Melhores Filmes de Dirk Bogarde

1227

Um ator com grandes paixões

Derek Jules Gaspard Ulric Niven van den Bogaerde, ou simplesmente Dirk Bogarde,  nasceu em 28 de março de 1921 em Londres. Sua carreira abrange mais de cinco décadas dedicadas ao cinema. No princípio, interpretou vários papéis que exploravam seu charme. Com a chegada da década de 60,  o ator passou a escolher filmes que achava serem mais desafiadores.

Dirk também tinha outras grandes paixões. Uma delas era a escrita. No final da década de 70 escreveu suas memórias. Nelas revelava que estava saturado com a indústria do cinema. Bastante discreto em sua vida particular, muitas vezes recusava-se a responder questões de fórum íntimo, principalmente aquelas que envolviam sua vida amorosa, já que na Inglaterra era crime ser homossexual.

Dirk com seu companheiro de vida, Anthony Forwood

Dirk viveu um relacionamento estável com seu empresário Anthony Forwood. Os dois que se conheceram em 1939 viveram juntos até a morte de Forwood em 1983. Depois da morte do companheiro, Bogarde se tornou cada vez mais recluso. A aposentadoria viria após sua participação no drama Daddy Nostalgie (1990). O  ator inglês faleceu em 8 de maio de 1999, quando sofreu um ataque cardíaco. Tinha 78 anos.

Fiz uma pequena seleção de alguns bons filmes do ator. Vale a pena dar uma conferida:

Devoção de Assassino (Hunted, 1952), de Charles Crichton: Robbie (Jon Whitheley), um garotinho de seis anos de idade, foge do orfanato e acaba sendo testemunha um assassinato cometido por Chris Lloyd ( Dirk Bogarde). Sem outra alternativa, Chris resolve levar a criança com ele, enquanto a polícia tenta descobrir seu paradeiro.
Meu Passado Me Condena (Victim , 1961), de Basil Dearden: Melville Farr (Bogarde) é um advogado conceituado que tentará descobrir mais sobre uma quadrilha que chantageia homossexuais e que levou seu companheiro ao suicídio. Vale lembrar que este filme foi realizado num período em que a homossexualidade era considerada crime na Inglaterra
O Criado (The Servant, 1963), de Joseph Losey: Tony (James Fox) é um homem rico que contrada um criado assim que se muda para Londres. Inicialmente Hugo (Bogarde) aparenta ser leal, mas com o tempo mostra quem verdadeiramente é.
Na Glória, a Amargura (I Could Go on Singing, 1963), de Ronald Neame: Jenny Bowman (Judy Garland) é uma cantora que parte para Londres em busca de seu antigo amante, o médico David Donne (Bogarde). Ela deseja, sobretudo, a guarda do filho que teve com ele.
Estranho Acidente (The Accident, 1967), de Joseph Losey: Uma bela moça é desejada por dois homens casados. Após a morte de um deles, o tio do rapaz resolve ir em busca do que motivou tal acidente.
Os Deuses Malditos (La Caduta degli Dei, 1969), de Luchino Visconti: Uma família aristocrática testemunha a chegada do nazismo na Alemanha, e as mudanças que ela acarreta na vida de cada um.
Morte em Veneza (Morte a Venezia, 1971), de Luchino Visconti: O compositor Gustav (Bogarde) parte para Veneza em busca de repouso e calma. Mas ao chegar lá depara-se com o jovem Tadzio (Björn Andrésen) e nutre por ele uma grande paixão não correspondida.
Providence (1977), de Alain Resnais: Certo de que sua morte está próxima, um escritor resolve reunir sua família e terminar seu último livro. Neste, ele irá relatar fatos fictícios e reais, baseados em seus familiares.
Despair, 1978), de Rainer Werner Fassbinder: Hermann Herman, um imigrante russo, começa a perder a razão. Quando conhece um homem que pensa ser igual a ele, decide mata-lo e ficar em seu lugar.

Comente Aqui!