Os Amores de Elizabeth Taylor

3533

Trabalhando desde criança e sendo criada para ser uma estrela de cinema em tempo integral, Elizabeth Taylor teve pouco contato com o mundo. Sua infância foi vivida nas telas e na adolescência não conheceu amigas com quem pudesse trocar informações. Apenas a figura de sua mãe, Sara, que guiava sua vida com mãos de ferro. Sendo assim ela teve enormes dificuldades de desenvolver relacionamentos maduros ao longo de sua vida. Ainda adolescente ela disse que queria ser uma grande atriz, mas queria muito mais encontrar um bom marido.

Seu primeiro namorado foi Glenn Davis, um jogador de futebol americano de 23 anos, seis anos mais velho que ela. O relacionamento dele foi coberto por toda a imprensa. “Quando olhei para ele pela primeira vez pensei: ele não é de verdade. É simplesmente maravilhoso!”. Sua mãe não aprovou o namoro, pois achava que a filha merecia um marido mais rico, e um jogador não era um marido ideal para uma estrela de cinema em ascensão. O romance durou pouco tempo e ele não chegou a pedi-la em casamento.

Elizabeth posa com a camisa do time de Glenn e de suas fotos

Pouco tempo depois ela conheceu William Pawley Jr, que logo começou a falar sobre casamento, mas não suportava a carreira dela de atriz. Taylor via nele uma maneira de fugir das mãos de sua mãe, que lhe controlava, só que ele também era bastante controlador, e chegava a indicar as roupas que ela podia usar, companhias com que andava, além de insistir que ela abandonasse sua carreira. O término veio quando ela insistiu em fazer mais um filme antes de se tornar a Sra. Pawley e ele disse que não toleraria vê-la trabalhando.

Elizabeth aos 17 anos ao lado do controlador William Pawley Jr

Foi então que ela conheceu Nicky Hilton, o herdeiro da cadeia de hotéis Hilton. Enquanto filmava a Filhinha do Papai, onde interpreta uma mulher prestes a se casar, Liz só pensava no seu próprio casamento. Sua mãe Sara achou enfim que ela encontrou o homem ideal para ela, pois Nicky era muito rico. Ela se casou com ele virgem e o casamento só se consumou 3 dias depois, por causa da bebedeira que Nicky tomou.

O que Elizabeth não esperava era que ele imediatamente após o casamento mostrasse ser quem realmente era: um alcoólatra, apostador compulsivo e que batia na esposa constantemente. Ainda na lua de mel, a atriz buscou ajuda de amigos, e se tornou uma compradora compulsiva como modo de aplacar a tristeza. Poucos meses depois do casamento ela já tinha emagrecido 9 quilos e estava em depressão. Não havia mais como esconder. Sua mãe a levou para um local seguro e ela pediu o divórcio alegando crueldade mental. Nicky morreria aos 42 anos em decorrência dos seus vícios.

Liz com seu primeiro marido, o alcoólatra Nicky Hilton

Após a separação ela se encontrou algumas vezes com Stanley Donen, e estavam se acertando, porém a Metro a enviou para a Europa para filmagens de Ivanhoé. Chegando lá ela conheceu aquele que se tornaria seu segundo marido, Michael Wilding. Ele estava separado de sua primeira esposa, Kay Young há pelo menos cinco anos, porém não tinham dado entrado no divórcio. Elizabeth Taylor o incentivou a dar entrada nos papéis para que os dois pudessem se casar. Em 1952 eles se casaram. Os primeiros tempos do casamento foram difíceis já que a Metro cortou seu salário devido à gravidez. Do casamento viriam dois filhos: Michael Howard Wilding (nascido em 1953) e Christopher Edward Wilding (nascido em 1955).

As diferenças não tardaram a surgir. Taylor era uma boa mãe, mas Michael não dava tanta atenção aos filhos. Enquanto ela era agitada ele era passivo. As brigas tomaram conta da casa, que vivia repleta com os animais de estimação de Liz. Ela achava ele pouco homem, já que não era grosseiro com ela. Os dois ficaram juntos até 1957.

Michael e Elizabeth
Liz com seu segundo marido, Michael Wilding e os dois filhos do casal

Quando o casamento esfriou, Elizabeth se envolveu com Kevin McClory, e foi através dele que ela conheceu seu chefe, Mike Todd. Mike era um produtor americano de sucesso, e logo os dois se apaixonaram. Pouco tempo depois e ambos estavam pedindo divórcio de seus pares. Mike e Liz formavam uma dupla explosiva. Ele ornamentava ela com jóias e os dois brigavam constantemente, quebrando tudo que aparecesse no caminho, para tão logo fazerem as pazes. Debbie Reynolds, amiga do casal, interferiu numa dessas brigas para logo receber uma reprimenda deles, por ter se intrometido. Debbie e seu marido, Eddie Fisher, eram muito próximos dele, e Fisher tinha uma espécie de fascinação por tudo o que dizia respeito a Todd. Imitava seus gestos, seguia tudo o que ele dissesse.

Liz ficou grávida e em 1958 nasceu Liza Frances Todd. Foi um ano muito intenso, de viagens para divulgação do filme A Volta ao mundo em 80 dias, e ela esteve constantemente fora de casa. Durante uma viagem de divulgação, em que a atriz não pode ir devido a um forte resfriado, Mike sofreu um acidente fatal em seu avião particular. A atriz que já se separara duas vezes, estava agora viúva. Eddie Fisher passou a ser seu consolo e juntos ficavam relembrando Mike Todd, até que se envolveram amorosamente.

