, mas ela irá criar os filhos bravamente. Tendo que sobreviver, Radha toma às rédeas de sua vida, transforma-se em uma líder.

A história não era nova. Mãe Índia (Mother India, 1956) era um remake de Aurat, lançado em 1940. O filme dirigido por Mehboob Khan mostra a força da mulher indiana, seus valores morais e sacrifícios, mas também pode ser visto como uma metáfora sobre a nação, tão repleta de deuses quanto injustiças. É bonito esteticamente. Sempre achei que filmes indianos combinam bem com cores vivas. Este technicolor mostra exatamente isto. Em sua paleta, cores que fazem jus à riqueza visual desta pátria, tendo como soberana a vermelha. Mas à medida que avançamos na história de Radha, os tons passam a ser mais amarronzados, indicando amor pela terra e luta.

Uma das cenas que mais chamam a atenção é aquela em que Radha ara a terra. Na ausência de animais que lhe auxiliem na lida, a personagem coloca sobre os ombros a carga de responsabilidade. Os filhos a ajudam como podem. Sua pose lembra o calvário de Jesus Cristo.

Como você percebeu neste clipe, a música se torna um importante elemento de cena. É assim em quase todos os filmes desta região. É mesmo uma das características fundamentais de um bom filme indiano, movendo-se de maneira quase independente da película. Os cantores, ao contrário de Hollywood, são bastante conhecidos, e acabam se tornando tão astros quanto os atores principais. Aqui foram usados alguns dos maiores de sua época: Lata Mangeshkar e Manna Dey. Lata se tornou a dubladora oficial de centenas de atrizes. Sim, centenas. Com uma carreira que durou mais de seis décadas (entre 1940’s a 1990’s), Lata se tornou icônica e amada. Ela era a dubladora oficial de Nargis, desde o início da carreira desta.

Aos 26 anos à época, Nargis vivia o auge da carreira, ao interpretar magnificamente Radha nas três fases da história. Sua popularidade se fez, porém, alguns anos antes, quando atuou ao lado de Raj Kapoor em vários filmes. A dupla se tornou um grande sucesso. Porém, com o término do romance, seus olhos se viraram para outros filmes e amores. Mãe Índia se tornou o auge de sua carreira, mas inesperadamente foi seu último grande filme.

Isto porque a atriz conheceu durante as filmagens o ator Sunil Dutt, que interpreta seu filho na idade adulta. Em uma cena de incêndio, a atriz foi envolvida em fogo e Sunil a salvou. O ato heroico foi o suficiente para que ela se apaixonasse por ele e iniciassem um romance. Eles se tornaram par constante e a opinião pública parecia chocada ao ver Nargis, que já tivera um romance com um homem casado (Raj), se envolver com o ator que fazia seu filho no filme. Mas nada demais, Sunil era apenas um ano mais novo que ela. Contrariando todas as previsões, os se casaram. O ator começava uma carreira de sucesso, e como todo bom indiano, não soube lidar com a carreira da esposa. Convidada a ir aos Estados Unidos representar o filme, Nargis não pode ir: incomodado com o sucesso da esposa, o ator Sunil Dutt, a proibiu de ir à América.

A atriz passaria a trabalhar nos bastidores da carreira do marido, auxiliando-o durante toda a vida. Sunil se tornaria um grande astro, mas não conseguiria apagar a história de Nargis, que mesmo afastada das telas seguiu sendo um dos rostos mais aclamados do cinema daquela região.

Sei o quanto é difícil encontrar filmes indianos para download. É possível assistir a este no youtube. Porém o mesmo está sem legendas. Caso você deseje baixa-lo com legenda em português, clique aqui.

Comente Aqui!