Melhores Filmes de Liv Ullmann

1186

Separei alguns filmes dela que julgo serem essenciais para conhecer seu trabalho, mas isso não impede que você busque outros. Confira:

Persona (1966), de Ingmar Bergman: A enfermeira Alma (Bibi Anderson) cuida de Elisabeth Vogler (Liv). Aos poucos a relação entre as duas vai mudando, e Alma passa a falar a sua paciente sobre sua vida, desejos e até mesmo segredos. Alma percebe que sua personalidade está sendo submergida na pessoa de Elisabeth.
A Hora do Lobo (1968), de Ingmar Bergman: Segundo Bergman, “Hora do Lobo é o espaço entre a noite e a madrugada. A hora em que a maioria das pessoas morre, e que a maioria das pessoas nasce, e que os pesadelos são reais e que a angústia nos persegue”. Um pintor e sua esposa vão morar em uma ilha afastada da sociedade. Lá conhecem um grupo de pessoas que os faz relembrar angústias do passado e questionar a própria lucidez. Um dos melhores terrores psicológicos de todos os tempos.
Vergonha (1968), de Ingmar Bergman: Durante a guerra civil, um casal de músicos foge para uma ilha, mas logo são descobertos pelos soldados.
A Paixão de Ana (1969), de Ingmar Bergman: Andreas (Max von Sydow) se isola em uma ilha para tentar lutar contra a dor da separação recente. Chegando lá conhece Anna (Liv), uma mulher que teve uma perda terrível: a morte de seu filho e marido. Os dois se envolvem mas nem tudo parece correr bem na ilha.
Gritos e Sussurros (1972), de Ingmar Bergman: Três irmãs buscam lidar com a morte iminente de uma delas, que está no leito de morte. Mas as relações que estavam já abaladas pioram cada vez mais. O filme traz uma das fotografias mais marcantes utilizadas pelo diretor. O uso excessivo da cor vermelha amplia a agonia sentida pelas irmãs e em algumas cenas temos a sensação de estarmos dentro de um quadro renascentista.
Cenas de um Casamento (1973), de Ingmar Bergman: A história original foi lançada como uma minissérie de TV em 1973 e narra a história do casal formado por Johan e Marianne. Certo dia um casal muito amigo deles, Katarina e Peter, vêm para um jantar. De imediato Katarina e Peter demonstram que o seu casamento passa por uma série crise. Semanas depois, Marianne descobre que está grávida e Johan, ao saber, não demonstra nenhum contentamento. Uma análise real sobre o casamento, por vez cruel e sem amor.
Face a Face (1976), de Ingmar Bergman: Jenny, uma psiquiatra, sofre de depressão e é assombrada com visões de uma velha senhora. Começar um caso com um médico casado só faz piorar seu caso e ela chega a tentar o suicídio.
Sonata de Outono (1978), de Ingmar Bergman: Única vez em que o diretor trabalhou com Ingrid Bergman, traz o difícil relacionamento entre uma mãe pianista e sua filha emocionalmente fragilizada. O filme contém uma bela fotografia repleta de closes que amplificam os sentimentos contraditórios das protagonistas. É um filme sobre os relacionamentos familiares mal resolvidos.
Os Emigrantes (1971), de Jan Troell: Uma família sueca que migra para a América por volta de 1850. Leia mais em nossa matéria sobre o filme.
O Preço do Triunfo (1972), de Jan Troell: segunda parte de Os Imigrantes. Leia mais em nossa matéria.

Confira também:

Os Melhores Filmes de Ingmar Bergman

Comente Aqui!