Elizabeth Taylor com Mike Todd
Elizabeth e Mike  apresentando Liza para Michael e Christopher

Após a morte de Mike Todd, Elizabeth ficou abalada e a única pessoa que conseguia consolá-la era Eddie Fisher. Logo os dois estavam profundamente envolvidos e em setembro de 1958 resolveram assumir a relação. Debbie, que era amiga de Liz, sabia que seu casamento não estava bem, mas não esperava que ele a traísse justamente com Elizabeth. Vários fatores levaram um ao outro, e o amor que ambos sentiam por Todd foi o principal. De viúva amada ela passou a ser uma “rouba maridos” e a sociedade americana repudiou a atriz, que ignorando todos, continuou seu romance com Fisher.

Em 1959 finalmente ela se casou com Eddie, que conseguiu seu divórcio e os dois puderam se casar. Só que logo ela se arrependeu. Percebeu que casara apenas com a sombra de Mike Todd. Elizabeth preferia homens que mandassem nela, e Eddie apenas a idolatrava. O casamento durou até 1964, quando ela conheceu aquele que considerou o amor de sua vida, Richard Burton.

Casamento judaico de Eddie e Liz
Elizabeth e Eddie

Richard  Burton tinha fama de Don Juan, e o romance entre ele e Elizabeth Taylor era até certo ponto esperado. Contratados para fazer Cleópatra em Roma, os dois logo estavam envolvidos. Brigas, discussões calorosas, bebedeiras jantares magníficos estavam na pauta do novo casal, que não se importava muito em esconder a paixão.

Fisher logo foi comunicado da separação e partiu arrasado para a América. Não havia muito a ser feito, a não ser aceitar. Com o término das filmagens, Elizabeth já estava separada, porém Richard ainda não sabia se iria se separar de sua esposa, que sempre aturava suas traições e o esperava voltar. O casal tinha duas filhas.

Richard e Liz em 1963
O casal no início da paixão

O casamento de Liz e Richard desde o início foi conturbado. Viajaram muito, gastaram rios de dinheiro, viviam cercados de luxo e dinheiro, e com isso se isolavam das pessoas. Richard era alcoólatra, e Liz logo o estava acompanhando nas bebedeiras. Se sentia o máximo por no início beber altas doses de bebida e não se embebedar, mas logo estava também viciada.

Liz o acompanhava onde quer que ele fosse, para garantir a fidelidade do marido, e ele também a acompanhava em suas filmagens. Os dois fizeram uma dupla também dentro das telas, estrelando vários filmes em comum, a maior parte sem sucesso. O ritmo frenético, o alcoolismo e ciúmes começou a afastá-los. Liz começou a namorar com Henry Wynberg ao saber das infidelidades de Richard. Após 10 anos de casados e infidelidades de ambas as partes eles se separaram. Porém durou seis meses e logo eles iniciaram um novo casamento, que duraria pouco mais de 10 meses. Richard já estava apaixonado novamente, quando finalmente assinaram os papéis da separação e dias após ele se casou com Suzy Miller em 1976.

Henry Wynberg e Liz

Durante uma visita a Washington para promover seu filme, a atriz conheceu o político John Warner. Totalmente diferente de Richard Burton, ele era mais calmo, mas com a vida focada na política. Querendo um pouco mais de sossego após anos de um romance turbulento, Taylor aceitou o pedido de casamento e logo se transformou em uma esposa de senador.

As viagens por campanhas e excesso de visitas ao eleitorado a cansaram tremendamente e ela logo começou a entrar em depressão. Foi usada pelo marido para sua eleição. As viagens eram muito cansativas e atuar 24 horas por dia a deixaram exausta. Para se controlar ela se entregou cada vez mais à bebida e a comida, engordando muito nesse período e chegando à obesidade.

John Warner e Liz
Liz comia e bebia muito, para tentar superar a infelicidade ao lado de John Warner

Após se separar de John Warner, Liz parecia desiludida com casamentos, no entanto começou a namorar com o advogado Victor Luna. Houve uma nova aproximação, dessa vez profissional, com Richard Burton. Os dois atuaram em uma peça juntos e chegaram a posar para fotos ao lado de seus novos amores. Ele com Sally e ela com Victor Luna.

O relacionamento com Luna terminou quando ele percebeu que jamais tomaria o lugar de Burton. Ao saber da morte do ex-marido, Elizabeth Taylor ficou inconsolável e entrou num período de depressão que Luna não conseguiu segurar. Assim terminaram o relacionamento. Ela ainda namorou brevemente Dennis Stein, porém logo terminaram.

Burton, sua esposa Sally, Elizabeth e seu namorado Victor Luna

Depois de um longo período sozinha, dedicando-se aos negócios, ela sofreu uma nova crise nervosa causada pelo uso de remédios pesados e foi internada. Lá conheceu o caminhoneiro Larry Fortensky, 20 anos mais jovem que ela. Ele também era alcoólatra e já tinha passagem pela polícia, porém nada disso a impediu de iniciar um namoro com ele.

Logo os dois estavam indo de um lado para outro juntos, até que em 1991 ela subiu ao altar mais uma vez, na casa de seu amigo Michael Jackson. Larry fazia companhia à atriz, e insistia em manter seu trabalho original, porém o casamento teve fim em 1996. Após o divórcio Elizabeth Taylor jurou nunca mais se casar.

Larry Fortensky e Liz
Larry Fortensky e Liz

Fonte: livro Elizabeth Taylor, de Donald Spoto

Comente Aqui!