Celebrando Gene Kelly em seu Aniversário

1529

Ele é conhecido por seu porte atlético e também por nos presentear com aquela dança na chuva que todos nós iremos tentar reproduzir ao menos uma vez na vida. Para comemorar sua existência, fomos em busca de algumas curiosidades sobre sua vida e arte.

– Gene frequentou a escola de dança em Pittsburgh, e começou a dançar ao lado dos irmãos no grupo “The Five Kellys”. Seu irmão Fred também era um ótimo dançarino, mas não conseguiu sobrepor-se ao mais famoso Kelly. Em 1939 Fred substituiu Gene na Broadway na peça “The Time of Your Life” e ganhou um prêmio.

“The Five Kellys”
Com seu irmão Fred

David O. Selznick ficou fascinado depois que o viu atuando na produção da Broadway  Pal Joey. Logo em seguida o contratou mas não sabia o que fazer com o ator. Depois de um tempo, vendeu seu contrato para a MGM que resolveu investir em sua carreira em musicais.

Kelly e Vivienne Segal na produção teatral “Pal Joey.”

– Tony Martin, marido de Cyd Charisse, contou que sabia quando a esposa estava trabalhando com Gene Kelly: a atriz sempre voltava para casa com o corpo coberto de hematomas.

 – Gene e Judy Garland se conheceram quando ele ainda estava trabalhando na peça Pal Joey. Judy já era uma grande estrela e o chamou para um jantar. For Me and My Gal (1942) marcou a estréia dele e o primeiro dos três filmes em que os dois atuaram juntos. Os outros foram O Pirata (1948) e Summer Stock (1950).  Os bastidores de O Pirata foram marcados pelo ciúme que Judy sentia da atenção dada por seu marido Vincent Minnelli a Gene Kelly. Sobre Judy ele falou: “Ela era a maior performer da América e não havia limites para eu talento. Foi de longe a pessoa mais brilhante com quem trabalhei.”
 

–  Gene iria dividir a cena novamente com Judy Garland em Desfile de Páscoa (1948). Já com o contrato assinado, o ator quebrou a perna ao descer do telhado (o que ele estava fazendo lá?). Com isso, Fred Astaire foi chamado às pressas e dividiu a cena com a atriz.

– Acho que todos já observaram uma marca em forma de meia lua em seu rosto. Ela lhe confere um certo charme, não acham? Mas o fato é que a marca é resultado de um acidente que ele sofreu ainda na adolescência, quando caiu de uma bicicleta.


– Paris tinha um lugar de destaque em seu coração. Seu amor pode ser visto em An American in Paris e o famoso balé do filme. Mais tarde ele produziu e dirigiu outros filmes realizados na França e compôs um ballet para o Paris Opera. Em retribuição, ganhou a Legião de Honra.

– Gene é conhecido por seus filmes musicais, mas chegou a fazer o total de quatorze filmes não musicais. Alguns desses filmes são Christmas Holiday (1944), Living in a Big Way (1947), The Three Musketeers (1948), Marjorie Morningstar (1958), and Inherit the Wind (1960). Christmas Holiday (1944) é um filme noir dirigido por Robert Siodmak. Gene atua ao lado de Deanna Durbin (outra grande atriz de musicais) e seu papel não é de mocinho…

