Minha Visita aos Estúdios e Túmulo de Chaplin na Suíça

455

Esta matéria é uma continuação de minha visita à casa de Charles Chaplin, localizada em Vevey, na Suíça. Na primeira parte da matéria, falei sobre os jardins e a casa. Nesta parte falarei sobre a visita aos Estúdios Chaplin, uma estrutura colocada na parte externa da casa e que reproduz cenários de seus filmes.

O Estúdio Chaplin

Saindo da casa de Chaplin há ainda um espaço a ser visitado: O estúdio Chaplin traz uma experiência incrível. Após assistir a um curto vídeo que traz vários momentos da carreira do diretor. Essa introdução com filme é importante para preparar os visitantes para o que vem pela frente. Serve para relembrar a carreira para aqueles que o conhecem, e para apresentar o personagem Carlitos àqueles que possam nunca tê-lo visto.

Ao finalizar o filme, a tela sobe e somos convidados a adentrar nos estúdios. Logo de cara vi um cenário que relembra sua infância vivida em Londres. Há inclusive um boneco de sua mãe, Hannah Chaplin.

Hannah, mãe de Charles
Detalhe do boneco de cera em homenagem a Hannah Chaplin

Nesta parte há uma referência à infância do ator, passada em Londres. E também o início de sua carreira, quando ele fazia parte de várias trupes. A mais famosa delas foi a trupe de Karno, que acabou oportunizando sua ida para a América. O cenário traz cartazes e ruas.

Vários cartazes trazendo personagens interpretados por Charles na Trupe de Karno.
Você pode pegar o chapéu coco e tirar algumas fotos.

Neste mesmo plano temos os cenários que remetem ao filme O Garoto (The Kid, 1921), trazendo os bonecos de cera de Tom Wilson e Jackie Coogan. Nesta parte também vemos a reprodução do quarto cenário do filme:

Essa cena com o Tom Wilson e Jacie Coogan é inesquecível.
Jackie Coogan, o garoto
Eu e Jackie Coogan

Mais algumas reproduções de cenários e todas interativas:

Boneco de Albert Austin, um grande ator que contribuiu em muitos filmes de Chaplin.
E aqui, no meio desta cena onde Carlitos e a esposa do delegado ficam constrangidos ao escutarem o barulho do chá em seus estômagos.
Mais um cenário de Tempos Modernos: a cadeia onde Carlitos foi tão feliz, mas tão feliz que não queria sair.
Lembra da cena em que Chaplin se transforma em um porco espinho em Tempos Modernos
Eu e Edna. Ela nem aí pra mim.
Edna Purviance em O Imigrante
Edna Purviance espera por um prato de comida em O Imigrante.
Você também pode sentar na cadeira do barbeiro de O Grande Ditador.
Passei um bom tempo aqui em frente a esse boneco da Virginia Cherrill.
Eu com os “rolos” de filmes. Claro que não são os originais. Infelizmente.
E era assim que nasciam os filmes.
Esse cenário interativo vai para um lado e para o outro. Exatamente quando a casa do Vagabundo fica à beira do penhasco.
Uma banca de revistas
Ruas que frequentemente vemos em seus filmes
A cena de Easy Street (1917)
Em Easy Street (1917) Carlitos dá um jeito em Eric Campbell colocando a cabeça dele dentro do lampião.
Eu e Paulette Goddard, nos trajes usados em Tempos Modernos
Os dois Oscars que Chaplin ganhou.
Sim, Federico Fellinni também está lá!
Eric Campbell, ator magnífico que atuou com Chaplin em vários filmes e que acabou morrendo precocemente.

Na última parte do estúdio temos a cereja do bolo: Um dos figurinos usados por Chaplin em alguns de seus filmes: a roupa, a bengala, o chapéu:

Mais um chapéu
Os sapatos, a bengala….
Um dos trajes usados por ele!!!!

Saindo dos estúdios você ainda pode passar na lojinha oficial que vende vários tipos de souvenirs: livros, cartazes, chocolates, globos de neve, canetinhas, bengalas, camisas, bonequinho de corda, bonecos maiores, canecas, cartões postais. Enfim, muita coisa.

Passei algum tempo no café localizado dentro do complexo. Bem, voltei para os jardins e lá permaneci mais um bom pedaço do tempo, filosofando e fazendo uma promessa de lá voltar muito brevemente.

Visita ao Cemitério onde Chaplin está enterrado

Fica tudo muito perto mas notei que se você for de ônibus talvez o caminho não seja tão fácil se não for com um nativo. O Cimetière de Corsier-sur-Vevey fica em meio a uma vila, com acesso por pequenas ruas. Como não há muitas pessoas para informar sobre o lugar possa ser que você demore um pouco mais procurando o lugar. Mas o que verá nas ruas irá compensar muito. Vevey é um lugar agradabilíssimo para se perder:

Seguindo pelas ruas
Opa, o cemitério fica quase perto da igreja
Aqui já está próximo

Bem, o cemitério de Corsier-sur-Vevey é pequeno e suas tumbas são simples. O ator James Mason também está enterrado lá. Mas não consegui encontrar seu túmulo (sim, ohei um pouco ao redor). Chaplin está enterrado ao lado de Oona Chaplin, sua última esposa. Em frente há um banquinho onde podemos nos sentar e observar o lugar. Foi o que eu fiz durante uns bons minutos.

Foto: Luc Oberson

Se for a Vevey, também não deixe de visitar a estátua de Chaplin que está localizada em frente ao Museu da Nestlé. Pra quem não sabe, foi em Vevey que a famosa fábrica foi criada. A estátua fica de frente para o Lago Léman:

Eu e Chaplin. Foto: Luc Oberson
Estátua de Chaplin em frente ao lago

Meus agradecimentos sinceros a Luc Oberson, que gentilmente me acompanhou. E foi de uma gentileza sem tamanho ao descobrir essas ruas comigo.

Confira também a primeira parte:

Minha Visita à Casa e Jardins de Charles Chaplin – Parte 1

Comente Aqui!