O Preço de um Prazer (1963)

862

Rocky Papasano (Steve McQueen) é um músico que busca emprego de todas as maneiras. Mas não está nada fácil. O campo de trabalho está cada vez mais escasso e o desemprego desespera a todos. Enquanto tenta mais uma vez, recebe a visita de Angie Rossini (Natalie Wood), uma jovem com quem ele saíra tempos atrás.

O relacionamento nada significou para ele, que não a reconhece tão facilmente. Mas Angie traz uma notícia bombástica: está grávida dele, não quer nada mais além de dinheiro para abortar. Rocky fica chocado mas não tem muito tempo para pensar. Juntos irão tentar conseguir dinheiro para a cirurgia.

E se Rocky não passa por bons momentos, tampouco Angie os teve. Proveniente de uma família italiana bastante tradicional, a garota não tem direito algum, sonha em se impor e tomar as rédeas de sua vida. Mas ao invés disso, vê-se cada vez mais presa por conceitos e o machismo que não consegue deixá-la respirar. Para ela não há possibilidades de ter aquela criança nessa situação tão caótica. E uma gravidez significa outra prisão onde não está disposta a entrar.

O Preço de um Prazer (Love with the Proper Stranger, 1963) traz um tema forte, mostrando de maneira adulta um assunto tão delicado como esse. Não se trata de um casal de namorados, eles são pessoas quase desconhecidas cujo único laço é uma criança que cresce no ventre de Angie. Criar um relacionamento, mesmo que mínimo, nesta situação, é algo caótico por si só. O filme dirigido por Robert Mulligan mostra o drama que uma resolução tão amarga como essa traz para qualquer pessoa envolvida.

O finaltira um pouco o foco principal, e parece ter sido feito às pressas para agradar uma sociedade que parecia ainda pouco preparada para um final diferente. Afinal, Angie começava a ser a mulher que ela desejava ser: saindo da casa onde seus irmãos e mãe lhe subjugavam e tendo finalmente seu espaço: um local onde podia chamar de lar, com móveis e a liberdade que tanto almejava.

Mas de uma maneira geral, o final escolhido não tira o brilho de uma discussão que permanece ainda atual e que envolve questões de cunho social, saúde pública e religiosidade.

Em tempo: o filme foi indicado aos Óscares de Melhor Atriz (Natalie Wood), Roteiro, Fotografia, Direção de Arte e Figurinos (Edith Head). Natalie ganhou o prêmio no Mar del Plata.

O Preço de um Prazer (1963) está sendo lançado em dvd pela Classicline. E você poderá adquirir o mesmo clicando na imagem abaixo:

Comente Aqui!