– Betsy Blair, sua primeira esposa, o conheceu em 1940 quando ela foi para uma audição como dançarina. A atriz casou-se com ele aos 17 anos e chegou a fazer alguns filmes de sucesso como Marty (1955), onde recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz. Os dois se divorciaram em 1957 e ela faleceu de câncer aos 85 anos.
– Quando sua filha Kerry nasceu em 1942, o ator fez uma declaração para a Motion Picture dizendo que ele não esperava que ela tivesse algum traço seu, mas que se divertisse tanto quanto seu velho pai estava se divertindo. Kerry nasceu do relacionamento do ator com a também atriz Betsy Blair, e se tornou uma psicóloga.
Com Betsy e Kerry
Com Betsy e Vincent Minnelli
– A segunda esposa de Gene foi Jeanne Coyle. Os dois se conheceram quando ela passou a frequentar a casa do astro com seu marido, o também ator Stanley Donen. Após o divórcio em 1949, Jeanne se tornou assistente de Gene e apareceu em alguns filmes como On the Town (1949), Summer Stock (1950), Singin’ in the Rain (1952) e Kiss Me Kate (1953). O casal finalmente uniu os laços em 1960 e ela decidiu abandonar a carreira para se dedicar à família. Os dois tiveram dois filhos e Jeanne faleceu em 1973 de leucemia, deixando o astro viúvo.
– Para avisar que estava grávida de Timothy, sua esposa Jeanne Coyne enviou um cartão de aniversário para ele que estava filmando Gigot (1962) em Paris. No cartão ela informava que o presente estava dentro dela. Timothy chegou a falar sobre o pai: “Eu tinha em casa os maiores sapatos pretos de todos os tempos. Rapaz, como eu sinto falta daqueles sapatos!”.
Com Jeanne
– A segunda filha do casal Gene/Jeanne é Bridge, nascida em 1964. Gene na época em que ela nasceu ficou indignado com a invasão de sua privacidade, já que ainda no hospital, recebeu uma ligação de uma colunista que descobriu que sua mulher estava dando a luz naquele momento. Bridge se tornou figurinista e alguns de seus trabalhos podem ser vistos em The Truth About Cats and Dogs (1996), Airheads (1994), Dennis the Menace (1993).
Gene com os filhos
– Patricia Ward Kelly conheceu Gene em 1985 quando ele narrava um documentário que ela roteirizou. Os dois logo começaram a namorar e se casaram em 1990. Patricia está trabalhando em um livro sobre o marido.
Com sua última esposa, Patricia

– A família do ator era católica, e desde a infância ele frequentava a igreja. Foi durante uma viagem ao México que ele teve contato com a pobreza e começou a questionar sua fé. A partir de então ele se declarou agnóstico.

– Sobre Fred Astaire ele chegou a comentar: “Se Astaire é o Cary Grant da dança, eu sou o Marlon Brando. Ele representaria a aristocracia e eu o proletariado. O estilo dele é mais íntimo e eu acho que ele fica ainda maior na tela grande. Adoraria deslizar tão suavemente quanto ele. Se tivéssemos qualquer ressentimento não seria entre nós, seria pelos jornalistas que insistiam em criar uma suposta rivalidade. Nós nunca fomos rivais e tínhamos um estilo totalmente diferente.”
Com Fred Astaire
Não havia rivalidade

– Madonna sempre foi fã dos clássicos. A prova disso são as homenagens sempre prestadas por ela a alguns dos mais famosos. Quando teve a oportunidade, a cantora chamou Kelly para ajudar na composição de sua música Rain, que seria inspirada na mais famosa sequência de Cantando na Chuva. Apesar do extremo respeito pelo ator, os dois não conseguiram definir os rumos do trabalho e Gene acabou sendo dispensado. Ele foi uma das estrelas citadas por Madonna na canção Vogue.

– A partir dos trinta anos Gene começou a perder seus cabelos e teve que se curvar à pressão dos estúdios usando uma peruca. Algumas vezes ele também usava bonés e chapéus para disfarçar a calvície.

 

– O ator sofreu o primeiro AVC em 1994. O segundo foi mais forte e o atingiu em 1995 e ele nunca mais conseguiu se recuperar, morrendo em 2 de fevereiro de 1996. Seu funeral foi repleto de controvérsia, já que sua última esposa, Patrícia não queria receber os filhos dele e mandou cremar seu corpo antes que eles chegassem.
Fontes:
http://genekellyfans.com/
http://greatentertainersarchives.blogspot.com.br
http://www.freewebs.com/geneius/hanginroundmydoor.htm
http://www.nytimes.com/2009/12/27/magazine/27blair-t.html?_r=0

Comente Aqui!