Grace Kelly de A a Z

1551

Alfred Hitchcock: considerada a musa do Mestre do Suspense. Participou com ele de três filmes: Dial M for Murder, Rear Window, e To Catch a Thief e foi cogitada a participar de Marnie (1964), mas não foi autorizada, devido o seu título de princesa.

Bodas: a cerimônia de seu casamento foi filmada com exclusividade pela MGM e transmitida ao vivo para 9 países. Dentre os convidados famosos estavam David Niven, Gloria Swanson, Ava Gardner e Conrad Hilton. Escrevi uma matéria especial sobre o evento. Clique aqui para ler.

Curso: Grace era formada em arte dramática pela American Academy of Dramatic Arts, de Nova York, onde entrou por causa da influência de seu tio, o também ator George Kelly.

Doze anos: idade que tinha quando atuou pela primeira vez numa peça chamada “Don’t Feed the Animals”, na Filadélfia.

Enterrada: na Catedral de São Nicolau, em Mônaco.

Filmes proibidos: Seu marido, o príncipe Rainier, proibiu a exibição de seus filmes em Mônaco, fato que deixou a princesa arrasada. Para tentar aplacar a saudade, ela fazia pequenas peças.

Globo de Ouro: de Melhor Atriz Coadjuvante, por sua participação em Mogambo.

Hotel Barbizon: ela foi uma das mais famosas inquilinas deste hotel só para mulheres enquanto estudava em Nova York. Outras famosas que moraram lá foram Candice Bergen, Liza Minnelli e Ali MacGraw.

Início: no cinema: Fouteen Hours (1951), com 22 anos de idade.

Joseph Cotten: seu ator preferido. Ingrid Bergman era sua atriz preferida.

Kelly: seu pai, John Kelly era pedreiro, e conseguiu enriquecer as custas de seu sucesso no trabalho. Sua família era conhecida pelas aptidões esportivas, e Grace, que preferia as artes, sentia-se solitária ao lado de seus parentes.

Grace Kelly makeup test for ‘The Swan’, 1955.

Lista: eleita a 27ª dentre as Maiores Estrelas de Todos os Tempos, Segundo a revista Entertainment Weekly. 12ª Grande Estrela de Cinema de Todos os Tempos, pela Revista Premiere.

Medalha: em janeiro de 1959, a princesa recebeu uma medalha de mérito por sua ajuda aos refugiados húngaros, por intermédio da Cruz Vermelha de Mônaco.

Namorados famosos: Clark Gable, Bing Crosby, William Holden, Jean-Pierre Aumont, Ray Milland e David Niven.

Oleg Cassini: os dois chegaram a estar noivos, mas ela terminou o romance para se casar com o príncipe Rainier.

Princesa Sereníssima de Mônaco: título recebida ao casar-se com o Príncipe Rainier de Mônaco. Juntos tiveram 3 filhos: Caroline (1957), Albert (1958) e Stephanie (1966).

Queridos parceiros: envolveu-se amorosamente com quase todos os seus parceiros nos filmes. As exceções parecem ter sido James Stewart e Cary Grant (embora haja rumores sobre um caso, aparentemente eles foram muito amigos).

Rosas: suas flores favoritas. Para passar o tempo no castelo ela dedicou-se a colagem de flores, chegando a expor em alguns locais sua obra. Após sua morte, em sua homenagem, o príncipe Rainier fez um jardim.

Grace Kelly

Selo comemorativo: em 1993, os EUA e Mônaco lançaram simultaneamente um selo comemorativo à Grace. Em Mônaco o selo saiu com sua imagem de princesa coroada, enquanto que nos EUA foi retirada a alusão ao seu título.

The Country Girl (1954): filme que lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz. Para muitos o título foi injusto, haja vista que Judy Garland era a favorita, por seu filme Nasce uma Estrela.

Um AVC: teria sido a causa de seu descontrole e conseqüente batida do carro, que ocasiou o acidente que levaria ao seu óbito. Sua filha Stephanie estava ao seu lado na hora do ocorrido, e chegou a ser cogitada a possibilidade da mesma dirigir o carro no momento do acidente.

Vogue: ela é uma das atrizes citadas na música Vogue, de Madonna.

W: Grace Kelly também emprestou seu nome às bolsas Kelly da Hermes. Criada em 1935 no formato trapézio e com alça curta, adotou o nome Kelly em 1956, numa homenagem à atriz que sempre usava uma.

X: curiosamente, ela aparece dirigindo no filme “To Catch a Thief” (1955) na mesma rua onde veio a falecer algum tempo depois.

Y: ela jamais falou perfeitamente o francês, apesar de morar anos em Mônaco.

Zinnemann: tornou-se famosa ao participar de “Matar ou Morrer” (1951), de Fred Zinnemann, filme que concorreu a 7 Oscars e ganhou 4.

Comente Aqui!