Eva Perón: Alguns Fatos curiosos sobre a “Mãe dos Pobres”

4222

Ela teve uma carreira meteórica no cinema, e se tornou mais conhecida como a primeira dama argentina, após seu casamento com Juan Perón. Sua morte precoce, aos 33 anos, fez com que fosse tomada como um mito e até uma santa, por muitos. Mas há muito da história desse mito que poucos sabem. Ou preferem não saber. Confira alguns fatos sobre a vida de Eva.

1. Seu pai jamais a assumiu, mas sua família não era tão pobre

Sua mãe à esquerda. Ao lado Eva com os irmãos por volta de 1921. Ela é a menorzinha.

Há uma lenda sobre a pobreza extrema de Eva ao nascer. Na verdade, sua mãe, chamada Juana Ibagueren, teve cinco filhos: Elisa, Blanca, Juan e Erminda. Eva era a mais nova de todos e seu nome de batismo era Eva Ibaguren. Juana tinha um pensionato com o qual conseguiu manter seus filhos de maneira digna. Porém um fato é verdade, filha ilegítima de Juan Duarte, ela sofreu discriminação durante a infância, já que todos sabiam quem era seu pai.

2. A casa onde ela nasceu em em Los Toldos virou um Museu

Eva nasceu em 7 de maio de 1919, Los Toldos, província de Buenos Aires. A casa onde ela nasceu pode ser visitada por todos. Lá você encontra materiais, livros e acervos que contam a história oficial de Evita. Mais informações, inclusive sobre preços e agendamentos neste site: Clique aqui.

3. Ela partiu de sua casa aos 15 anos para se tornar atriz de sucesso

Modelando em uma revista no final da década de 30

Essa fase é meio contraditória. A maioria dos sites e livros falam que ela saiu com a ajuda do cantor Agustín Magaldi (de quem seria amante), e através dele conseguiu seus primeiros trabalhos. Outras fontes (como esta aqui) fala que ela sequer o conheceu e que teria ido para a capital para morar com seu irmão e lá iniciou a carreira artística. Fica difícil saber a verdade.

4. Ela nunca foi uma atriz extraordinária, mas era bela e trabalhou bastante naqueles dias

Eva modelou, fazia propagandas, participava de pequenas peças e até cantava nas rádios. Com o tempo fez amizades que lhe garantiram a chegada ao cinema em ¡Segundos afuera! (1937). Ela trabalhou em somente seis filmes. O drama La pródiga (1945) marcou sua despedida das telas ao lado de Juan José Miguez. O motivo do afastamento é o que você imagina, o namoro com o revolucionário ‘Juan Perón.

5. Sua carreira no cinema foi relativamente curta, mas ela teve tempo de ter uma treta fenomenal com a atriz Libertad Lamarque

A treta que prejudicaria a carreira de Libertad Lamarque teve início enquanto filmavam La cabalgata del circo (1945). Após se tornar a primeira dama da Argentina, nossa vovó Piedade (papel mais famosa da Lamarque aqui no Brasil) teve que abandonar seu país durante um bom tempo. Falo mais sobre isso nessa matéria. Clique aqui.

6. Ela mudou seu nome ao se unir a Perón. Mas não foi só isso.

Evita e Perón no casamento, realizado em 22 de outubro de 1945. Peron tinha 50 anos e sua esposa 26. Ela foi sua segunda esposa (a primeira foi Aurélia Tizón (entre 1929 e 1938). Após a morte de Evita, ele se casou uma última vez, com Maria Estela Martínez (1961 a 1974).

A história oficial é que eles se conheceram em 1944 em um ato no Luna Park, que fica em Buenos Aires. Mas ele já a vira nos filmes. Casar-se com um político requeria toda uma repaginada na vida de Eva. A primeira foi mudar seu sobrenome para Duarte, esquecer que ela era filha ilegítima e torna-la uma “grande dama” através de uma falsa certidão de nascimento onde consta o nome de Juan Duarte como pai. Ela também refez seu estilo, se tornando cada vez mais elegante.

7. Após o casamento, ele se tornou o presidente e ela a “mãe dos pobres”

Eva se tornou ao mesmo tempo uma líder espiritual e também lutava pelo direito dos pobres, os conhecidos “descamisados”. Estes a chamavam de Evita. Dentre seus projetos estavam construções de escolas, hospitais, asilos e programas sociais que a levavam a trabalhar muitas horas por dia. Além disso ela também organizava doações de comidas e roupas aos mais pobres. Ela também promoveu o voto feminino e fundou o Partido Peronista Feminino, mas ao mesmo tempo se dizia contra o feminismo e era contra o divórcio.

Evita em 1947

 

8. Uma vida de Luxo

Apesar de lutar pelos pobres, Eva se vestia de maneira luxuosa e a maior parte de suas roupas era da Dior, que vinham diretamente de Paris para sua residência.

9. Seu câncer foi diagnosticado em 1947, mas ela se negou a se tratar devidamente

Eva em um hospital em 1951

 

O câncer no colo do útero foi diagnosticado em um estado avançado. Enquanto trabalhava, todos podiam ver que seu estado se deteriorava a cada dia. Em 1952 ela tentou uma histerectomia para tentar resolver seu caso mas não teve jeito. Finalmente, em 26 de julho de 1952 ela faleceu. Ela tinha 33 anos e seu corpo foi embalsamado por Pedro Ara e custou US$ 100 mil.

Pedro Ara, responsável pelo embalsamento.

 

 

10. Seu corpo foi escondido durante décadas até retornar à Argentina

Após 19 anos de sua morte, seu corpo foi exposto em sua terra

Sua morte comoveu o povo argentino, que chorou sua morte durante décadas. Após a morte, seu marido foi deposto. E para evitar que fosse roubado, o corpo de Eva foi levado para a Europa e escondido do público sob um falso nome, Maria Maggi. Chegou a ser sequestrado e mudado várias vezes de lugar. Somente em 1974 retornou à sua terra. Atualmente ela encontra-se enterrada no mausoléu de sua família em Recoleta.

 

 

 

11. Ela foi interpretada por várias atrizes, dentre elas:

Faye Dunaway (Evita Peron, 1981)
Patti LuPone na ópera rock Evita (1979)
Elaine Paige (na produção teatral Evita, 1978)
Madonna no filme (Evita, 1996)
Elena Roger em Evita (2012), na  Broadway
Madelena Alberto as Evita in 2014. Photo Tristram Kenton
Madelena Alberto em Evita 2014), também no teatro

 

Fontes: imdb, folha, estadão, terradidyouknowfactsbuenosairescityguide

Comente Aqui!